Momento Destaque

Operação Sangria da Polícia Civil de Mato Grosso prende no sábado traficante que faturava 12 mil reais por dia com venda de drogas no interior

Publicados

em

Polícia Civil do município de Confresa, em Mato Grosso,  efetuou a prisão de um traficante que movimentava grandes quantias em dinheiro com a atividade ilícita.

A prisão do suspeito ocorreu neste sábado (01) durante a operação “Sangria” deflagrada para cumprimento de mandados. Em um único dia, o suspeito de 45 anos conseguia movimentar cerca de R$ 12 mil oriundos do tráfico.

Na ação foram cumpridas quatro ordens judiciais, sendo um mandado de prisão preventiva  e três de busca e apreensão domiciliares, todos contra o investigado. Em um dos endereços do suspeito foram apreendidos mais de R$ 7 mil em dinheiro proveniente da venda de entorpecentes e algumas munições.

Durante investigação de combate ao comércio de drogas em Confresa, os policiais civis identificaram que o investigado vinha há muito tempo atuando de maneira dissimulada na região, articulado com vários pontos de apoio que revendiam as suas mercadorias ilícitas.

Segundo apurado, o suspeito residia na zona rural do município de Porto Alegre do Norte MT visando despistar a ação policial. Diante dos indícios e evidências de prática criminosa, o suspeito teve o mandado de prisão e os de busca e apreensão expedidos pela Justiça da 3ª Vara da Comarca de Porto Alegre do Norte.

Leia Também:  Familiares registram B.O na Polícia Civil denunciando o desaparecimento de uma mulher de 38 anos em Nova Mutum MT desde o dia 1°

A Polícia Civil de Confresa MT destaca que com essa prisão, encerra-se a atividade de mais uma célula criminosa que funcionava como apoio e fortalecia as atividades do crime organizado na região.

 

 

Otavio Ventureli(da redação com assessoria policial)

Momento Destaque

Secretaria de Saúde do Estado emite alerta para 60 municipios incluindo Lucas do Rio Verde MT para o aumento de casos de tuberculose

Publicados

em

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), por meio da Vigilância Epidemiológica Estadual, emitiu alerta a 60 municípios para o aumento de casos de tuberculose em crianças de 0 a 9 anos.

A tuberculose é uma doença de notificação compulsória ao Estado, que é diagnosticada e tratada inicialmente pela Atenção Primária dos municípios.

O alerta aponta que foram notificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) um número elevado de 331 crianças com tuberculose, no período de 2015 a 2020, nos municípios de:

Água Boa, Alta Floresta, Alto Araguaia, Alto Paraguai, Alto Boa Vista, Araputanga, Apiacás, Arenápolis, Barão de Melgaço, Barra do Bugres, Barra do Garças, Bom Jesus do Araguaia, Brasnorte, Cáceres, Campinápolis, Campo Novo do Parecis, Canarana, Castanheira, Cocalinho, Colíder, Comodoro, Confresa, Cuiabá, Diamantino, Feliz Natal, Guarantã do Norte, Jaciara, Jangada, Jauru, Juara, Juína, Juscimeira, Lucas do Rio Verde, Marcelândia, Matupá, Nova Canaã do Norte,  Nova Nazaré, Novo Horizonte do Norte, Novo Mundo, Peixoto de Azevedo, Pedra Preta, Pontes e Lacerda, Porto Espiridião, Primavera do Leste, Porto Estrela, Querência, Rio Cascalheira, Rondonópolis, Rosário Oeste, Santo Antônio do Leste, Santo Antônio do Leverger, São José do Rio Claro, São Félix do Araguaia, São José do Xingu, São José dos Quatro Marcos, Santa Terezinha, Sapezal, Sinop, Sorriso,  Tangará da Serra e Várzea Grande.

Leia Também:  Detran-MT libera agendamento para atendimento presencial em diversas unidades do Estado

De acordo com o alertaas as causas prováveis para o aumento de casos em crianças podem ser a descontinuidade das ações de rotina como busca ativa de casos; identificação precoce e exame de Sintomático Respiratório (SR); não realização de Tratamento Diretamente Observado (TDO); falta de priorização das ações de controle da tuberculose e baixa realização de exames de contatos para os casos já notificados.

“Alertamos os profissionais de saúde para redobrarem a atenção no diagnóstico e tratamento da tuberculose, pois esse aumento de casos entre crianças pode representar o descontrole da doença, já que onde se identifica criança doente significa que ela foi infectada por um adulto doente sem tratamento”, destaca a coordenadora de Vigilância Epidemiológica da SES-MT, Márcia Aurélia Esser Veloso.

Entre as orientações da SES, para que os municípios enfrentem essa situação, está: monitorar no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) os contatos de casos confirmados e se os mesmos já foram avaliados; mapear as unidades de saúde que registraram os casos entre crianças para desenvolver atividades de busca ativa, além de criar estratégia para mitigar o número de casos e realizar tratamento diretamente observado para todos os casos confirmados de tuberculose.

Leia Também:  Maldade: Bandido manda mecânico se ajoelhar e mata vítima com tiros a queima-roupa; funcionários e clientes do local correram

Sobre a doença

A tuberculose é infecciosa e transmissível entre seres humanos através da tosse ou espirro de pessoas com tuberculose ativa, que lançam partículas em formas de aerossóis que contém bacilos. É uma doença que pode ser prevenida e curada, mas ainda prevalece em condições de pobreza e contribui para perpetuação da desigualdade social.

Entre os principais sintomas estão: dores no peito, tosse com mais de 3 semanas, falta de ar, perda de peso e cansaço excessivo, febre baixa (principalmente durante a noite), sudorese noturna e perda de apetite.

Os medicamentos utilizados para o tratamento da doença são fornecidos aos 16 Escritórios Regionais de Saúde (ERS), ligados à SES, que realizam a distribuição aos municípios de abrangência territorial.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA