Momento Economia

Rapper pagará R$ 400 mil de multa após promover criptomoeda

Publicados

em


source

Rapper pagará R$ 400 mil de multa após promover criptomoeda

O rapper Clifford Harris , mais conhecido pelo nome artístico T.I , fez um acordo para pagar US$ 75 mil (quase R$ 400 mil) em um processo de oferta de criptomoedas.

Segundo as acusações, ele teria violado leis de segurança dos EUA ao vender investimentos fraudulentos em criptomoedas.

Agora, o vencedor do Emmy concordou em fazer o pagamento à Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos ( SEC , na sigla em inglês).

De acordo com uma matéria da Reuters , publicada em 12 de setembro, a SEC informou que denunciou o rapper e mais quatro associados. Dentre eles, o produtor cinematográfico Ryan Felton .

Segundo o órgão regulador, Felton seria o responsável por controlar a FLIK e a CoinSpark . As empresas em questão teriam conduzido as propostas iniciais da criptomoeda que T.I. promoveu.

O que disse a defesa

O rapper e ator de Atlanta , entretanto, não admitiu e nem negou as acusações da SEC .

Seu advogado, Henry Mazurek , declarou ainda que T.I. se arrependeu do envolvimento com Felton .

Conforme explicou Mazurek , o rapper acreditava que o produtor era um empresário local que tentava facilitar a entrada de novos artistas na indústria.

Ainda segundo o advogado:

T.I nunca recebeu um dólar do empreendimento falido do senhor Felton e imediatamente retirou seu nome dele, assim que descobriu que o projeto não havia se desenvolvido”.

Mazurek ainda destacou que o rapper cooperou totalmente com a investigação da SEC.

Entenda o caso

O rapper Clifford Harris , de 39 anos, é vencedor de três Grammy Awards.

Ele é conhecido pelos hits de 2008 “Whathever You Like”, “Live Your Life” e “Swagga Like Us”.

As acusações da SEC sobre a oferta de criptomoedas datam de 2017. Segundo o regulador, T.I. promoveu e vendeu, no referido ano, os criptoativos da FLiK através de suas redes sociais.

Além disso, a SEC disse que o rapper alegava, falsamente, ser o coproprietário da empresa. Desta forma, pedia que os seus fãs e seguidores investissem nas moedas digitais.

Leia Também:  Prazo de entrega da declaração do ITR acaba na quarta-feira

Propaganda

Momento Economia

Primeira parcela do auxílio residual será paga a partir de quarta

Publicados

em


A primeira parcela da extensão do auxílio emergencial será paga a partir de quarta-feira (30), segundo calendário divulgado em edição extra do Diário Oficial da União nesta segunda-feira. A Portaria Nº 496 detalha como serão feitos os pagamentos da extensão do auxílio emergencial para os beneficiários que não fazem parte do Programa Bolsa Família, isto é, os brasileiros integrantes do Cadastro Único (CadÚnico) e aqueles que solicitaram o benefício do auxílio emergencial a partir do aplicativo de celular (Extracad). 

Segundo o Ministério da Cidadania,  27 milhões de pessoas receberão R$ 300 ou R$ 600 (no caso de mães monoparentais).  Assim como ocorreu anteriormente no pagamento do benefício, o calendário seguirá o mês de nascimento dos beneficiários, ou seja, os créditos se iniciarão por aqueles nascidos em janeiro, depois fevereiro, março e assim sucessivamente, em poupança social digital já existente em nome do beneficiário.

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, disse que a extensão do pagamento do auxílio emergencial reforça o compromisso do governo em não desamparar os brasileiros mais afetados pela pandemia. “Nós já estamos em pleno processo de pagamento para as famílias do Bolsa [Família] e essa rede de proteção continua estendida a todos aqueles em situação de vulnerabilidade”, disse o ministro.

Leia Também:  Prazo de entrega da declaração do ITR acaba na quarta-feira

Os primeiros beneficiados na nova fase são aqueles que foram contemplados com o benefício em abril, atenderam aos critérios previstos na MPV nº 1.000/2020 , e já terminaram de receber as cinco parcelas do auxílio emergencial, ficando sem descontinuidade no recebimento do benefício. As pessoas que se tornaram elegíveis em maio, junho e julho terão os novos valores creditados em outubro, novembro e dezembro, respectivamente, após o fim do pagamento do auxílio. De acordo com a MPV, a extensão será paga em até quatro parcelas, encerrando-se, obrigatoriamente, em dezembro de 2020.

Os valores continuarão sendo depositados na poupança social digital da Caixa, bem como os saques seguirão um calendário diferente, para que o distanciamento social nas agências bancárias continue sendo respeitado, contribuindo para minimizar a disseminação do novo cornonavírus.

Bolsa Família

Os beneficiários do Programa Bolsa Família elegíveis ao auxílio emergencial começaram a receber os novos valores do benefício no dia 17 de setembro. Isso porque o auxílio pago a esse público segue o calendário do Bolsa Família, que respeita o número final do NIS. São 16,3 milhões de beneficiários nesta opção que recebem a extensão do auxílio emergencial.

Leia Também:  Reforma tributária: audiência marcada com a comissão mista é cancelada

No total, os públicos CadÚnico, Extracad e Bolsa Família, representam, até o momento, 43,3 milhões de brasileiros beneficiados com a parcela de setembro da extensão do auxílio emergencial, o que totaliza um investimento de R$ 13,3 bilhões.

Edição: Fábio Massalli

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA