Momento Destaque

Sema e UFMT lançam livros sobre Estação Ecológica do Rio Ronuro

Publicados

em

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) e a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) lançaram dois livros sobre a Estação Ecológica (ESEC) do Rio Ronuro. O evento aconteceu na tarde de terça-feira (30.11) no auditório da Sema, Arne Sucksdorff, em Cuiabá. As obras abordam a biodiversidade, história e importância socioambiental da Unidade de Conservação Estadual.

O projeto começou em 2010, no Parque Ecológico do Cristalino, com o lançamento do livro em 2015. Estão sendo desenvolvidas atividades também no Parque Estadual do Xingu. “A tendência é que a gente possa lançar livros de todas as unidades de conservação do estado de Mato Grosso para fomentar o ecoturismo, geração de renda das comunidades vizinhas e ter um conhecimento de nossa biodiversidade”, explica o professor Domingos de Jesus Rodrigues, do campus da UFMT de Sinop.

O Livro sobre a Estação Ecológica do Rio Ronuro será distribuído inicialmente para as escolas da região, por meio de um trabalho de educação ambiental e universidades. Também estará disponível um link para ser baixado por PDF no site MT Ciência. “A importância deste tipo de trabalho é que se leva para comunidade informações que não são cientificas, porque o livro é passado para uma linguagem acessível ao público leigo”, pontua o professor, que é também um dos autores da obra.

Leia Também:  Dois adultos são presos com quatro diferentes tipos de drogas em Lucas do Rio Verde, além de R$ 4 mil

ESFORÇO CONJUNTO

A Secretária adjunta de Gestão Ambiental, Luciane Bertinatto, agradeceu o esforço conjunto para a concretização do trabalho, com Sema, por meio do corpo técnico da coordenadoria de Unidades de Conservação, professores da UFMT e os apoiadores financeiros entre eles o programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA), Ministério Público Estadual e Assembleia Legislativa, através do deputado Dilmar Dal Bosco.

“Foi um esforço de muitos para que pudéssemos ter hoje um material tão importante e tão rico de informação do que temos dentro da Estação Ecológica Rio Ronuro. As pessoas que estão ali no entorno conhecer de fato qual é a riqueza que se tem em biodiversidade naquele patrimônio”, afirmou Luciane.

O reitor da UFMT, Evandro Aparecido Soares da Silva, reforçou a importância da população ter acesso a esse material, ver o que ocorre em sua região. “É importante não apenas para o meio ambiente, mas para a sociedade, economia, política e desenvolvimento cientifico tecnológico. Fico feliz de ter várias entidades envolvidas na produção do livro, que formaliza um trabalho formidável dos pesquisadores do estado”.

Representando o Ministério Público, um dos principais órgãos apoiadores, o promotor de Justiça do MPE de Sinop, Pompilio Paulo Azevedo da Silva Neto, ressaltou que o órgão atua em defesa da sociedade e apoia obras que tais como essas promovem conhecimento e defesa do meio ambiente.  “Sempre que pudermos estaremos de mão dadas com a produção acadêmica e cientifica para atingir esse objetivo de produção de conhecimento”.

Leia Também:  Prefeito anuncia para quinta-feira (20) início da vacinação para crianças de 5 a 11 anos de idade

A ESEC Rio Ronuro está localizada em Nova Ubiratã. O secretário de meio ambiente do município, Nédio José Pedra Júnior, exaltou a sua importância para a região. “Nosso município recebe ICMS ecológico, um valor destinado por ter essa Estação Ecológica. O projeto é importante porque leva para as pessoas a biodiversidade e a importância de ter essa Unidade de Conservação que fomenta o turismo,  comercio local e diversas outras unidades produtivas”.

Também fizeram parte do dispositivo o deputado estadual Dilmar Dal Bosco, a superintendente de Biodiversidade da Sema, Gabriela Priante e a Gerente da ESEC Rio Ronuro, Josiane Godoy.

Biodiversidade da Estação Ecológica do Rio Ronuro – O livro tem 480 páginas dividido em 21 capítulos com informações em português e inglês. A publicação fala sobre a importância socioambiental da Unidade de Conservação e traz detalhes da flora e fauna local.

Espécies Arbóreas Estação Ecológica do Rio Ronuro –  O livro de 90 páginas é recheado de fotos e informações sobre a vegetação que compõe a Unidade de Conservação

Fonte: GOV MT

Momento Destaque

Aquisição de imóveis e locação de veículos eram utilizadas para lavar dinheiro de organização criminosa

Publicados

em

 

Há quase um ano começaram as investigações que culminaram na Operação Mandatário, deflagrada pela Força-Tarefa de Segurança Pública (FTSP-MT) para o cumprimento de 51 mandados judiciais que resultaram no sequestro de diversos bens móveis e imóveis, apreensão de dinheiro em espécie e joias e bloqueio de contas bancárias no valor de até R$ 5 milhões. As ordens judiciais foram cumpridas entre a segunda e esta terça-feira (18.01).

Entre os imóveis sequestrados estão um apartamento em edifício de alto pradrão e um prédio com 20 quitinetes. De acordo com a investigação conjunta realizada pela Polícia Civil e Polícia Federal em Mato Grosso, os imóveis e veículos sequestrados eram utilizados para lavar o dinheiro proveniente de atividades ilícitas praticadas por uma facção criminosa.

Os mandados expedidos pela 7ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá foram cumpridos em cidades dos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e miram integrantes do núcleo contábil e financeiro da maior facção criminosa presente em Mato Grosso. Seis investigados foram presos preventivamente e um em flagrante.

FORCA%20TAREFA%20PF%20E%20PC.jpg

Modo de agir

O nome da operação faz menção à pessoa de confiança de um dos líderes e tesoureiro da facção, já preso em unidade de Mato Groos e também alvo da operação.

Leia Também:  Prefeito anuncia para quinta-feira (20) início da vacinação para crianças de 5 a 11 anos de idade

O principal alvo da Operação Mandatário atuava como braço direito do tesoureiro e era responsável pela execução das ordens nas ruas, recolhimento de dinheiro, ou seja, atuava como mandatário do criminoso. Ele foi preso com mais de meio milhão de reais em espécie e se passava por advogado, mesmo sem ter concluído o curso de direito. Era responsável por recolher semanalmente o dinheiro em bocas de fumo e de outras atividades ilícitas. Depois era feita a contabilidade dos valores e o lucro distribuído entre os líderes da organização criminosa.

De acordo com o delegado da Polícia Civil de Mato Grosso, Frederico Murta, um dos responsáveis pela investigação, a força-tarefa chegou também a outros alvos, entre eles um contador e empresários, que atuavam na lavagem, camuflagem e aplicação do dinheiro da organização criminosa.

O contador era responsável pela abertura de empresas utilizadas para lavar o dinheiro da facção e fornecia contas bancárias para que que os criminosos pudessem fazer movimentações rápidas, a fim de não deixar vestígios que pudessem atrair a fiscalização. As empresas eram criadas para movimentar vultosas quantias de dinheiro e logo depois, encerradas, com o intuito de burlar a investigação. Quando os órgãos de fiscalização detectavam as movimentações atípicas, as empresas já estavam encerradas.

Outra modalidade exercida pela organização criminosa para a lavagem do dinheiro era a locação e compra e venda de veículos, que eram adquiridos em nome de terceiros, inclusive advogados. Com a operação, foram sequestrados 15 veículos de diversos modelos.

Leia Também:  Batalhão Ambiental e Juvam apreendem 98 quilos de pescado ilegal no Rio Paraguai

Conforme a Força-Tarefa neste período de quase um ano de investigação, foi apurado que a organização também lavava o dinheiro com a aquisição de patrimônio, entre eles imóveis, como casas e apartamento. Entre os imóveis sequestrados estão um apartamento em um edifício de alto padrão e um prédio com 20 quitinetes.

Sequestro de bens e apreensões

Além dos veículos, foram sequestrados sete imóveis e efetuadas 10 ordens de bloqueio de contas bancárias e de investimentos totalizando um valor estimado em cerca de R$ 10 milhões de reais.

Foram cumpridos ainda 12 mandados de busca e apreensão em residências, empresas e em um escritório de contabilidade. Durante as buscas, além de documentos, foram apreendidos uma arma de fogo, joias de alto valor e mais de meio milhão de reais em espécie.

Força-Tarefa

É composta em Mato Grosso pela Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal e Sistema Penitenciário e tem por objetivo realizar a atuação conjunta e integrada no combate ao crime organizado no estado.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA