Momento Economia

Dólar sobe pela primeira vez em quatro dias, mas cai na semana

Publicados

em


.

Num dia de venda de ações no exterior e de retirada da urgência da reforma tributária, o dólar subiu pela primeira vez em quatro sessões. O dólar comercial encerrou esta sexta-feira (4) vendido a R$ 5,308, com leve valorização de R$ 0,018 (+0,33%). Ontem (3), a moeda tinha fechado no menor nível em um mês.

Apesar da alta de hoje, o dólar encerrou a semana com recuo de 1,99%. Em 2020, a divisa acumula alta de 32,28%.

O dólar operou em queda durante boa parte da manhã, mas passou a subir depois que o governo retirou o pedido de urgência da proposta de reforma tributária enviada pela equipe econômica, que prevê a unificação de diversos tributos federais. Ao longo da tarde, o ritmo de alta diminuiu, até a cotação fechar próxima da estabilidade.

Bolsa

No mercado de ações, a influência do mercado internacional não impediu que o Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, fechasse em alta. O indicador fechou o dia aos 101.242 pontos, com pequena alta de 0,25%.

Leia Também:  Programe-se: auxílio emergencial cairá na quarta-feira; veja quem recebe

No exterior, uma venda de ações de tecnologia em Wall Street derrubou dois índices, o S&P 500 e o Nasdaq (ligado a empresas de tecnologia). Nas últimas semanas, os dois indicadores vinham batendo recordes, mas os investidores passaram a vender ações para embolsarem os lucros recentes.

No Brasil, o Ibovespa chegou a operar abaixo dos 100 mil pontos entre as 11h30 e as 14h30, mas reverteu a queda ao longo da tarde. Ainda assim, ações ligadas a empresas de comércio eletrônico, que estão entre as maiores altas em 2020, sofreram.

* Com informações da Reuters

Edição: Wellton Máximo

Propaganda

Momento Economia

Turismo: metade das operadoras vende viagens para novembro e dezembro

Publicados

em


.

Metade das operadoras de turismo vendeu viagens para os meses de novembro e dezembro deste ano, segundo balanço divulgado pela Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa). As operadoras são empresas que montam pacotes e programas de viagens, que são comercializados pelas agências de turismo, e os membros da associação representam 90% dos roteiros de lazer vendidos no Brasil.

A associação avalia que o setor passa por uma retomada gradual e lenta, depois de ter sido duramente impactado desde março pela pandemia de covid-19, que exige o distanciamento social como principal medida de prevenção. Em abril, 54% das operadoras não realizaram nenhuma venda, enquanto em agosto o percentual foi de 21%.

O faturamento das empresas ainda segue bem abaixo de 2019, segundo o balanço divulgado. Para 40% das empresas, o faturamento em agosto teve uma perda de 90% em comparação com agosto do ano passado. Apesar disso, 87,5% das operadoras de turismo consideram que agosto foi melhor ou igual a julho.

Leia Também:  Forbes: sucesso no e-commerce, Luiza Trajano é a mulher mais rica do Brasil

A expectativa do setor é que o segundo semestre de 2020 tenha um faturamento menor que a metade do registrado no mesmo período em 2019. Essa é a previsão de 71% das operadoras, que lidam com a redução da capacidade de todos os serviços relacionados ao turismo, como voos, restaurantes, hotéis e outros serviços.

Ano que vem

A pesquisa da associação mostra, ainda, que 67% das operadoras venderam pacotes para o primeiro semestre de 2021. Entre as empresas consultadas, 29% declararam ter comercializado também para o próprio mês de agosto, 44% para setembro e 46% para outubro. Os percentuais superam o segundo semestre de 2021, que foi comercializado por 38% das empresas.

Um dos destaques do balanço é a redução do cancelamento de viagens. Em julho, 73% das operadoras tiveram vendas canceladas, enquanto em agosto o percentual caiu para 30%.

Destinos preferidos

O destino vendido com mais frequência foi o Nordeste, com embarques comercializados por 83% das operadoras. Em seguida, vieram Sudeste (80%), Europa (75%), Sul (74%), Centro-Oeste (70%), Norte (62%), América Central/Caribe (62%), América do Sul (55%), América do Norte (48%), Ásia (48%), Oceania (48%) e África (24%).

Leia Também:  Ipea: taxa de desocupação cresce porque pessoas estão buscando emprego

Os destinos mais procurados no Nordeste são Salvador e Porto de Galinhas, enquanto no Sudeste figuram Angra dos Reis e interior de São Paulo. No exterior, os embarques mais vendidos são para Portugal, Itália, Cancún, Punta Cana, Orlando, Miami,  Maldivas, Argentina e Peru.

Edição: Kleber Sampaio

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA