Momento Economia

Bitcoin bate valor histórico após aprovação do seu primeiro ETF nos EUA

Publicados

em


source
Coincidência? Primeiro ETF de Bitcoin (BTC) é aprovado nos EUA e BTC bate valor histórico de US$ 65 mil

Esta semana, o mercado de criptomoedas viu seu primeiro ETF (Exchange Traded Fund) entrar em operação nos Estados Unidos. A conquista, considerada um marco histórico, foi comemorada por representar sinais de amadurecimento e institucionalização no mercado.

Dessa forma, na opinião de Orlando Telles, diretor de research da Mercurius Crypto, casa de pesquisa em criptoativos, esse novo instrumento de investimento, disponível para os investidores norte-americanos, também representa uma possibilidade de alta no valor do Bitcoin.

Vale lembrar que, um dia depois, a criptomoeda mais famosa do mundo chegou a bater US$ 65 mil, tendo seu maior valor histórico e uma valorização de 100% no ano.

Veja como o ETF norte-americano de Bitcoin pode impactar no valor da criptomoeda mais famosa do mundo e o que se pode esperar para o mercado de criptoativos nos próximos meses:

Leia Também

Influência ou coincidência?

Para analisar essa história é necessário conhecê-la. Isso porque, desde 2013, o mercado de criptomoedas buscava aprovar o seu primeiro ETF nos Estados Unidos. Entretanto, por ser um meio relativamente novo e com pouco volume, não foi permitido.

Leia Também:  "Flanelinhas" do Leblon não ganham R$ 4 mil por mês, como disse Marinho

Já em 2017, a comissão de valores mobiliários norte-americana (SEC) bateu o martelo de que não seria viável a aprovação de um ETF enquanto não existisse um volume estável no mercado de criptomoedas, medidas contra a manipulação de preços do ativo e um formato de custódias reguladas e terceirizadas.

Dessa forma, a aprovação do ETF agora pode significar que na visão do principal órgão regulador do mundo, esse mercado está amadurecendo.

Saiba mais em 1Bilhão , parceiro do iG.

Propaganda

Momento Economia

Subida dos juros deve provocar desaceleração na economia, diz Guedes

Publicados

em


source
Paulo Guedes, ministro da Econimia
[email protected] (O Dia)

Paulo Guedes, ministro da Econimia

O ministro da economia, Paulo Guedes, reconheceu que a subida dos juros para combater a inflação vai provocar uma desaceleração na economia no ano que vem. Para ele, o resultado será o melhor possível a ser feito, e a política econômica está seguindo o caminho correto.

“A Faria Lima e os banqueiros estão prevendo um crescimento menor. É natural. No ângulo de visão de financistas, é claro que vai haver uma desaceleração forte, porque os juros estão subindo. A inflação subiu, de novo estamos fazendo a coisa certa. O importante não é a previsão. O importante é fazer a coisa certa. O resultado será o melhor possível. Quando previram que o Brasil ia cair 10 [%], eu apenas descredenciei a previsão de 10. Eu não disse quanto ia cair. Aí surgiu uma guerra de fatos. Eu acreditava em recuperação em V. Não disse em quanto tempo e aconteceu até mais rápido do que eu esperava. Em compensação, veio acompanhada do componente inflacionário”, disse, ao participar nessa sexta-feira (3) do Encontro Anual da Indústria Química.

Leia Também:  Economia brasileira cai 0,1% no terceiro trimestre deste ano

Em contrapartida ao efeito dos juros, Guedes conta com o avanço da taxa de investimentos, que vem registrando evolução e pode chegar em 2022 a 20% do Produto Interno Bruto (PIB). Para o ministro, o crescimento do Brasil é inevitável e o país está recuperando sua economia de forma sustentável. Segundo ele, a economia passa por uma fase de recuperação cíclica em forma de V, que é quando registra recuo seguido de ascensão, baseada em transferência de renda e agora passa para a etapa do aumento dos investimentos.

Leia Também

“É um número importante. Estamos subindo a nossa taxa de investimentos”, afirmou.

Guedes acrescentou que não vai fazer projeções do crescimento do PIB para 2022 .

“Eu não estou prevendo quanto vai ser o crescimento do ano que vem. Eu estou tentando de novo colocar um certo ceticismo nessas previsões, que foram de queda de 10%, de depressão, de desemprego em massa. Estou tentando justamente inspirar uma volta à normalidade da economia brasileira e até transcender esse estado, questionando essas previsões do PIB e de crescimento zero. É verdade que a subida de juros para combater a inflação desacelera o crescimento, mas também é verdade que uma taxa de investimento de 20% do PIB é um sinal de bom crescimento à frente”, observou.

Leia Também:  Guedes: Brasil dos críticos tem fome e o Brasil do governo tem investimento

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA