Momento Economia

Imposto de Renda: errou na declaração? Veja como retificar

Publicados

em


source
Entregou a declaração de imposto de renda com erros? Veja como retificar
Redação 1Bilhão Educação Financeira

Entregou a declaração de imposto de renda com erros? Veja como retificar

Na  reta final da entrega da declaração do Imposto de Renda  da Pessoa Física é comum, infelizmente, que muitos contribuintes deixem para preparar seus documentos/informações para última hora, o que aumenta a probabilidade de erros serem cometidos. Felizmente, esses erros podem ser corrigidos por meio da declaração retificadora, oportunizando assim que o contribuinte se acerte com a Receita Federal do Brasil.

Os erros mais comuns, principalmente cometidos pelos “atrasadinhos”, vão desde o esquecimento de uma fonte pagadora, o lançamento errôneo de um bem ou direito ou dos seus valores, da omissão de informações de rendimentos de dependentes até a falta ou erros de lançamentos de valores e tributações sobre operações com ações ou outros produtos do mercado de capitais.

Você viu?

Apesar de serem admitidas correções, não é possível, por retificadora , alterar o modelo da opção tributária da declaração após o término do prazo de entrega da mesma. Ou seja, a opção pelas deduções legais ou pelo desconto simplificado é definitiva e não podem ser retificadas posteriormente, salvo se essa retificadora ocorrer até o último dia do prazo legal de envio da declaração.

Leia Também:  Brasil é o 2º país com maior mal-estar socioeconômico, aponta estudo

Saiba como retificar erros na declaração do IR aqui , em 1Bilhão Educação Financeira .


Propaganda

Momento Economia

Brasil é o 2º país com maior mal-estar socioeconômico, aponta estudo

Publicados

em


source
Brasil é o 2º país com pior mal-estar econômico, segundo levantamento de pesquisador do Ibre-FGV
Divulgação

Brasil é o 2º país com pior mal-estar econômico, segundo levantamento de pesquisador do Ibre-FGV

Entre os 38 países-membros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) , em que o Brasil é uma nação convidada, o país ocupa a 2ª posição no índice de mal-estar socioeconômico. Isto porque o desemprego recorde e a inflação alta impulsionaram esta colocação. O levantamneto foi feito pelo professor Daniel Duque , do Ibre-FGV (Instituto Brasileiro de Ecomia da Fundação Getúlio Vargas) , e foi publicado pelo O Globo

Segundo o estudo do pesquisador, no primeiro trimestre de 2021, a taxa de desconforto no Brasil chegou a 19,83%, ficando atrás da Turquia apenas, que registrou 26,27% no fim do quatro trimestre de 2020. Outros países vêm em seguida, como Espanha (16,09%), Colômbia (15,63%), Grécia (14,08%) e Chile (13,42%).

Este índice de mal-estar socioeconômico leva em conta duas situações: o mercado de trabalho e o nível de preços. O Brasil registrou uma taxa de desemprego de 14,7%, o que corresponde a 14,8 milhões de pessoas sem trabalho no último trimestre deste ano. Por outro lado, o Produto Interno Bruto (PIB) do país apresentou uma melhora, ficando em 1,2%.

“A economia está em situação aparente de melhora, mas a população está em mal-estar. A recuperação tem sido puxada por agropecuária e indústria, que empregam menos”, disse Duque ao jornal. 

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA