Momento Economia

Mercado Pago e Nubank cadastram Pix sem permissão, dizem clientes

Publicados

em


source

Tecnoblog

Pix em um app
Tecnoblog/Emerson Alecrim

Mercado Pago e Nubank cadastram Pix sem permissão de clientes


Há uma série de relatos no Twitter e Reclame Aqui dizendo que Mercado Pago e Nubank cadastraram chaves do Pix sem a permissão dos clientes. As duas fintechs lideram o número de registros no sistema de pagamentos instantâneos. Ao Tecnoblog, elas negam as acusações, mas o Banco Central avisa: está fiscalizando o sistema de pagamentos e vai punir infratores.


O cliente Christian Lima conta no Twitter: “fui cadastrar o Pix usando o CPF no Itaú e recebi a notificação de que já estava sendo usado em outro banco! Posteriormente descobri que o Mercado Pago havia cadastrado meu CPF sem minha autorização”.

Leandro Avelar diz na rede social: “sem eu autorizar o Mercado Pago associou meu CPF a conta deles no Pix. Toda vez que entrei no Mercado Pago, havia uma tela de pré-cadastramento e neguei todas”.

“O Mercado Pago registrou meu CPF como chave Pix sem eu pedir”, relata o usuário Vitor de Lucca. “Estou desde então tentando excluir, sem sucesso. Dá erro. Pedi portabilidade pelo Inter, que me informa que preciso aceitar a portabilidade no Mercado Pago… Simplesmente não existe isso no app.”

No Reclame Aqui , as queixas são semelhantes: clientes não conseguem excluir o CPF como chave Pix do Mercado Pago, mesmo se pedem portabilidade para outra instituição financeira.

Leia Também:  Voa mais um protótipo do maior jato executivo da Gulfstream

E há reclamações parecidas sobre o Nubank : “meu CPF foi cadastrado como chave Pix com vocês sem meu pedido e minha autorização”, explica o cliente Fabio Leme no Twitter.

“O Nubank está registrando minhas chaves Pix sem eu pedir”, afirma Ariel Marlin na rede social. Outro relato diz: “mal fiz a conta e ela pegou todas minha chaves Pix e tentou fazer portabilidade sem meu consentimento”.

O que dizem Nubank e Mercado Pago

Em comunicado ao Tecnoblog, o Nubank nega as acusações: “todas as chaves foram cadastradas com a devida autorização dos clientes “. A fintech continua: “preparamos cuidadosamente um fluxo prático e simples de comunicação e, no dia 05/10, enviamos pedido de consentimento via aplicativo a todos os clientes que haviam feito o pré-cadastro”.

O Mercado Pago também nega ter registrado chaves sem permissão. A empresa diz em comunicado que “o processo de cadastro das chaves Pix ocorreu em conformidade com as regras estabelecidas pelo Banco Central e prestará todos os esclarecimentos necessários ao regulador e aos seus clientes”.

A fintech garante que não cadastra chaves do Pix sem o consentimento do usuário: “o fluxo de cadastro envolve o envio de uma comunicação por meio do aplicativo Mercado Pago informando a possibilidade de cadastrar as chaves de e-mail, CPF/CNPJ, para que o usuário possa escolher quais delas deseja registrar”.


Banco Central “punirá os infratores”

Em nota, o BC afirma que “monitora e supervisiona continuamente o processo de cadastramento de chaves Pix”, e que já iniciou os processos formais para fiscalizar os participantes.

Leia Também:  Burger King cria palhaço assustador nas cores do McDonald's na Suécia; confira

“Caso detecte irregularidades nesses processos, incluindo eventuais cadastramentos indevidos, o Banco Central punirá os infratores nos termos da regulação vigente”, diz a instituição.

Como remover chaves do Nubank e Mercado Pago

No Nubank, faça o seguinte:

  1. abra o app e, na seção Pix, toque em Registrar suas chaves;
  • se essa seção não estiver presente, toque no botão Pix na parte inferior da tela;
  • toque no ícone de três pontos (…) ao lado de uma chave cadastrada;
  • toque em Excluir.
  • Vale observar que essa opção não vai aparecer se o cadastro estiver pendente. O Nubank precisa primeiro confirmar o registro no BC para que você possa excluir a chave.

    No Reclame Aqui, o Mercado Pago orienta os clientes a seguirem estes passos

    1. abra o app no iPhone ou Android;
    2. siga o caminho Mais (no canto inferior direito) > Seu perfil > Suas chaves Pix;
    3. escolha uma chave e selecione a opção Excluir chave.

    Este procedimento pode ser feito apenas em dias úteis das 9h às 17h. O Mercado Pago promete que, quando o Pix for lançado em novembro, será possível modificar as chaves em qualquer horário.

    Além disso, alguns usuários se queixam que isso pode exibir uma mensagem de erro. Neste caso, a fintech pede que os clientes entrem em contato pela seção Fale Conosco no aplicativo, pelo site mercadopago.com.br/ajuda ou pelo telefone 0800 637 7246.

    Propaganda

    Momento Economia

    Antecipação do BPC e do auxílio doença é prorrogada até 30 de novembro

    Publicados

    em


    Previstas para acabarem no sábado (31), as antecipações do auxílio-doença e do Benefício de Prestação Continuada (BPC) continuarão em vigor até 30 de novembro. A prorrogação da medida consta de decreto assinado hoje (28) à noite pelo presidente Jair Bolsonaro.

    Segundo o Palácio do Planalto, a medida tem como objetivo evitar aglomerações nas agências durante a pandemia. Por meio da antecipação, o beneficiário recebe até um salário mínimo (R$ 1.045) sem perícia médica, bastando anexar um atestado médico ao requerimento com declaração de responsabilidade pelo documento no portal do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) ou do aplicativo Meu INSS.

    Após a perícia médica, o segurado recebe a diferença em uma parcela, caso o valor do auxílio-doença supere um salário mínimo. Instituída em abril, a antecipação do auxílio-doença e do BPC inicialmente valeria até o fim de julho e havia sido prorrogada até o fim deste mês.

    No caso do auxílio-doença, o INSS esclarece que o atestado médico deverá ser legível e sem rasuras. “O documento deverá conter as seguintes informações: assinatura e carimbo do médico, com registro do Conselho Regional de Medicina (CRM); informações sobre a doença ou a respectiva numeração da Classificação Internacional de Doenças (CID); e prazo estimado do repouso necessário”, informou o órgão.

    Leia Também:  Em evento online e gratuito, Wesley Safadão mostrará seu viés empreendedor

    No caso do BPC, o INSS disse que a antecipação do benefício será paga com base nos dados de inscrição no Cadastro Único do Governo Federal (CadÚnico) e no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF).

    “Além disso, para ter direito à antecipação, o requerente deve se enquadrar nas regras de renda relacionadas ao grupo familiar, que pode ser de até um quarto do salário-mínimo. Vale destacar que a antecipação do valor acima mencionado se encerrará tão logo seja feita a avaliação definitiva do requerimento de BPC”, informou o INSS.

    * Colaborou Luciano Nascimento

    Edição: Liliane Farias

    Continue lendo

    MOMENTO POLICIAL

    MOMENTO DESTAQUE

    MOMENTO MULHER

    MOMENTO PET

    MAIS LIDAS DA SEMANA