Momento Destaque

Tragédia na aldeia: India de apenas 14 anos é morta com um tiro supostamente acidental no rosto desferido pelo marido de 19 anos

Publicados

em

Uma Índía identificada como Beatriz Morimã Tukumã, 14, foi morta com um tiro no rosto nesta terça-feira (24), disparado pelo marido, também indígena de 19 anos, na aldeia Mayrob, que fica 70 km da cidade de Juara, em Mato Grosso.

O suspeito foi preso em flagrante pelo crime de homicídio e alegou que ‘não sabia que a arma estava carregada’.

De acordo com as informações, a Polícia Civil foi acionada pela enfermeira da aldeia, que foi comunicada que a menor foi atingida por um tiro e que estava ferida. Mas, ao chegar no alojamento da aldeia, Beatriz já estava sem vida.

Ainda assim, ela foi encaminhada para uma unidade médica, onde a morte foi confirmada. Ela estava com marca de tiro no rosto, deflagrado por uma espingarda calibre 32, apreendida pelos investigadores.

A Polícia deu voz de prisão ao marido da vítima, que tem 19 anos e também é indígena. Ele afirmou ao delegado Carlos Henrique Engelman que acreditava que a arma estava descarregada. Além disso, declarou que não tinha intenção de ferir ou matar a menina.

Leia Também:  Polícia civil investiga tentativa de execução contra casal de namorados registrada na noite deste domingo em Nova Mutum MT

Ele contou ainda que os dois estavam casados há um ano. A aldeia fica 70 km da cidade e o acesso é por um trecho de 50 km de estrada de terra e uma hora pelo rio. O suspeito ficou preso e foi autuado pelo crime de homicídio.

 

 

Otavio ventureli(da redação com PJC )

Momento Destaque

Policial penal supostamente membro do CV é preso em flagrante ao tentar entrar com celulares e dinheiro em cadeião feminino

Publicados

em

Um policial penal, de 39 anos, foi preso em flagrante, na manhã de ontem(18), com 14 celulares, 13 fones de ouvido, sete carregadores e uma bateria, além de mais R$ 1,8 mil, que eram para ser entregues na cadeia feminina de Rondonópolis MT.

O crime foi flagrado após informações do  Núcleo de Inteligência do Presídio da Mata Grande. Uma equipe de policiais penais conseguiu realizar o flagrante dentro da cadeia feminina. A princípio, o suspeito estava em posse de dois celulares, quatro carregadores e dois fones de ouvidos embalados em saco plásticos. Dentro de uma bolsa com mais R$ 1,8 mil.

Durante a revista, foi o próprio suspeito quem abriu a bolsa para que fosse revistado. Uma outra busca foi feita no carro dele, onde havia mais sete celulares, dois carregadores e vários fones de ouvidos. Na parte debaixo do veículo, mais cinco celulares foram achados, bem como um carregador e fones. Tudo foi filmado.

Em depoimento, o policial penal afirmou que parte dos aparelhos seriam entregues na penitenciária feminina e outros na Mata Grande.

Leia Também:  Governo Federal começa na manhã desta segunda a distribuição da vacina contra a Covid para todo o Brasil. A relação por Estado está aqui

Os telefones eram jogados na parte debaixo do carro durante o seu plantão e ele recolhia os aparelhos, na sequência, depois ingressava no interior das unidades e fazia a distribuição. Há informações de que os celulares seriam entregues para uma reeducanda batizada como “Glock”. Segundo investigações, ela é membro do Comando Vermelho.

Celular do servidor foi apreendido e passará por perícia, pois a  polícia vai investigar agora o envolvimento dele com o Comando Vermelho, facção que lidera ações criminosas dentro e fora dos presídios em Mato Grosso.

A Sesp informou por meio da Adjunta de Administração Penitenciária que a prisão ocorreu após denúncia anônima e monitoramento. Mas não falou se abrirá processo para investigar a conduta do servidor.

 

 

Otavio Ventureli(da redação com assessoria)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA