Momento Economia

Cerca de 3,8 milhões nascidos em maio recebem hoje auxílio emergencial

Publicados

em


Cerca de 3,8 milhões de pessoas nascidas em maio recebem neste domingo (11) mais uma parcela do auxílio emergencial. O crédito será feito nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal a beneficiários que fazem parte do ciclo 3 de pagamentos.

Ao todo, o banco depositará R$ 1,7 bilhão. Desse total, 1,5 milhão de pessoas receberão R$ 900 milhões referentes as parcelas regulares de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras). Os demais 2,3 milhões serão contemplados com a primeira parcela do auxílio emergencial extensão de R$ 300 (R$ 600 para mães solteiras), num total de R$ 800 milhões.

Nessa etapa, os beneficiários podem movimentar o auxílio apenas por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de boletos, compras com cartão de débito virtual em sites e compras por meio de código QR (versão avançada do código de barras) em estabelecimentos parceiros.

O dinheiro depositado hoje só estará disponível para saque em 21 de novembro. A partir dessa data, o beneficiário poderá retirar o auxílio emergencial no caixa eletrônico, nas agências da Caixa ou usar o aplicativo Caixa Tem para transferir o dinheiro da conta poupança digital para uma conta corrente, sem o pagamento de tarifas.

Leia Também:  Maia teme dólar a R$ 7 em 2021 e pede harmonia para evitar cenário

Na terça-feira (13), será a vez de 4 milhões de beneficiários nascidos em agosto do ciclo 2 sacarem a quinta parcela do auxílio emergencial. O dinheiro havia sido depositado nas contas poupança digitais em 23 de setembro, num total de R$ 2,6 bilhões.

Edição: Aline Leal

Propaganda

Momento Economia

Ministra da Agricultura diz que nova safra pode reduzir preço do arroz

Publicados

em


A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, disse hoje (29) que o preço do arroz poderá ser reduzido com a chegada da nova safra, em janeiro. A ministra participou da live do presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais e explicou as medidas que foram tomadas para conter o preço do produto nas prateleiras dos supermercados. 

Tereza Cristina explicou que a pandemia da covid-19 desequilibrou o mercado de grãos em todo o mundo. Segundo a ministra, a pandemia provocou aumento no consumo do produto pelos brasileiros e o preço aumentou. Para conter o aumento, o Brasil autorizou a importação da Guiana e do Paraguai para equilibrar o mercado. 

“No mundo houve um desequilíbrio em vários preços dos produtos das commodities. O arroz foi um desses. Nós passamos a comer mais arroz, o auxílio emergencial fez também o aumento dessa demanda. Nós, em setembro, tiramos o imposto de importação, ele parou de subir e hoje tem ligeira queda. Vamos ter nova sofra chegando em janeiro e os preços vão reduzir”, afirmou a ministra. 

Plano Safra

A ministra também informou que todos os recursos previstos no Plano Safra deste ano foram contratados e estão sendo investidos pelo setor agrícola, por exemplo, na construção de instalações para produção de aves, suínos e confinamento de gado. 

Leia Também:  Contrariando promessa, governo não deverá pagar 13º do Bolsa Família em 2020

“O Plano Safra foi um sucesso e hoje nós temos um bom problema, porque o dinheiro de investimento já terminou praticamente”.

A ministra disse ainda que os recursos do plano também estão sendo utilizados na agricultura familiar. Além disso, vários títulos de regularização de terras já foram entregues para produtores rurais que fazem parte do programa. 

“Nós estamos trabalhando para fazer assistência técnica, e o dinheiro do Plano Safra foi muito maior para esse público da pequena agricultura”.

Edição: Liliane Farias

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA