Momento Economia

Auxílio emergencial “em processamento”? Saiba o que fazer

Publicados

em


source
processamento do público do Bolsa Família deverá acabar no início da semana que vem.
O Dia

processamento do público do Bolsa Família deverá acabar no início da semana que vem.

Dois dias após a liberação dos primeiros pagamentos do auxílio emergencial , brasileiros ainda enfrentam dificuldades em ter acesso aos recursos . Ontem, o governo afirmou que não concluiu a análise de todos os trabalhadores, e que quem encontra a mensagem “ em processamento ” no aplicativo Caixa Tem ainda pode receber os recursos.

A Dataprev afirmou que a conclusão da análise dos benefícios retidos de quem está inscrito no CadÚnico está prevista para ocorrer até amanhã. Já o processamento do público do Bolsa Família deverá acabar no início da semana que vem.

Segundo a Dataprev, empresa que faz o processamento de dados para o governo, o status “em processamento” no Portal de Consultas do Auxílio Emergencial indica que o requerimento foi processado e retido pelo ministério para reprocessamento com dados mais atuais.

“Serão utilizados os cadastros com informações mais recentes, sobretudo considerando a possibilidade de perda de emprego e renda em meio à pandemia”, afirmou o órgão, em nota.

O Ministério da Cidadania, órgão gestor do programa, afirmou que o balanço dos resultados referentes à primeira parcela do Auxílio Emergencial 2021 será divulgado após o término do processamento de todos os lotes (remanescentes dos retidos e público do Bolsa Família), em função das possíveis alterações dos resultados em virtude do reprocessamento dos cadastros.

Troca de telefone Nos últimos dias, trabalhadores tiveram dificuldades para desbloquear o aplicativo Caixa Tem, único meio atual de utilização do pagamento, e formaram filas nas agências da Caixa Econômica Federal.

Você viu?

De acordo com o banco, para segurança do próprio usuário, o aplicativo Caixa Tem aceita apenas o cadastro de uma conta por número de celular (chip) e até duas por dispositivo. O não cumprimento dessas orientações leva ao bloqueio.

Tire suas dúvidas Troquei de celular e meu app está bloqueado. O que houve? A Caixa vincula o cadastro ao número do celular e permite apenas um cadastro por código ou o login na mesma conta em até dois dispositivos móveis diferentes. Os beneficiários que usam vários chips de linhas pré-pagas e têm CPFs vinculados em diversos números de telefone, serão os principais atingidos pela medida de segurança.

Leia Também:  Paulo Guedes: "O Brasil foi derrubado pela pandemia, mas se levantou"

Como faço pra desbloquear o aplicativo da Caixa? A Caixa recomenda aos usuários que tiveram a conta bloqueada entrar em contato com a central telefônica 111 para o desbloqueio. E reforça que o problema não será resolvido nas agências.

Recebi a mensagem “em processamento”, e agora? Essa mensagem aparece para os benefícios que começaram a ser analisados esta semana. É preciso esperar o resultado e acompanhar pelo app. DataPrev está analisando.

Preciso ficar na fila da agência? Nesse momento, não há saque dos recursos. É possível tirar dúvida pelo 111 ou no site da Caixa.

Que valor vou receber? Por mês, são R$ 150 para quem mora sozinho, 250. Para famíllias e R$ 375 para mulheres chefes de família.

Propaganda

Momento Economia

BC aprova obrigatoriedade dos bancos ofertarem Pix por agendamento

Publicados

em


A partir de 1º de setembro, as instituições financeiras serão obrigadas a oferecer o serviço do Pix Agendado, que é a possibilidade de o usuário pagador marcar o procedimento para uma data futura com o uso da chave Pix ou dados bancários de quem vai receber o dinheiro. A Diretoria Colegiada do Banco Central aprovou a nova alteração no Regulamento do Pix, anexo à Resolução nº 1, de 2020.

Desde o lançamento do Pix, o serviço de transferência instantânea do Banco Central (BC), em 16 de novembro de 2020, essa é uma funcionalidade facultativa. De acordo com o BC, o prazo de 1º de setembro é razoável para que todas as instituições façam os ajustes necessários no sistema e interfaces (aplicativos e internet banking). Tal medida visa ampliar ainda mais a comodidade dos pagadores, garantindo que todos os usuários, independentemente da instituição em que tenham conta, possam agendar um Pix, explicou o banco, em comunicado.

As instituições bancárias também ganharam mais prazo para se adequar ao Pix Cobrança, que será lançado em 14 de maio. A ferramenta permitirá cobranças com vencimento em datas futuras por meio da geração de um QR Code (versão avançada do código de barras).

Leia Também:  Trabalhadores em situação análoga à escravidão são resgatados de carvoaria

A regra estabelece que as instituições participantes do Pix que não conseguirem proporcionar a experiência completa de pagamento (leitura do QR Code e pagamento em data futura) no período de 14 de maio a 30 de junho, terão que, no mínimo, possibilitar a leitura e o pagamento na data da leitura do código, com todos os encargos e abatimentos calculados corretamente. De acordo com o BC, será um período transitório, que dará às instituições tempo adicional para finalizar as alterações nos sistemas.

A partir de 1º de julho, então, todos os participantes precisarão ser capazes de fazer a leitura do QR Code e também possibilitar o pagamento deste para data futura.

O BC destacou que, desde o lançamento do Pix é possível fazer a leitura de QR Code para pagamentos imediatos. “Já a oferta do Pix Cobrança (geração das cobranças com Pix e demais funcionalidades associadas a gestão das cobranças) é facultativa aos participantes, sendo obrigatória apenas a oferta de serviço de geração de QR Code estático aos usuários recebedores pessoa natural”, explicou o BC.

A implementação do Pix Cobrança já foi adiada em outras ocasiões [https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2021-03/bc-altera-para-14-de-maio-implementacao-do-pix-cobranca].

Auxílio emergencial

Por fim, o BC aprovou a medida que garante que, a partir de 30 de abril, recursos recebidos do auxílio emergencial 2021 poderão ser movimentados por Pix. A única exceção será para os casos de transferência para conta de mesma titularidade. Segundo a instituição, tal excepcionalidade é necessária para a proteção dos usuários, uma vez que esses recursos não podem ser objeto de descontos ou de compensações que impliquem a redução do valor do auxílio.

Leia Também:  Caixa paga auxílio emergencial a nascidos em agosto

Sistema de pagamentos instantâneos do BC, o Pix permite a transferência de recursos entre contas bancárias 24 horas por dia. As transações são executadas em até 10 segundos, sem custo para pessoas físicas. Para usar o Pix, o correntista deve ir ao aplicativo da instituição financeira e cadastrar as chaves eletrônicas, que podem seguir o número do celular, o e-mail, o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), para pessoas físicas ou o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), para empresas.

O usuário também pode gerar uma chave aleatória, com um código de até 32 dígitos ou mesmo usar os dados da conta. Cada chave eletrônica está associada a uma conta bancária. Pessoas físicas podem ter até cinco chaves por conta. Para pessoas jurídicas, o limite sobe para 20.

Edição: Nádia Franco

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA