Momento Destaque

“Não sabia se era o meu prédio caindo, se ele estava se dividindo em dois ou se era um terremoto”, afirma brasileira em Beirute

Publicados

em

Quando a brasileira Julia Ibrahim sentiu o primeiro tremor causado pela explosão no porto de Beirute, no Líbano, pegou os dois filhos menores no colo e correu para o corredor do prédio.

O impacto fez com que seu edifício, a 10 minutos de onde aconteceu o incidente, tremesse e todas as janelas quebrassem. Julia, que mora no país há 13 anos, conta que na hora não sabia se o prédio estava caindo ou se estava acontecendo um terremoto.

“Não sabia se era o meu prédio caindo, se ele estava se dividindo em dois ou se era um terremoto. Assim que senti o primeiro tremor, peguei meus filhos e corri para o corredor. Eu gritava sem saber o que estava acontecendo. Meu prédio balançava e as janelas começaram a quebrar. Achei que morreria abraçada aos meus filhos. Vi a morte”, contou ao GLOBO a brasileira, dona de uma agência de viagens.

Quando a explosão aconteceu, em um armazém no porto, Julia preparava o jantar de noivado de sua filha mais velha, de 21 anos. Havia ao menos 10 pessoas na sala arrumando o evento; o espaço ficou destruído com o impacto.

Leia Também:  Novo reajuste no preço dos combustíveis anunciado nesta terça-feira(22) pela Petrobrás entra em vigor a partir desta quarta-feira(23)

“Por sorte as pessoas estavam longe da janela, então ninguém se machucou”, conta a brasileira. “Meus vizinhos não deram a mesma sorte: eles ficaram feridos e precisaram correr para algum hospital. O apartamento dos meus sogros, ao lado do meu, ficou inteiramente destruído.”

O impacto da explosão pôde ser sentido em diversos pontos da capital. A cerca de dez quilômetros de distância, no bairro de Jnah, o empresário brasileiro Hassan Baydoun, de 33 anos, estava deitado quando tudo aconteceu.

“Achei que fosse um terremoto, o prédio começou a tremer. Como não parava, corri para pegar a minha irmãzinha de 7 anos na sala. Senti como se o prédio fosse cair”, conta Baydoun, de férias com a família no Líbano. “De repente, veio o barulho de um estrondo e depois ficou tudo calmo.”

Horas depois, ele saiu para ajudar uma tia que teve a casa atingida, e rodou de carro pelas ruas da capital. O que ele viu o deixou em choque.

“Me lembrou o atentado do 11 de Setembro. Muita destruição por toda parte, muito vidro nas ruas. O porto está todo destruído, incluindo as mercadorias.”

Leia Também:  Reis do empate, Grêmio e Palmeiras ficam na igualdade em Porto Alegre com gols de Raphael Veiga para o verdão e Ferreira para os gaúchos

Julia explica que nunca tinha passado por uma situação dessas em Beirute.

“Eu só ouvir falar que o Líbano passou por guerras e explosões, hoje eu pude sentir o que eles viveram”,  disse. “Quando ouvimos na TV que poderia ser um acidente, e não um atentado, ficamos mais tranquilos.”

Otavio Ventureli(de Brasilia com agências internacionais)

Momento Destaque

Novo reajuste no preço dos combustíveis anunciado nesta terça-feira(22) pela Petrobrás entra em vigor a partir desta quarta-feira(23)

Publicados

em

A Petrobras anunciou, nesta terça-feira (22/9), o quarto reajuste seguido dos combustíveis em setembro.

Após três cortes consecutivos, o preço do litro da gasolina sofrerá aumento de 4% nas refinarias a partir desta quarta-feira (23/9).

O valor do diesel não terá alteração. As três últimas correções, promovidas pela estatal este mês, foram cortes de 3%, 5% e 5% na gasolina e reduções de 6%, 5% e 5% no diesel.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), Sérgio Araújo, o reajuste anunciado para gasolina “não foi suficiente para eliminar a defasagem em relação ao preço internacional”. “O diesel continua com defasagem desde o início de agosto”, disse.

Em Brasília, embora seja possível encontrar gasolina por menos de R$ 4 em aplicativos de alguns estabelecimentos, a média praticada, antes do novo reajuste, era de R$ 4,28 por litro. Contabilizando o aumento anunciado hoje, a Petrobras promoveu 27 alterações na tabela de preços da gasolina e 21 na do diesel este ano.

 

 

Otavio ventureli(da redação de Brasilia)

Leia Também:  Ministério da Justiça atende pedido do Governador de MT Mauro Mendes e vai enviar Força Nacional para ajudar no combate a incêndios no Pantanal

 

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA