Momento Economia

Medo de desaceleração econômica global mantém dólar em queda nesta sexta

Publicados

em

dólar arrow-options
Fernanda Carvalho/ Fotos Públicas

Cotação do dólar também apresentou queda nos dois últimos dias

Pelo terceiro dia consecutivo na semana, o dólar comercial perde força ante o real. A moeda americana é negociada a R$ 4,055, com recuo de 0,8%. O que explica este comportamento do câmbio é o temor de uma possível desaceleração da atividade econômica global. O Ibovespa, principal índice da Bolsa de São Paulo, opera com variação negativa de 0,18%, aos 101.334 pontos.

Leia também: Desemprego diminuiu a participação do trabalho no rendimento das famílias

Na manhã desta sexta-feira (4), foram divulgados os números da geração de vagas nos Estados Unidos. De acordo com o Departamento de Trabalho dos EUA, o país criou 136 mil postos de trabalho em setembro, número abaixo da expectativa do mercado para o mês: 145 mil postos de emprego.

“Ao longo da semana, foram divulgados números que reascenderam os alertas de desaceleração da economia global. No início da semana foram os números da indústria americana, que caiu para o menos nível de 2009. Hoje foi a vez dos números do mercado de trabalho. Estes resultados contribuem para este temor de redução da atividade econômica”, diz Ricardo Zeno, sócio-diretor da AZ Investimentos.

Leia Também:  Reforma tributária: Lira aguarda parecer do governo para definir relator
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Momento Economia

Brasil é o 2º país com maior mal-estar socioeconômico, aponta estudo

Publicados

em


source
Brasil é o 2º país com pior mal-estar econômico, segundo levantamento de pesquisador do Ibre-FGV
Divulgação

Brasil é o 2º país com pior mal-estar econômico, segundo levantamento de pesquisador do Ibre-FGV

Entre os 38 países-membros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) , em que o Brasil é uma nação convidada, o país ocupa a 2ª posição no índice de mal-estar socioeconômico. Isto porque o desemprego recorde e a inflação alta impulsionaram esta colocação. O levantamneto foi feito pelo professor Daniel Duque , do Ibre-FGV (Instituto Brasileiro de Ecomia da Fundação Getúlio Vargas) , e foi publicado pelo O Globo

Segundo o estudo do pesquisador, no primeiro trimestre de 2021, a taxa de desconforto no Brasil chegou a 19,83%, ficando atrás da Turquia apenas, que registrou 26,27% no fim do quatro trimestre de 2020. Outros países vêm em seguida, como Espanha (16,09%), Colômbia (15,63%), Grécia (14,08%) e Chile (13,42%).

Este índice de mal-estar socioeconômico leva em conta duas situações: o mercado de trabalho e o nível de preços. O Brasil registrou uma taxa de desemprego de 14,7%, o que corresponde a 14,8 milhões de pessoas sem trabalho no último trimestre deste ano. Por outro lado, o Produto Interno Bruto (PIB) do país apresentou uma melhora, ficando em 1,2%.

“A economia está em situação aparente de melhora, mas a população está em mal-estar. A recuperação tem sido puxada por agropecuária e indústria, que empregam menos”, disse Duque ao jornal. 

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA