Momento Destaque

Suspeita de roubalheira: MPE investiga contrato de R$ 15 milhões para enfermeiros da linha de frente; prefeitura da Capital, nega

Publicados

em

O Ministério Público de Mato Grosso (MPE) abriu investigação para verificar possível ato de improbidade administrativa em contrato de R$ 15 milhões firmado entre a Empresa Cuiabana de Saúde Pública e a Valoriza Cooperativa de Enfermagem do Estado de Mato Grosso.

A prefeitura, como sempre,  nega irregularidades  através de uma notinha e aguarda notificação para prestar esclarecimentos.

Portaria, assinada no dia 18 de fevereiro pelo promotor de Justiça Célio Fúrio, esclarece que o acordo, com validade de 180 dias, foi firmado para contratações de enfermeiros e técnicos em enfermagem. Os profissionais deveriam atuar no Hospital Municipal São Benedito especificamente no enfrentamento da covid-19.

As irregularidades apontadas são: contratação ilegal de cooperativa e de serviços terceirizados destinados à atividade-fim; descumprimento de decisão judicial; capital social insuficiente para a contratação; possível sobrepreço; e ausência de transparência.

Constam como alvos do inquérito a Empresa Cuiabana de Saúde Pública, representada pelos diretores Célio Rodrigues da Silva e Alexandre Beloto Magalhães de Andrade, além da Valoriza Cooperativa de Enfermagem do Estado de Mato Grosso.

Leia Também:  Capital do crime: Em Cuiabá, bando usa farda da Polícia Militar para assaltar joalheria; flagrados, bandidos conseguiram fugir num carro preto

O MPE determinou que seja oficiado à Procuradoria-Geral de Cuiabá, ao diretor geral da Empresa Cuiabana e ao diretor do Hospital Municipal São Benedito, para que encaminhem cópia integral da dispensa de licitação e do contrato, além de todo processo de liquidação de despesa.

A Valoriza deve encaminhar cópia de seu ato constitutivo, dentre outros documentos hábeis a comprovar sua existência e funcionamento.

Outro lado

Em relação a ação movida pelo Ministério Público Estadual (MPE), a Empresa Cuiabana de Saúde, informa que:

– Ainda não foi notificada sobre o processo e, assim que isso ocorrer, se manifestará e responderá todos os questionamentos que forem necessários.

– Não houve quaisquer irregularidades na contratação da empresa Valoriza Cooperativa, lembrando ainda que a Lei permite à contratação emergencial em situação de pandemia.

 

 

Otavio Ventureli(da redação com MPE)

Momento Destaque

Preocupação do Governador Mauro Mendes é cuidar da população neste período angustiante de pandemia; no momento oportuno, reeleição

Publicados

em

No decorrer da pandemia, o Governador do Estado de Mato Grosso, Mauro Mendes, tem afirmado reiteradamente que neste momento a sua maior preocupação é cuidar das pessoas acometidas do Coronavírus.

Assuntos relacionados a eleição do próximo ano ficam para outro momento. “vamos aliviar primeiro o sofrimento das pessoas infectadas por este vírus”, afirma o Governador.

Mas já começam a surgir políticos com pretensão em disputar a vice-governadoria no próximo ano ao lado do Chefe do Executivo de MT, Mauro Mendfes. É o caso da ex-Prefeita de Sinop MT, Rosana Martinelli,  que não pretende sair da política

Apesar do recuo na disputa pela reeleição ano passado por questões familiares, ela não esconde que está com folego total para enfrentar as urnas de novo em 2022. Rosana já recebeu convites de várias siglas, como o MDB, e é cotada para concorrer a cargos como deputada federal, estadual e até vice-governadora. Mas a decisão depende ainda de articulações e avaliação do cenário.

“Tem essa possibilidade de concorrer a vice-governadora ao lado de Mauro Mendes  e é o que eu gostaria, mas temos que construir a candidatura”, revelou ela ao  nesta quinta (22). Ela ainda lembrou que desde Iraci França foi eleita vice-governadora em 2002, Mato Grosso não tem uma mulher no cargo.

Leia Também:  Denúncias de privilégios concedidos pela família Cestari à matadora de Isabele cria clima de rebelião entre detentas no Pomeri em Cuiabá

Com boa avaliação, Rosana era considerada a favorita na corrida pela Prefeitura, mas recuou no dia seguinte do lançamento da candidatura alegando que precisava se dedicar à família. Em janeiro deste ano ela perdeu o marido, Osmar Martinelli, que desde 2004 recebia tratamento em homecare devido às sequelas de uma meningite que o deixou com paralisia motora.

“Foram momentos muito difíceis e ainda é, mas sinto que preciso continuar e não vou deixar a vida profissional de lado”, afirma.

Além do convite do líder do MDB, ela conta que também avalia convites do PSL e do Republicanos, de Adilton Sachetti. Contudo, ainda depende de conversas com o senador Wellington Fagundes (PL) e não descarta continuar no PL para disputar na chapa de Mauro, que deve ir à reeleição.

Mas Wellington ainda não decidiu se vai mesmo concorrer ao Senado ou se vai disputar, novamente, a eleição para o governo do estado. Na última eleição, em 2018, ele concorreu com Mauro e ficou em segundo lugar.

Leia Também:  Preocupação do Governador Mauro Mendes é cuidar da população neste período angustiante de pandemia; no momento oportuno, reeleição

“Se ele (Wellington) for ao governo, podemos fazer essa análise sobre ir para o MDB ou outro partido. Mas se for ao Senado, podemos compor com o governador”, avalia.

Apesar de ter rompido com o deputado federal Juarez Costa (MDB) por discordar da candidatura dele à Prefeitura, Rosana não vê problemas em ser correligionária do ex-aliado. Ela entende que as diferenças foram pontuais e que o parlamentar pode ajudar a aumentar a representatividade da região Norte do estado.

“Não tenho nada pessoal contra ele. Naquele momento defendi que ele deveria continuar ajudando Sinop como federal e não voltar a ser prefeito. Ele não gostou da minha posição. Defendo que temos que ampliar a representatividade”.

 

 

Otavio Ventureli(da redação)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA