Momento Economia

Os voos domésticos mais longos do Brasil

Publicados

em


source

Contato Radar

undefined
Lucas Marques

Os voos domésticos mais longos do Brasil

Conheça os voos domésticos mais longos do Brasil.

Que o Brasil tem dimensões continentais, isso todo mundo já sabe. Na aviação, isso gera diversas oportunidades de conectar cidades, desde os mais rincões até os grandes centros.

Em junho, o Contato Radar trouxe uma matéria especial sobre os voos mais curtos do Brasil, que você pode acessar clicando aqui . Porém, quais são as rotas mais longas do país atualmente?

Com o retorno dos voos da Azul no seu Hub no nordeste, Recife, a companha anunciou uma grande novidade. A criação do novo voo entre a capital pernambucana e Porto Alegre. O voo iniciará em dezembro, e será portanto, o mais longo a ser realizado pela companhia no Brasil, com 4 horas e 20 minutos de duração.

A Azul também possui a terceira rota mais longa do país. Que assim como a de Porto Alegre, sai também do Recife, porém com destino Manaus. De acordo com o site de reservas da companhia, o voo tem duração de aproximadamente 4 horas e 5 minutos.

Leia Também:  Apenas 8% das mulheres negras no Brasil ocupam cargos de liderança

Entretanto, a GOL também possui um voo tão distante quanto da Azul entre Recife e Porto Alegre. Com a mesma duração prevista, de 4 horas e 20 minutos, a companhia opera com o Boeing 737-800 entre Rio de Janeiro (GIG) e Manaus.

A companhia, assim como a LATAM Brasil, operam entre São Paulo (GRU) e a capital manauara, podendo render entre 3 horas e 50 minutos até 4 horas de voo entre as duas capitais.

O post Os voos domésticos mais longos do Brasil apareceu primeiro em Contato Radar – Notícias de aviação .

Propaganda

Momento Economia

Ministra da Agricultura diz que nova safra pode reduzir preço do arroz

Publicados

em


A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, disse hoje (29) que o preço do arroz poderá ser reduzido com a chegada da nova safra, em janeiro. A ministra participou da live do presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais e explicou as medidas que foram tomadas para conter o preço do produto nas prateleiras dos supermercados. 

Tereza Cristina explicou que a pandemia da covid-19 desequilibrou o mercado de grãos em todo o mundo. Segundo a ministra, a pandemia provocou aumento no consumo do produto pelos brasileiros e o preço aumentou. Para conter o aumento, o Brasil autorizou a importação da Guiana e do Paraguai para equilibrar o mercado. 

“No mundo houve um desequilíbrio em vários preços dos produtos das commodities. O arroz foi um desses. Nós passamos a comer mais arroz, o auxílio emergencial fez também o aumento dessa demanda. Nós, em setembro, tiramos o imposto de importação, ele parou de subir e hoje tem ligeira queda. Vamos ter nova sofra chegando em janeiro e os preços vão reduzir”, afirmou a ministra. 

Plano Safra

A ministra também informou que todos os recursos previstos no Plano Safra deste ano foram contratados e estão sendo investidos pelo setor agrícola, por exemplo, na construção de instalações para produção de aves, suínos e confinamento de gado. 

Leia Também:  Apenas 8% das mulheres negras no Brasil ocupam cargos de liderança

“O Plano Safra foi um sucesso e hoje nós temos um bom problema, porque o dinheiro de investimento já terminou praticamente”.

A ministra disse ainda que os recursos do plano também estão sendo utilizados na agricultura familiar. Além disso, vários títulos de regularização de terras já foram entregues para produtores rurais que fazem parte do programa. 

“Nós estamos trabalhando para fazer assistência técnica, e o dinheiro do Plano Safra foi muito maior para esse público da pequena agricultura”.

Edição: Liliane Farias

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA