Momento Economia

Rio repagina campanha para comemorar Dia dos Namorados

Publicados

em


A campanha O Rio não Para, lançada pelo setor produtivo do turismo em 2019, foi retomada agora, com a meta de proporcionar aos turistas da cidade benefícios e descontos exclusivos, que se estenderão ao longo de todo o ano.

O vice-presidente do Sindicato dos Meios de Hospedagem do Rio de Janeiro (HotéisRIO), Ronnie Arosa, informou hoje (10) à Agência Brasil que a ação promocional foi totalmente repaginada e, aproveitando duas datas do mês de junho, o Dia dos Namorados(12), e o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ (28), a campanha se chamará O Rio Não Para, para Você Não parar de Se Apaixonar.

“Vários setores do turismo, atrativos turísticos, comércio dedicado ao turismo. se uniram para ver o que nós podemos fazer de melhor para a retomada do setor. Como o mês de junho é o mês dos namorados, a gente quis aproveitar esse gancho para chamar as pessoas para virem conhecer o Rio de Janeiro e mostrar que o Rio está preparado, cumprindo todas as normas sanitárias, e não estamos parados. Continuamos abertos, funcionando, seguindo estritamente as regras sanitárias”, disse Arosa.

A céu aberto

Segundo Arosa, a iniciativa visa a atrair o turista, mesmo o local, da própria cidade, ou de cidades próximas, para o Rio, porque há muito a oferecer nesta época do ano. “Para mostrar que os atrativos culturais e turísticos estão funcionando”. Arosa enfatizou que o de Janeiro é uma cidade aberta, porque a maioria de seus atrativos é a céu aberto. “Isso ajuda muito as pessoas que visitam os pontos turísticos sem maiores problemas, porque não há tanta aglomeração. A gente acredita que o Rio é uma cidade fantástica para atrair o público nessa retomada de viagens.”

Leia Também:  Petrobras estaria indicando tratamento precoce para funcionários, diz sindicato

Ele destacou, entretanto, que, embora a pandemia se mostre mais controlada na capital, é preciso tomar todos os cuidados e requisitos para poder viajar em segurança. E lembrou que o Aeroporto Internacional Tom Jobim-RIOgaleão recebeu, em dezembro do ano passado, o certificado internacional do Programa de Saúde Aeroportuária e, da mesma forma, os parques e atrativos turísticos têm certificados internacionais de cumprimento das normas sanitárias, assim como a hotelaria, que conquistou o selo do Turismo Consciente do estado. “Estamos cumprindo todas as normas de segurança”, reiterou.

De acordo com Arosa, os turistas que vierem para o Rio de Janeiro terão uma experiência “maravilhosa” e controlada. Ele destacou que, além de atrair visitantes, a campanha pretende apresentar aos turistas experiências novas. “A cada mês, vamos trazer novos pacotes. A ideia é não ver o Rio como duas ou três atividades. Vamos poder aproveitar melhor o Rio. Todos os atrativos culturais e hotéis estão fazendo promoções específicas, pacotes românticos”. O objetivo é pensar que o turismo do Rio de Janeiro vai ser um turismo de experiência. Cada mês haverá uma temática nova. “Vamos trabalhar sobre essas temáticas, para trazer experiências novas a cada mês para os turistas.”

Benefícios

Ao longo do mês de junho, quem visitar a cidade terá direito a benefícios especiais dos parceiros envolvidos no projeto, para que o turista viva uma experiência única na cidade. Quem se hospedar nos hotéis cariocas, por exemplo, vai obter descontos nas diárias, que podem incluir pacotes românticos para o Dia dos Namorados, oferecidos por cada empreendimento. A maioria dos pacotes conta com jantar romântico, espumante e decoração especial.

Leia Também:  Outlet imobiliário têm mais de 2 mil ofertas em junho com descontos de até 69%

O Bondinho Pão de Açúcar elaborou a campanha promocional Casal Maravilha. Na compra de um bilhete no site oficial, usando o cupom CASALMARAVILHA, o segundo bilhete terá desconto de 50%. O desconto será aplicado ao ingresso de menor valor, sendo válido somente para bilhetes comprados para a mesma data de visitação, desde que utilizados juntos na entrada do parque, até o dia 20. Outra ação especial será um ponto “instagramável” para os casais apaixonados, que poderão fazer fotos em uma moldura de um coração gigante, localizada estrategicamente, de forma a render belos registros fotográficos.

Outras atrações turísticas da cidade como o Cristo Redentor, o AquaRio e o BioParque do Rio também estão dando descontos que chegam a 45% no valor dos ingressos, quando comprados juntos. A ação é denominada Par Perfeito e objetiva facilitar às pessoas celebrarem o amor e ficarem conectadas à natureza.

O projeto O Rio não Para é promovido por um grupo de trabalho formado por empresários dos setores de entretenimento e indústria hoteleira, e visa promover o desenvolvimento do setor de turismo e incrementar o fluxo de visitantes na cidade. Entre os parceiros e apoiadores do projeto estão HotéisRIO, RIOgaleão, Bondinho Pão de Açúcar, Grupo Cataratas, RioLine e Campo Olímpico de Golfe.

Edição: Nádia Franco

Propaganda

Momento Economia

Privatização da Eletrobras é adiada e relator faz mudanças radicais no texto

Publicados

em


source
Rodrigo Pacheco (DEM - MG) é o presidente do Senado Federal
Jefferson Rudy/Agência Senado

Rodrigo Pacheco (DEM – MG) é o presidente do Senado Federal


O senador Marcos Rogério (DEM-RO) apresentou, nesta quarta-feira (16), o relatório para a medida provisória ( MP ) que permite a privatização da Eletrobras e fez uma série de modificações no texto. Entre as medidas, está a manutenção de incentivos para térmica a carvão. O presidente do Senado , Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse que a votação deve ficar para a quinta-feira (17).

O governo corre contra o tempo para tentar aprovar a MP até a próxima terça-feira, quando a medida perde validade. Apesar do texto apresentado, o governo não tem segurança de que a MP será aprovada. Mesmo assim, deve insistir na votação que, nas palavras de um integrante do governo, será disputada voto a voto.

Para tentar vencer resistências do plenário, o senador acatou 19 emendas de senadores e voltou a afirmar que fez as mudanças em “alinhamento” com o relator na Câmara .


Rogério fez diversas modificações no texto, numa tentativa de garantir apoio à MP. A contratação de 6 mil megawatts (MW) de termelétricas a gás natural de maneira compulsória em regiões sem o fornecimento do combustível é o principal ponto alvo de críticas do setor elétrico.

Leia Também:  Homem furta moto de empresa para ressarcir indenização não recebida; entenda

O relatório coloca ainda mais exigências para a contratação das termelétricas. Ele determina a contratação de 1.000 megawatts (MW) na região Nordeste em capitais que não possuam ponto suprimento de gás natural; 2.500 MW na região Norte “onde seja viável” a utilização das reservas provadas da Região Amazônica, garantindo pelo menos o suprimento à duas capitais que não possuam ponto suprimento de gás; 1.750 MW também onde não há o suprimento; e mais 750 MW na região do Triângulo Mineiro.

O texto mantém a necessidade de contratar 2 mil MW de energia de pequenas centrais hidrelétricas.

Incentivos para carvão

Além disso, o relatório de Marcos Rogério estende até 2035 um programa de subsídios para a geração de energia elétrica por usinas termelétricas movidas a carvão mineral. As termelétricas a carvão são as mais poluentes de todo o sistema e estão sendo abandonadas em todo o planeta.

O texto proíbe mudanças nas sedes da Eletrobras num prazo de 10 anos após a privatização. A Eletrobras também deverá realocar toda e qualquer população que esteja morando abaixo de linhas de transmissão de grande capacidade.

O modelo de privatização prevê a emissão de novas ações a serem vendidas no mercado, resultando na redução da fatia da União, de cerca de 60%, para menos de 50%. A previsão é que a capitalização da empresa levante mais de R$ 60 bilhões.

Mas o relatório muda a destinação de parte desse dinheiro. Metade será destinada para reduzir as contas de luz. Além disso, haverá destinação de R$ 8,75 bilhões para revitalização de bacias hidrográficas do Rio São Francisco, de Furnas, do Rio Parnaíba e da região da Amazônia Legal. Também será necessário destinar recursos para a operação da transposição do Rio São Francisco.

Leia Também:  Outlet imobiliário têm mais de 2 mil ofertas em junho com descontos de até 69%

Pelo texto, empregados da Eletrobras que forem demitidos nos 12 meses subsequentes à privatização poderão ser realocados em outras estatais.

Mudanças no setor elétrico

O relatório ainda muda de maneira significativa a forma como a energia elétrica poderá ser contratada pelo consumidor. O texto diz que, apartir de 1º de julho de 2026, todos os consumidores poderão optar pela compra de energia elétrica de qualquer concessionário, permissionário ou autorizados de energia elétrica do sistema Interligado Nacional. Na prática, todo consumidor poderá ser um consumidor livre, comprando energia de quem desejar.

O texto ainda determina que o governo faça um programa, em 12 meses, de recuperação dos reservatórios das hidrelétricas.

Marcos Rogério ainda coloca no texto uma forma de garantir o fornecimento de energia mais barato para a indústria da Região Norte e uma indenização de R$ 260,4 milhões ao governo do Piauí pela privatização da sua distribuidora de energia.

Pelo texto, a indicação dos diretores do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) precisará passar pelo Senado, mesmo o órgão sendo uma entidade de direito privado.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA