Momento Economia

Após atrito com Rogério Marinho, Guedes vai a churrasco no Alvorada

Publicados

em


source

Brasil Econômico

Marinho e Guedes
Marcos Corrêa/PR e José Cruz/Agência Brasil

Marinho e Guedes trocaram farpas em Brasília

Após desentendimentos  Rogério Marinho,  ministro do Desenvolvimento Regional, o ministro da Economia, Paulo Guedes, foi um dos convidados para um churrasco promovido, neste sábado (3), pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Palácio da Alvorada.

O churrasco de hoje aconteceu um dia depois da briga pública entre Guedes e Marinho. De acordo com a assessoria de Marinho, ele foi convidado para o almoço, mas preferiu permanecer em São Paulo.

A troca de acusações na última sexta-feira (2) expôs mais uma das divergências no governo em torno do programa Renda Cidadã. A tensão aumentou no governo e há expectativa de que o presidente Bolsonaro se posicione em relação à disputa em entre os seus dois ministros.

Leia Também:  Movimento cobra que PagSeguro bloqueie Olavo de Carvalho; entenda

Paulo Guedes disse não acreditar que o colega de Esplanada, Rogério Marinho, tenha falado mal dele em reunião fechada com investidores. Porém, disse Guedes, se falou, Marinho é “despreparado”, “desleal” e “fura-teto”.

Guedes se referia a reportagem do serviço Broadcast, do jornal “Estadão”, que publicou uma matéria sobre Marinho ter tido um encontro fechado com investidores. Marinho teria afirmado que o ministro da Economia foi o autor da proposta, rechaçada pelo próprio Guedes, de usar recursos de precatórios (dívidas do governo já reconhecidas pela Justiça) para financiar o programa Renda Cidadã.

Marinho teria afirmado que o Renda Cidadã “sai por bem ou por mal” e que “a dor pode ser furar o teto mesmo”, em referência ao teto de gastos, que limita as despesas públicas.

Propaganda

Momento Economia

Ministra da Agricultura diz que nova safra pode reduzir preço do arroz

Publicados

em


A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, disse hoje (29) que o preço do arroz poderá ser reduzido com a chegada da nova safra, em janeiro. A ministra participou da live do presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais e explicou as medidas que foram tomadas para conter o preço do produto nas prateleiras dos supermercados. 

Tereza Cristina explicou que a pandemia da covid-19 desequilibrou o mercado de grãos em todo o mundo. Segundo a ministra, a pandemia provocou aumento no consumo do produto pelos brasileiros e o preço aumentou. Para conter o aumento, o Brasil autorizou a importação da Guiana e do Paraguai para equilibrar o mercado. 

“No mundo houve um desequilíbrio em vários preços dos produtos das commodities. O arroz foi um desses. Nós passamos a comer mais arroz, o auxílio emergencial fez também o aumento dessa demanda. Nós, em setembro, tiramos o imposto de importação, ele parou de subir e hoje tem ligeira queda. Vamos ter nova sofra chegando em janeiro e os preços vão reduzir”, afirmou a ministra. 

Plano Safra

A ministra também informou que todos os recursos previstos no Plano Safra deste ano foram contratados e estão sendo investidos pelo setor agrícola, por exemplo, na construção de instalações para produção de aves, suínos e confinamento de gado. 

Leia Também:  Brasil tem saldo positivo de empregos formais por terceiro mês seguido

“O Plano Safra foi um sucesso e hoje nós temos um bom problema, porque o dinheiro de investimento já terminou praticamente”.

A ministra disse ainda que os recursos do plano também estão sendo utilizados na agricultura familiar. Além disso, vários títulos de regularização de terras já foram entregues para produtores rurais que fazem parte do programa. 

“Nós estamos trabalhando para fazer assistência técnica, e o dinheiro do Plano Safra foi muito maior para esse público da pequena agricultura”.

Edição: Liliane Farias

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA