Momento Economia

Construtora do metrô de SP perde R$ 1,5 bilhão em valor de mercado

Publicados

em


source
Obra do metrô desaba em São Paulo e interdita marginal Tietê
Reprodução: ACidade ON

Obra do metrô desaba em São Paulo e interdita marginal Tietê

O desastre na obra de metrô  em São Paulo que fez com que um pedaço da Marginal Tietê desmoronasse na manhã desta terça-feira (1) também provocou estragos na Bolsa de Valores de Madrid, onde está listada a construtora espanhola Acciona, responsável pela obra, que perdeu cerca de R$ 1,5 bilhão em valor de mercado. 

A companhia fechou com queda de 3% no pregão de ontem, o pior resultado em três meses. 

Antes do acidente, os papéis subiam, mas no momento do acidente chegaram a cair 6%. 

A Acciona vale agora R$ 48,5 bilhões na Bolsa de Madri.

Leia Também

Desastre

Um acidente em uma obra do metrô da Linha 6-Laranja na capital paulista fez com que um pedaço da Marginal Tietê, uma das principais vias da cidade, desmoronasse na manhã de hoje. Segundo o Corpo de Bombeiros, dois funcionários que tiveram contato com a água que jorrou do acidente foram socorridos.

Leia Também:  Auxílio Brasil de R$ 600 começa a ser pago na semana que vem

Imagens mostram que uma cratera se abriu ao lado da pista local da Marginal, além da água que escoa por baixo da via. Veja o vídeo



Propaganda

Momento Economia

Bolsonaro vai à Febraban apresentar medidas econômicas da campanha

Publicados

em

Jair Bolsonaro e Paulo Guedes devem explanar propostas econômicas para os próximos anos
Antonio Cruz/Agência Brasil

Jair Bolsonaro e Paulo Guedes devem explanar propostas econômicas para os próximos anos

O presidente Jair Bolsonaro (PL) deve se reunir nesta segunda-feira (8) com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) para discutir proposta econômicas da campanha e o futuro do país. A discussão está marcada para acontecer na sede da federação, em São Paulo (SP).

Entre os temas que devem ser discutidos estão o Pix, Open Banking e empréstimos para beneficiários do Auxílio Brasil. Alguns bancos ainda estão resistentes em oferecer crédito para inscritos no programa por medo de aumento no endividamento das famílias. O Bradesco, por exemplo, já informou que não vai disponibilizar os empréstimos.

Bolsonaro ainda deve apresentar as propostas que estão em seu plano de governo, além de discutir o cenário atual da economia do país. O encontro também contará com a presença do ministro da Economia, Paulo Guedes, que deve esboçar o crescimento econômico do país nos últimos meses.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Esse será o primeiro encontro entre banqueiros e Bolsonaro após críticas feitas pelo presidente à carta escrita por membros da Universidade de São Paulo (USP) em apoio à democracia. A Febraban foi uma das instituições que assinaram o documento.

Segundo Bolsonaro, a carta tem viés político e seguiu as críticas do ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, ao dizer que banqueiros assinaram o texto “pois perderam R$ 40 bilhões com o Pix”.  

A Febraban ainda deve se reunir com os presidenciáveis Lula (PT) e Simone Tebet (MDB) nos próximos dias. Ciro Gomes (PDT) ainda não tem a participação confirmada na reunião. 


Fonte: IG ECONOMIA

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI