Momento Destaque

Polícia Civil, MPE e Conselho Regional de Medicina acompanham denúncias contra médico que abreviava vida de pacientes em UTI de Hospital

Publicados

em

A Justiça  proibiu que um médico investigado por abreviar a vida de pacientes debilitados exerça a profissão pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em Itajaí, municipio do Estado de Santa Catarina.

O médico, Gustavo Deboni da Silva(foto) é suspeito de provocar o óbito de pelo menos oito pacientes na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Marieta Konder Bornhausen, no município do litoral. A decisão é de segunda-feira(30) e tem validade até que o Conselho Regional de Medicina (CRM) apure a conduta do médico. A defesa dele nega irregularidades nos atendimentos.

Na decisão, a pedido do Ministério Público (MP) de Santa Catarina, a juíza Sônia Maria Mazzetto Moroso entendeu que Gustavo não usou de todos os meios disponíveis para manter a vida dos pacientes na UTI, descumprindo o Código de Ética Médica. Os casos teriam ocorrido entre 2017 e 2019.

A magistrada foi convencida a partir de um parecer de uma sindicância do CRM que aponta irregularidades nos atendimentos e relatos de estudantes de medicina em estágio no hospital de Itajaí.

Leia Também:  ex-Deputado José Riva afirma que Emanuel Pinheiro extorquia quem achava pela frente e que o gestor recebeu R$2,4 milhões em mensalinho

Os acadêmicos denunciaram o caso à reitoria da faculdade, que encaminhou em março de 2020 os depoimentos ao MP e CRM. Com a denúncia, o CRM analisou 19 prontuários de pacientes da UTI, entre 2017 e 2019.

Pelo menos oito deles tiveram a vida supostamente interrompida “por meio da administração indevida de bloqueador neuromuscular”, segundo apontou o relatório da sindicância do CRM. O documento baseou a abertura de um processo ético-profissional contra Gustavo no CRM.

“Não se pode deixar que um médico disponha da vida alheia como bem entenda, mormente porque a vida é o mais fundamental de todos os direitos, já que se constitui em pré-requisito à existência e exercício de todos os demais. Incumbe ao médico por dever de profissão e por direito do cidadão, prestar o atendimento necessário, fornecer o tratamento adequado ao quadro de saúde da pessoa, zelar e respeitar qualquer vida humana, enquanto ela existir”, comentou a juíza na decisão.

A decisão estipulou multa de R$ 50 mil em caso de descumprimento por parte do médico. O mesmo valor foi fixado ao Hospital Marieta Konder Bornhausen, proibido na liminar de contratar o investigado. Além do MP e CRM o caso é investigado pela Polícia Civil de Santa Catarina.

Leia Também:  Homem de 25 anos mata amante de 16 a pedradas tenta enganar a Polícia mas na Delegacia de Homicidios confessa o brutal assassinato

 

Otavio Ventureli(da redação com UOL)

Momento Destaque

Prefeito de municipio de Mato Grosso é preso por agentes do Naco e Gaeco no interior de agência bancária suspeito de receber propina

Publicados

em

O Prefeito de Rondolândia, municipio de Mato Grosso,  Agnaldo Rodrigues de Carvalho foi preso na manhã desta quarta-feira (30) dentro de uma agência bancária, pelo Grupo Operacional do Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco-Criminal), com auxílio do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), por suspeita de receber parte dos salários dos médicos que prestavam serviço à Secretaria de Saúde da cidade.

Carvalho já era investigado pela Polícia Civil pelo crime de corrupção e, com base nas provas colhidas no inquérito, o desembargador Marcos Machado, atendendo ao pedido formulado pelo coordenador do Naco, procurador de Justiça Domingos Sávio de Barros Arruda, que pediu a prisão preventiva dele.

Além do prefeito, a ex-secretária de Saúde da cidade, Kátia Monteiro, também é alvo da investigação. Segundo apurado, ambos receberam propina do empresário Nélio de Matos Júnior em contrato celebrado entre a empresa F.M. da S. Santos com a prefeitura de Rondolândia, visando o fornecimento de serviços de plantão médico.

Leia Também:  Governador Mauro Mendes volta a afirma que Emanuel Pinheiro é malandro e que algum dia o Prefeito da Capital vai acabar no cadeião

O empresário estaria pagando aos médicos vinculados à empresa um valor menor do que o  previsto no contrato e a diferença ele repassava ao prefeito e à ex-secretária de Saúde. No mês de agosto, durante cumprimento de mandados de busca e apreensão policiais do Naco e do Gaeco conseguiram apreender com Nélio de Matos Júnior, uma agenda e  anotações constando a “contabilidade” da propina que era paga, bem como comprovantes de depósitos feitos em contas correntes de terceiros indicados pelo prefeito e pela ex-secretária.

Segundo o delegado Rodrigo Azem, que comanda o Grupo Operacional do Naco, depois de ser apreendido todo esse material o empresário resolveu confessar o esquema criminoso.  “Ele não teve como negar que pagava a propina desde o início do contrato que foi firmado entre a empresa dele e a prefeitura, embora, muita coisa ele deixou de revelar, porém estamos apurando tudo”, afirmou.

Na ocasião em que os mandados de busca e apreensão foram cumpridos, segundo ele, o prefeito Agnaldo Rodrigues de Carvalho fugiu da cidade ao perceber  a movimentação dos policiais em Rondolândia. Na sua casa foram apreendidos não apenas documentos, mas, também armas e munições irregulares.

Leia Também:  PRF apura origem de mais de 17 Kg de ouro apreendidos em poder de 3 homens que viajavam de Cuiabá para São Paulo na BR 364

MOTIVOS DA PRISÃO

De acordo com a ordem judicial, a prisão preventiva ocorrida nesta quarta feira(30)  busca garantir a ordem pública, evitar a reiteração criminosa, assegurar a  aplicação da lei penal e, também,  por conveniência da instrução criminal.

Segundo o coordenador do Naco, procurador de Justiça Domingos Sávio de Barros Arruda, o inquérito policial deverá ser encerrado com a prisão e o interrogatório do prefeito e de outras pessoas envolvidas no esquema. Depois disso, no prazo máximo de quinze dias, será apresentada a denúncia  criminal contra os envolvidos perante o Tribunal de Justiça.

 

 

Otavio Ventureli(com ascomPJC)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA