Momento Economia

Com chance maior de ganhar do que a Mega, Lotofácil sorteia R$ 120 mi no sábado

Publicados

em


source
lotofácil
Divulgação/Caixa

Lotofácil da Independência sorteia prêmio de R$ 120 milhões no próximo sábado (13)

A Caixa Econômica Federal vai sortear no próximo sábado (13) a Lotofácil da Independência, sorteio especial da Lotofácil com prêmio estimado em R$ 120 milhões. Por ser um concurso especial para celebrar o feriado de 7 de setembro, o prêmio não acumula. Caso ninguém acerte os 15 números, o prêmio será dividido entre todos que acertarem 14 dezenas.

O jogo da Lotofácil consiste em escolher 15 números em um volante com 25 opções possíveis. O valor mínimo da aposta é de R$ 2,50, e é possível apostar em todas as casas lotéricas do Brasil, além do site da Caixa . As apostas podem ser feitas até às 19h do dia do sorteio.

Na Mega-Sena , a loteria mais famosa e jogada do país, é preciso escolher 6 entre 60 números, enquanto na Lotofácil são apenas 25 números possíveis e é preciso acertar 15 para ganhar o prêmio máximo. Portanto, fazendo as contas de acordo com os números fornecidos pela própria Caixa com base nas possibilidades de vencer cada loteria, é cerca de 15 vezes mais fácil ganhar na Lotofácil do que na Mega-Sena.

Leia Também:  Presidente do BC manifesta tranquilidade com relação à inflação

Normalmente, os prêmios da Lotofácil são menores do que os oferecidos pela Mega-Sena, mas por se tratar de um sorteio especial, neste sábado o prêmio da Lotofácil da Independência deve superar o da Mega, até porque a loteria mais famosa da Caixa teve dois ganhadores no sorteio realizado no sábado (5), que dividiram a premiação de cerca de R$ 94 milhões .

O prêmio máximo de R$ 120 milhões da Lotofácil da Independência, se colocado na poupança, rende R$ 156 mil ao mês, segundo a Caixa.

Propaganda

Momento Economia

Dólar fecha R$ 5,55, em alta pela terceira semana seguida

Publicados

em


source

Agência Brasil

dólar
Thinkstock/Getty Images

Novas medidas de confinamento em alguns países europeus, depois do surgimento de uma segunda onda de casos de Covid-19, fez o dólar subir

Em mais um dia de instabilidade no mercado internacional, a moeda norte-americana voltou a subir e encerrou em alta pela terceira semana seguida. O  dólar comercial fechou esta sexta-feira (25) vendido a R$ 5,554, com alta de R$ 0,044 (+0,8%). O dólar fechou a semana com alta acumulada de 3,29%.


A moeda chegou a aproximar-se de R$ 5,60 durante o dia, mas desacelerou perto do fim da sessão. A divisa acumula alta de 1,33% em setembro e de 38,4% em 2020.

A força do dólar ante o real nesta semana ocorreu em sintonia com um movimento de aversão no mercado internacional. A cotação refletiu o aumento da demanda por dólares em todo o planeta depois que indicadores apontaram desaceleração econômica nos Estados Unidos e na Europa, elevando temores sobre a sustentabilidade da retomada de diversas economias avançadas.

Leia Também:  Auxílio emergencial: 5,6 milhões recebem nesta quarta; veja grupos e parcelas

A esse medo se somaram novas medidas de confinamento em alguns países europeus, depois do surgimento de uma segunda onda de casos de Covid-19 no continente. Nos Estados Unidos, a semana foi marcada pela continuação do impasse sobre um novo pacote de estímulos, num momento em que o Federal Reserve (Banco Central do país) informou ter pouco espaço para reduzir juros.

No mercado de ações, a bolsa de valores começou o dia com fortes perdas, mas reverteu o movimento ao longo da sessão e encerrou perto da estabilidade. O índice Ibovespa, da B3 (a bolsa de valores brasileira), fechou esta sexta-feira aos 96.999 pontos, com leve recuo de 0,01%.

Esta foi a quarta semana seguida em que o Ibovespa acumula perdas. Em setembro, o índice recuou 2,38%, no caminho de registrar pior resultado para o mês desde 2015.

*Com informações da Reuters

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA