Momento Destaque

Três estelionatários foram presos quando tentavam compensar um cheque clonado de R$ 49 milhões de uma empresa de Goiás em agência bancária

Publicados

em

Dois homens e uma mulher foram presos quando tentavam  compensar um cheque clonado de R$ 49,3 milhões em uma agência bancária no Bairro de Fátima, em Fortaleza, nesta terça-feira (22).

O cheque tinha a assinatura falsa do gerente executivo de um banco de São Paulo. Os três foram presos em flagrante na agência bancária.

De acordo com o delegado Carlos Teófilo, da Delegacia de Defraudações e Falsificações, dois dos três suspeitos tentaram inicialmente aplicar um golpe na agência bancária no valor de R$ 1 milhão, usando um contrato falso. Eles são pai e filha.

Em seguida, um terceiro homem, da mesma família, se juntou aos dois solicitando a compensação do cheque de R$ 49 milhões. Eles disseram que o dinheiro havia sido adquirido em trabalhos feitos para várias empresas.

Os suspeitos foram autuados pelos crimes de falsidade ideológica, falsificação de documento, uso de documento falso e tentativa de estelionato.

Conforme o delegado que investiga o caso, os três procuraram a agência bancária solicitando a transferência de R$ 49,3 milhões, que seriam distribuídos em várias contas bancárias. O gerente do banco achou inicialmente que distribuição do dinheiro seria feita através de transferência. Os suspeitos, no entanto, apresentaram um cheque, o que gerou a suspeita de fraude por parte do gerente.

Leia Também:  Trio de idosos com idades entre 61 e 70 anos foi preso após condenado pelo crime de estupro de vulnerável ocorrido entre 2013 e 2018

“Ao receber esse cheque, o gerente já imaginou que se tratava de uma fraude e entrou em contato com a delegacia de defraudações”, conta o delegado.

O gerente também informou ao policial que o cheque estava em nome de uma empresa cuja proprietária é de Goiás. O delegado investiga se a mulher foi vítima dos suspeitos.

“Eles imaginaram que, com o banco aqui em Fortaleza vendo um cheque com a assinatura do gerente executivo do banco de São Paulo, conseguiriam sem nenhum problema obter essa quantia”, relata o delegado.

Os suspeitos teriam feito o contrato falso como forma de mostrar que havia clareza na negociação que eles tinham feito, segundo o delegado.

Fraude em empresa de Goiás

A polícia acredita que os suspeitos conseguiram dados da empresária goiana proprietária dos R$ 49 milhões, e os três estavam usando o nome da empresa de forma criminosa.

“O objetivo deles era de colocar, repassar, transferir esses valores para diversas contas. A história era que um milhão ia para conta da empresa da dupla, e o restante queriam que fosse transferido para diversas outras contas”, diz Teófilo.

Leia Também:  Pesquisadora da Fiocruz não acredita que Brasil terá vacina este ano

A polícia não conseguiu identificar outros suspeitos de envolvimento no crime pelo fato de o trio não ter repassado dados de outras contas bancárias para transferências.

“Esse cheque é falso. O papel não é verdadeiro, ele não foi emitido pelo banco. É um cheque materialmente falso”, afirma o delegado.

Otavio Ventureli(da redação com ascom)

Momento Destaque

Botafogo não consegue traduzir em gols sua superioridade perde a chance de subir na tabela do Brasileirão e empata com o Goiás no Engenhão

Publicados

em

O Botafogo criou, mas parou em uma parede chamada Tadeu. Na noite desta segunda-feira(19), o Alvinegro empatou sem gols com o Goiás, em partida válida pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, no Estádio Nilton Santos. O goleiro do Esmeraldino foi o grande destaque do duelo.

O resultado não é bom para nenhuma das equipes. O Botafogo chegou a 19 pontos e subiu para a 14ª posição, mas ainda está a três pontos do Athletico Paranaense, primeiro time na zona de rebaixamento. O Goiás, por sua vez, tem 11 e continua na última colocação.

O Goiás volta a entrar em campo no próximo sábado. O Esmeraldino viaja para enfrentar o Red Bull Bragantino no Nabi Abi Chedid às 17h, pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro. O próximo compromisso do Botafogo será apenas na terça-feira da semana que vem: partida de ida das oitavas de final contra o Cuiabá, às 21h30, no Estádio Nilton Santos.

O panorama do que seria o primeiro tempo ficou claro desde os primeiros minutos da partida: um Goiás postado na defesa, com os onze jogadores atrás do círculo central e o Botafogo assumindo a posse de bola e tentando assumir o protagonismo das ações da partida.

Leia Também:  Trio de idosos com idades entre 61 e 70 anos foi preso após condenado pelo crime de estupro de vulnerável ocorrido entre 2013 e 2018

O Botafogo teve mais de 65% de posse de bola em praticamente todo o primeiro tempo. O desafio foi furar o bloqueio criado pela equipe esmeraldina, que defendia-se com cinco jogadores à frente da área.

Nas raras oportunidades que o Botafogo passou por essa muralha, encontrou outro obstáculo para balançar as redes: Tadeu. Em uma jogada, o goleiro parou uma cabeçada de Pedro Raul com uma intervenção espetacular. Em outra, defendeu uma finalização de média distância de Rhuan com uma defesa de mão trocada. O camisa 1 foi o responsável pelo primeiro tempo sem gols.

 

 

Otavio Ventureli(da redação)

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA