Momento Destaque

São Paulo recupera a vice-liderança ao vencer de virada o Fluminense no Morumbi neste domingo e cola no Internacional lider do Brasileirão

Publicados

em

O São Paulo recuperou a vice-liderança do Campeonato Brasileiro ao bater o Fluminense por 3 a 1, de virada, na tarde deste domingo, no Morumbi.

O time carioca saiu na frente com Wellington Silva, ainda no primeiro tempo, mas a equipe paulista melhorou depois do intervalo, modificada por trocas de Fernando Diniz, e alcançou a vitória com gols de Brenner, Luciano e Vitor Bueno.

Com a vitória, o São Paulo ultrapassou o Flamengo e foi a 16 pontos. De quebra, colou no líder, já que o Inter empatou por 2 a 2 com o Bahia no Beira-Rio e subiu para 17. O Fluminense, com 11, ficou em sétimo.

O árbitro Paulo Roberto Alves Junior marcou um pênalti a favor do São Paulo e, poucos segundos depois, voltou atrás. O lance foi revisado no VAR. Veja como foi no vídeo.

São Paulo e Fluminense fizeram um jogo franco no primeiro tempo, com lances de lado a lado – e polêmica de arbitragem. O Fluminense, mesmo jogando fora de casa, conseguiu ser agressivo no ataque, aproveitando escapas de Wellington Silva e a distribuição de jogo de Nenê.

Leia Também:  Cumprindo mandado de prisão da Justiça do Estado do Pará Polícia de MT prende homem acusado de matar mulher a tiros em Itaituba PA

O meia chutou duas vezes – e foi parado por Tiago Volpi em ambas – aos 15 minutos. O São Paulo ameaçou com chutes de Igor Vinícius e Paulinho Boia, mas, com problemas de criatividade, não conseguiu pressionar o adversário como gostaria. E acabou punido em um erro técnico de Igor Vinícius.

O lateral-direito se perdeu no tempo da bola e permitiu que ela chegasse a Wellington Silva, que limpou a marcação e bateu forte para fazer 1 a 0. O primeiro tempo ainda teve uma consulta ao VAR em um lance em que o árbitro inicialmente marcou pênalti de Luccas Claro em Igor Vinícius, mas mudou de ideia ao ver que o bandeira havia assinalado o contrário. No fim, foi dada falta do lateral no zagueiro, com cartão amarelo para o são-paulino.

Fernando Diniz radicalizou no intervalo. Trocou três jogadores de uma vez só: entraram Juanfran, Igor Gomes e Brenner nos lugares de Igor Vinícius, Hernanes e Paulinho Boia. E a aposta deu muito certo: com oito minutos, o jogo estava virado, em grande parte graças a Brenner.

Leia Também:  Em "A Fazenda", Biel volta a falar de Duda: "Procuro ela em todas as meninas"

O atacante fez o gol do empate, após cobrança de escanteio de Igor Gomes e desvio de Léo. E fez a jogada do segundo, com uma arrancada e um chute na trave – que Luciano aproveitou no rebote. A vantagem quase foi ampliada, mas Juanfran mandou para fora. E aí foi a vez de Odair Hellmann tentar mudar o jogo, colocando Ganso, Fernando Pacheco e Luiz Henrique nos lugares de Michel Araújo, Marcos Paulo e Wellington Silva (lesionado). Mas o São Paulo continuou melhor e quase fez mais um em chute cruzado de Vitor Bueno. Luciano também perdeu boa chance ao concluir errado, por cima. E o terceiro gol acabou guardado para os 47 do segundo tempo, com chute de fora da área de Vitor Bueno.

 

Otavio Ventureli(da redação com GE)

Momento Destaque

Abatido, Governador Mauro Mendes fala sobre a estrondosa vaia que recebeu em discurso durante visita do Presidente Bolsonaro à Sinop MT e Sorriso MT

Publicados

em

Abatido, o Governador de Mato Grosso, Mauro Mendes(foto), falou nesta sexta-feira(18) sobre as estrondosas vaias que recebeu em Sinop MT e Sorriso MT, durante a visita do Presidente Jair Bolsonaro à Região.

O chefe de Estado afirmou que ter 30 pessoas o vaiando não muda nada em sua conduta. Além disso, o Mendes disse ainda que em meio  às vaias tinham muitos servidores públicos e cidadãos comum, o que se torna natural na visão dele, uma vez que, ele não tem intenção de agradar a todos os mato-grossenses. Vaia sempre foi um tormento para políticos.

“Não tenho a pretensão de agradar 100% dos mato-grossenses. Quem toma a decisão correta agrada alguns, mas desagrada outros. As minhas decisões sempre foram para a maioria. Quando se toma decisões para a maioria, desagrada uma minoria. Não se conserta um estado quebrado como estava Mato Grosso fazendo média”, desabafou Mendes.

Mauro Mendes destacou durante discurso que foi preciso tomar algumas decisões rígidas contra ruralistas, entre outras áreas, e que, muitos deles estavam hoje na frente do palanque o aplaudindo e afirmou que haviam servidores público no meio que o vaiaram. “Tive que tomar decisões duras contra os produtores, comércio e indústria. Hoje, os produtores que estavam na frente me aplaudiram o tempo todo. É obvio que no meio tinha muitos servidores, cidadãos comuns. Isso é natural. Gestão se faz para maioria. Se desagrada alguns, tem o direito de se manifestar”, disse.

Leia Também:  100 dias de seca, baixa umidade do ar e concentração de material orgânico, são responsáveis pelas queimadas no Pantanal, afirma Mauro Mendes

O governador justificou o protesto em Sinop e Sorriso dizendo que a população está revoltada por conta das medidas tomadas por ele nos últimos dias. “As pessoas estão vaiando pois tive que tomar medidas duras. Ter 30 pessoas me vaiando não muda em nada a minha conduta. Isso não me irritar”, concluiu.

Visita de Bolsonaro a MT

Em sua passagem pelo Mato Grosso nesta sexta (17), o presidente Jair Bolsonaro, ntregou títulos rurais e participou do lançamento da safra de soja 2020/2021.

Em discurso, Bolsonaro minimizou a dimensão das queimadas  que assolam os três biomas de Mato Grosso, atingindo quase 20% do Pantanal e que avança no Cerrado e na Amazônia. Em outro momento, voltou a fazer comentários polêmicos sobre a pandemia da Covid-19 e considerou “conversinha mole” o isolamento social ao destacar o setor do agronegócio por “não ter parado”. Ele parabenizou o Estado por não cumprir o isolamento social.

“Vocês não pararam durante a pandemia, vocês não entraram naquela conversinha mole de ‘fica em casa e a economia a gente vê depois’, isso é para os fracos. O vírus, eu sempre falei, era uma realidade e que tínhamos que enfrentá-lo perante aquilo que não podemos fugir”, disparou.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA