Momento Economia

Auxílio: Caixa paga nova parcela a 5,8 milhões nesta quarta; confira quem recebe

Publicados

em


source
Auxílio
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Confira os grupos que irão receber os pagamentos nesta quarta-feira

Nesta quarta-feira (29), a Caixa Econômica Federal realiza novos pagamentos das parcelas do auxílio emergencial . Entre os contemplados, estão 3,9 milhões de trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app nascidos em março e 1,9 milhão de beneficiários do programa Bolsa Família com NIS final 8.

Para estes primeiro 3,9 milhões, os pagamentos ocorrerão da seguinte forma: aprovados no primeiro lote recebem a quarta parcela do auxílio , aprovados no segundo lote recebem a terceira parcela, aprovados no terceiro e no quarto lotes recebem a segunda parcela, enquanto os aprovados no lote extra recebem o primeiro pagamento.

Já os cerca de 1,9 milhão de beneficiários do Bolsa Família recebem a quarta parcela do auxílio emergencial no valor de R$ 600 ou R$ 1.200 (para as mães chefes de família). O saque pode ser feito com o cartão original do programa.

Leia Também:  Governo registra 2,9 milhões de acordos para estender suspensão de contratos

A Caixa Econômica Federal, responsável pelo pagamento do benefício, encerrará esse calendário no próximo dia 31, sexta-feira, para aqueles com NIS de final 0.

Segundo o Ministério da Cidadania, em julho, a folha de pagamento do programa social atingiu a marca 14,283 milhões de famílias atendidas, das quais mais de 13,579 milhões receberam o auxílio emergencial.

Outras 704.125 famílias permaneceram na folha de pagamento regular do programa — por terem benefício maior do que a ajuda dada pelo governo em razão da pandemia.

Veja as datas da 4ª parcela do Bolsa Família

  • NIS com final 1 – 20 de julho
  • NIS com final 2 – 21 de julho
  • NIS com final 3 – 22 de julho
  • NIS com final 4 – 23 de julho
  • NIS com final 5 – 24 de julho
  • NIS com final 6 – 27 de julho
  • NIS com final 7 – 28 de julho
  • NIS com final 8 – 29 de julho
  • NIS com final 9 – 30 de julho
  • NIS com final 0 – 31 de julho
Leia Também:  Instituto abre 840 vagas para curso profissionalizante gratuito em SP

Mais tempo para sacar o dinheiro

Na semana passada, o governo federal decidiu prorrogar o prazo de validade dos benefícios do Bolsa Família, em razão da pandemia. Com isso, os beneficiários ganham mais tempo para sacar o dinheiro. A possibilidade de saque, portanto, vai durar enquanto estiver em vigor o estado de calamidade pública nacional, em decorrência do coronavírus. Por isso, não é preciso correr para fazer a retirada.

Antes, o dinheiro ficava disponível por até 90 dias. Após esse prazo, se não fosse retirada, a quantia retornava para os cofres públicos.

“A prorrogação vale para todas as parcelas do Bolsa Família pagas que ainda estejam válidas, segundo o calendário de pagamentos e o calendário operacional do programa”, informou o Ministério da Cidadania, acrescentando que o objetivo é evitar aglomerações e formação de filas nas agências da Caixa Econômica Federal, nas casas lotéricas e nos correspondentes Caixa Aqui, que são pagadores do benefício.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Momento Economia

Receita deflagra operação contra venda de vinhos irregulares e sonegação

Publicados

em


source
vinho irregular receita mg
Receita Estadual/MG

Operação deflagrada pela Receita encontrou vinhos e bebidas irregulares que eram comercializadas

A Receita Estadual de Minas Gerais deflagrou na manhã desta terça-feira (11/08) uma operação contra vinhos ilegais, batizada de “In vino veritas”, que combate irregularidades na comercialização de bebidas alcoólicas em dez municípios de Minas Gerais e ainda no Rio de Janeiro, em Goiás e no Distrito Federal. Os alvos são 35 empresas atacadistas que distribuem vinhos para supermercados, bares, restaurantes, lojas de conveniência e lojas especializadas na comercialização de nacionais e importados.

A operação começou com a identificação do recolhimento de ICMS em volume incompatível com o faturamento das empresas e outros dados investigados pelo Fisco em Minas Gerais. As investigações iniciais apontam que foram sonegados cerca de R$ 10 milhões em um ano e meio.

Leia Também:  Governo SP disponibiliza R$ 70 milhões em créditos para empreendedores

“Algumas empresas vendiam mais de R$ 1 milhão por mês e tinham recolhimento de impostos bem inferior ao devido. Como todo esquema de sonegação, o dinheiro ia para as contas dos fraudadores, prejudicando o Estado e os cidadãos”, analisou o auditor fiscal da Receita Estadual, Leonardo Drumond.

Localizadas em Belo Horizonte , Contagem, Nova Lima, Santa Luzia, Vespasiano, São José da Lapa, Ribeirão das Neves, Fronteira, Piumhi, Paracatu, Duque de Caxias (RJ), Novo Gama (GO) e Brasília, as empresas tiveram seus documentos apreendidos e arquivos de computadores copiados pelas equipes da Receita Estadual que agiram na operação. Com isso, será checado se existiam valores acertados “por fora” nas operações de compra e venda das bebidas para que as notas fiscais tivessem preço inferior ao que era pago pelas mercadorias de fato.

Ronaldo Marinho, diretor de Fiscalização da Receita Estadual, disse que também são apurados pela investigação outros artifícios que seriam usados pelas empresas para reduzir o valor do imposto .

“Além de serem cobrados pelo ICMS não pago, os operadores e sócios das empresas fraudadoras estão sujeitos a implicações penais, em razão dos crimes cometidos. Após a auditoria de todo o material apreendido, o caso será encaminhado para o Ministério Público tomar as devidas providências”, concluiu.

Leia Também:  A economista que defende uma mudança do capitalismo para o mundo pós-pandemia

A operação teve participação de 83 servidores da Receita Estadual e contou com apoio da Polícia Civil de Minas Gerais.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA