Momento Destaque

Trabalho: Secretaria Estadual de Saúde mostra ações do Governo de Mato Grosso junto à população para combater a pandemia em Cuiabá

Publicados

em

Por causa da pandemia do coronavírus, pelo segundo ano consecutivo a população não pode comemorar o aniversário de Cuiabá como gostaria. Para mitigar as consequências causadas pela doença, o Governo do Estado vem desenvolvendo uma série de ações na área da saúde.

UTIs

Por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), o Governo do Estado cofinancia, na capital, 160 leitos de UTI, para atendimento de pacientes com Covid 19. Deste total, 24 leitos estão sendo pagos integralmente pelo Estado, com custo diário de R$ 48 mil (R$ 2 mil por unidade), enquanto aguarda habilitação e autorização do Ministério da Saúde.

Com relação ao custeio dos outros 136 leitos, num total de R$ 272 mil diários, o Estado arca com R$ 54,4 mil, enquanto o Ministério da Saúde com R$ 217,6 mil.

Além disso, o Hospital Estadual Santa Casa conta com 209 leitos clínicos, 61 leitos de UTIs para adultos e 19 para pediatria e neonatal. Deste total, 65 leitos clínicos e 50 UTIs para adultos são exclusivos para tratamento de pacientes com Covid-19.

Leia Também:  Piscicultura tem grande potencial de expansão em Mato Grosso, aponta diagnóstico apresentado pela Sedec

Em números, o Governo do Estado repassou ao município, entre 2020 e 2021, R$ 45,3 milhões para o custeio de leitos de UTI utilizados exclusivamente para tratamento de pacientes com Covid 19. Além de um total R$ 298,7 milhões, entre 2019, 2020 e 2021, de repasses obrigatórios da área de saúde.

Por acordo de cessão de uso, foram emprestados à rede municipal de Saúde de Cuiabá 10 ventiladores pulmonares, utilizados para a abertura de novas UTIs pelo município.

Centro de Triagem

Uma das ações do Governo Estado para combater a pandemia e auxiliar nos atendimentos da população cuiabana, o Centro de Triagem da Covid-19, na Arena Pantanal, em Cuiabá, com investimento de cerca de R$ 1,2 milhão na estrutura do local, está há oito meses em funcionamento.

Neste período, foram atendidas quase 150 mil pessoas, das quais mais 25 mil testaram positivo para o novo coronavírus, mais de 76 mil tiveram resultado negativo e quase 40 mil apresentaram quadro suspeito da Covid-19.

Leia Também:  Preocupação do Governador Mauro Mendes é cuidar da população neste período angustiante de pandemia; no momento oportuno, reeleição

Também foram realizadas mais 10 mil tomografias e exames de avaliação dos pulmões, para auxiliar no diagnóstico e tratamento da doença.

Para o tratamento dos pacientes, que testaram positivo ou apresentaram a suspeita de coronavírus, a farmácia da unidade entregou cerca de 65 mil medicamentos. Os remédios são fornecidos após realização da consulta e prescrição médica.

Testes e medicamentos

Na capital, foram distribuídos pelo Governo do Estado, 48.560 testes rápidos, 44.378 swabs (cotonetes esterilizados utilizados para coleta de amostras), 36.134 tubos para coleta de material biológico e dois mil testes antígenos, usados na identificação de infecção atual de coronavírus.

Outros 15 mil testes antígenos estão previstos para Cuiabá, dentro de um total de 550 mil testes em aquisição pelo Governo do Estado.

Para combate à doença, foi repassado ao município um total de 61.555 comprimidos de azitromicina e 496.160 de dipirona, além de vários outros como atracúrio, cisatracúrio, rocurônio, midazolam, morfina e propofol.

 

 

Otavio Ventureli(da redação com assessoria)

Momento Destaque

Preocupação do Governador Mauro Mendes é cuidar da população neste período angustiante de pandemia; no momento oportuno, reeleição

Publicados

em

No decorrer da pandemia, o Governador do Estado de Mato Grosso, Mauro Mendes, tem afirmado reiteradamente que neste momento a sua maior preocupação é cuidar das pessoas acometidas do Coronavírus.

Assuntos relacionados a eleição do próximo ano ficam para outro momento. “vamos aliviar primeiro o sofrimento das pessoas infectadas por este vírus”, afirma o Governador.

Mas já começam a surgir políticos com pretensão em disputar a vice-governadoria no próximo ano ao lado do Chefe do Executivo de MT, Mauro Mendfes. É o caso da ex-Prefeita de Sinop MT, Rosana Martinelli,  que não pretende sair da política

Apesar do recuo na disputa pela reeleição ano passado por questões familiares, ela não esconde que está com folego total para enfrentar as urnas de novo em 2022. Rosana já recebeu convites de várias siglas, como o MDB, e é cotada para concorrer a cargos como deputada federal, estadual e até vice-governadora. Mas a decisão depende ainda de articulações e avaliação do cenário.

“Tem essa possibilidade de concorrer a vice-governadora ao lado de Mauro Mendes  e é o que eu gostaria, mas temos que construir a candidatura”, revelou ela ao  nesta quinta (22). Ela ainda lembrou que desde Iraci França foi eleita vice-governadora em 2002, Mato Grosso não tem uma mulher no cargo.

Leia Também:  Governo de Mato Grosso finaliza estrutura de seis pontes de concreto na região do Araguaia atendendo reivindicações de anos da população

Com boa avaliação, Rosana era considerada a favorita na corrida pela Prefeitura, mas recuou no dia seguinte do lançamento da candidatura alegando que precisava se dedicar à família. Em janeiro deste ano ela perdeu o marido, Osmar Martinelli, que desde 2004 recebia tratamento em homecare devido às sequelas de uma meningite que o deixou com paralisia motora.

“Foram momentos muito difíceis e ainda é, mas sinto que preciso continuar e não vou deixar a vida profissional de lado”, afirma.

Além do convite do líder do MDB, ela conta que também avalia convites do PSL e do Republicanos, de Adilton Sachetti. Contudo, ainda depende de conversas com o senador Wellington Fagundes (PL) e não descarta continuar no PL para disputar na chapa de Mauro, que deve ir à reeleição.

Mas Wellington ainda não decidiu se vai mesmo concorrer ao Senado ou se vai disputar, novamente, a eleição para o governo do estado. Na última eleição, em 2018, ele concorreu com Mauro e ficou em segundo lugar.

Leia Também:  Inquérito sobre jovem morta em discussão de trânsito é concluído e autor é indiciado por homicídio doloso

“Se ele (Wellington) for ao governo, podemos fazer essa análise sobre ir para o MDB ou outro partido. Mas se for ao Senado, podemos compor com o governador”, avalia.

Apesar de ter rompido com o deputado federal Juarez Costa (MDB) por discordar da candidatura dele à Prefeitura, Rosana não vê problemas em ser correligionária do ex-aliado. Ela entende que as diferenças foram pontuais e que o parlamentar pode ajudar a aumentar a representatividade da região Norte do estado.

“Não tenho nada pessoal contra ele. Naquele momento defendi que ele deveria continuar ajudando Sinop como federal e não voltar a ser prefeito. Ele não gostou da minha posição. Defendo que temos que ampliar a representatividade”.

 

 

Otavio Ventureli(da redação)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA