Momento Economia

Elon Musk diz a funcionários que SpaceX está perto da falência

Publicados

em


source
StarShip é um dos investimentos da SpaceX para os próximos anos
Reprodução/SpaceX

StarShip é um dos investimentos da SpaceX para os próximos anos

O empresário Elon Musk afirmou, na última semana, que a SpaceX corre grande risco de falência. A declaração foi dada em e-mail enviado aos funcionários da empresa aeroespacial.

Segundo Musk, a saída do gerente sênior da empresa ascendeu o alerta para os dados relatados sobre o Raptor, motor de metano que será usado para impulsionar o sistema de lançamento da Starship, considerada uma nova geração da SpaceX. O empresário afirmou que os índices apresentados anteriormente diferem das informações apuradas pela administração e consideradas “muito mais graves”.

“Infelizmente, a crise de produção do Raptor é muito pior do que parecia há algumas semanas. Conforme investigamos os problemas decorrentes da saída da administração sênior anterior, eles infelizmente se revelaram muito mais graves do que o relatado”, escreveu Musk.

“O que acontece é que enfrentamos um risco genuíno de falência se não conseguirmos atingir uma taxa de voo da nave estelar”, ressaltou.

A preocupação de Musk é que a empresa não dê conta de cumprir o prazo para lançar uma nave para transportar astronautas até 2025. O acordo foi fechado com a NASA, com valor de US$ 2,9 bilhões (R$ 16 bilhões).

Leia Também:  Pandemia aumenta acesso da população a serviços bancários

O empresário ainda lembrou da importância do veículo para o lançamento dos satélites Starlink. Para aumentar a distribuição de internet no planeta, a SpaceX pretende lançar 12 mil satélites. Até o momento, no entanto, 1,8 mil para enviados ao espaço.

Elon Musk ainda pediu para que os funcionários trabalhem aos finais de semana para cumprir os prazos e reverter a “crise” na empresa.

“Eu ia tirar este fim de semana de folga, como meu primeiro fim de semana de folga em muito tempo, mas em vez disso estarei na linha Raptor a noite toda e durante o fim de semana”, concluiu.

Leia Também

Confira o email completo enviado por Musk

“Infelizmente, a crise de produção do Raptor é muito pior do que parecia há algumas semanas. Conforme investigamos os problemas decorrentes da saída da administração sênior anterior, eles infelizmente se revelaram muito mais graves do que o relatado. Não há como adoçar isso.

Eu ia tirar este fim de semana de folga, como meu primeiro fim de semana de folga em muito tempo, mas em vez disso estarei na linha Raptor a noite toda e o fim de semana.

A menos que você tenha assuntos familiares críticos ou não possa voltar fisicamente para Hawthorne, precisamos de todos os esforços para nos recuperar do que é, francamente, um desastre.

As consequências para a SpaceX se não conseguirmos fabricar Raptors confiáveis ​​o suficiente é que não poderemos voar na nave estelar, o que significa que não poderemos voar no satélite Starlink V2 (o Falcon não tem nem o volume * nem * a massa para orbitar necessária para satélite V2). O satélite V1 por si só é financeiramente fraco, enquanto o V2 ​​é forte.

Além disso, estamos aumentando a produção do terminal para vários milhões de unidades por ano, o que consumirá um capital massivo, assumindo que o satélite V2 estará em órbita para lidar com a demanda de largura de banda. Caso contrário, esses terminais serão inúteis.

O que acontece é que enfrentamos um risco genuíno de falência se não conseguirmos atingir uma taxa de voo da nave estelar de pelo menos uma vez a cada duas semanas no próximo ano.

Obrigado, Elon”

Propaganda

Momento Economia

Material escolar varia até 300% no RJ, mostra Procon

Publicados

em


source
Material Escolar
Toninho Tavares/Agência Brasília

Material Escolar

O Procon Estadual do Rio de Janeiro (Procon-RJ) realizou levantamento de preços dos principais itens que compõem a lista de material escolar. A pesquisa coletou os preços de 415 produtos em 32 estabelecimentos localizados na Regiões Metropolitana, Serrana e dos Lagos, Norte e Sul Fluminense e também na internet. A coleta e a análise de dados foram feitas entre os dias 10 e 19 deste mês. Os servidores identificaram variação de até 297% quando comparado o produto de igual marca em diferentes estabelecimentos.

Variados tipos de lápis, apontador, borracha, caderno, caneta, cola, hidrocor, lápis de cor, giz de cera, massa de modelar, resma de papel ofício, tabuada, tesoura, corretivo, dicionário e agenda escolar foram pesquisados.

“O levantamento de preços realizado pelo Procon-RJ mostra que se o consumidor pesquisar, ele consegue economizar muito na compra da lista de material escolar. Reaproveitar itens do ano anterior também é uma boa forma de gastar menos. É importante lembrar que a instituição de ensino só pode solicitar itens de uso individual do aluno ou que sejam utilizados em atividades previstas no plano pedagógico”, observou o presidente do Procon-RJ, Cássio Coelho.

Sites

Os consumidores que fizerem a pesquisa de preço em sites antes de finalizarem a compra pela internet vão conseguir fazer uma boa economia. O mesmo caderno de 10 matérias com 200 folhas foi encontrado por R$39,99 em uma loja virtual e por R$22,30 em outra, uma oscilação de 79%. O apontador teve uma variação de preço de 297%, enquanto a massa de modelar, 149%.

O mesmo caderno de desenho grande foi encontrado por R$19,99 e R$8,90. Já a resma com 100 folhas ofício, os agentes constataram os valores de R$8,77 e R$4,20, oscilação de 109%.

Leia Também:  RJ: Aneel e Light acertam aumento na conta de luz a partir de março

Região Metropolitana

Na capital, o item que teve a maior variação percentual de preço foi a tesoura sem ponta. O produto de mesma marca oscilou até 272%. O caderno de 96 folhas foi encontrado por R$5,90 e também por R$16, uma diferença de R$10,10. A caneta é outro material escolar que está no topo do ranking, com variação de 266%.

Em Niterói, dependendo da papelaria que o consumidor for comprar o apostador, ele pode pagar mais do que o triplo do valor, já que o mesmo produto foi encontrado por R$2,20 e R$7,90. O giz de cera foi outro material que teve grande variação percentual de preço, de até 105%.

Os moradores de Nova Iguaçu precisam ficar atentos onde comprar a lista de material. Lápis, apontador, dicionário, caderno pequeno e lápis de cor foram encontrados com variação acima de 100%, chegando a 251% no apontador. Diferença significativa de preços também foi identificada no caderno de 10 matérias com 200 folhas que é vendido por R$24,90 e R$12,99 em diferentes lojas.

Leia Também

Região Serrana

Na Serra, a pesquisa foi realizada no município de Nova Friburgo. A borracha teve variação percentual de 118%, enquanto a cola, 35%. O consumidor que comprasse a tabuada em uma loja, poderia pagar o dobro ao optar por comprar o mesmo item em outro estabelecimento. Já o conjunto de caneta hidrocor, era vendido por R$9,99 e R$4,49 em diferentes papelarias.

Norte Fluminense

Três cidades da região Norte Fluminense foram pesquisadas: Campos, Macaé e São João da Barra. Em Campos, o lápis oscilou 178%, enquanto a caneta e o apontador, 83% e 170% respectivamente. A caixa com 12 lápis de cor da mesma marca foi encontrada por R$32,90 e R$18,90 em lojas distintas.

Leia Também:  Governo quer antecipar obras para escoar energia gerada no Nordeste

Em Macaé, a maior variação percentual encontrada foi de 179% no caderno com 200 folhas. Já o preço do caderno pequeno com 96 folhas oscilou 87,78%. Se o consumidor comprar o conjunto com 12 lápis de cor em uma papelaria e não em outra, pode economizar R$13,75.

Os moradores de São João da Barra vão encontrar diferença significativa de preço na borracha, no caderno de 200 folhas e na caixa com 12 giz de cera. A variação de preços desses itens foi de 167%, 89% e 87% respectivamente.

Sul Fluminense

Em Barra do Piraí, a oscilação dos preços da caneta e do apontador foram muito parecidas, 278% e 273%. O corretivo líquido pode ser mais do que o dobro do preço em uma papelaria do que em outra. Já a resma com 100 folhas ofício foi encontrada por R$6,90 e R$4,10.

Região dos Lagos

O município pesquisado na Região dos Lagos foi Cabo Frio. O item que teve maior variação percentual foi o corretivo líquido, que chegou a ser 193% mais caro em um estabelecimento do que em outro. A agenda veio em seguida, com oscilação de até 149% e em terceiro foi o lápis, com 109%. O morador do município poderia economizar mais de R$9,00 dependendo da papelaria que efetuar a compra do lápis de cor.

O Procon-RJ ressalta que todas as comparações de preços citadas foram feitas em relação aos produtos da mesma marca. Destaca ainda que nem todos os itens foram encontrados em todos os estabelecimentos verificados. Este levantamento é um retrato da ocasião em que foi realizada a pesquisa e não há a garantia de que o consumidor irá encontrar os mesmos preços no momento em que for realizar a compra. A coleta e análise de dados foi feita entre os dias 10 e 19 deste mês.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA