Momento Economia

Segunda rodada da Cessão Onerosa deve ocorrer até o fim do ano

Publicados

em


O Brasil ocupa a sétima posição no ranking mundial de produção e de exportação de petróleo. A meta é chegar a 2030 entre a quarta e a quinta posição. Para falar sobre o assunto, o secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, José Mauro Coelho, é o entrevistado do programa Brasil em Pauta, às 20h30 deste domingo, na TV Brasil.

Entre as medidas mais esperadas estão a realização da segunda etapa do leilão da Cessão Onerosa (excedente do volume de petróleo e gás que a União cedeu à Petrobras) que vai leiloar os campos de Sépia e Atapu. A expectativa é de que o leilão seja realizado até o fim deste ano.

Coelho destacou que a camada pré-sal é responsável por 73% da produção nacional de petróleo. “Vemos nos últimos anos uma produção declinante dos campos em terra e dos campos maduros em mar mas na área do pós-sal”. Para isso o governo está realizando programas de revitalização das atividades de produção e exploração nessas duas áreas.

Leia Também:  Volkswagen coloca 800 funcionários em férias coletivas por falta de peças

O secretário também falou sobre o plano de desinvestimento que deve abrir o setor de refino no país. “Concentração de mercado é uma barreira a investimentos e a novos entrantes”, disse.

Segundo ele, a Petrobras se comprometeu a vender oito ativos de refinarias. “O governo federal queria trabalhar numa abertura do mercado, que o mercado tivesse maior concorrência, maior dinamismo, maior pluralidade de agentes e, claro, isso traz benefícios para o consumidor brasileiro. Essa competição tem o potencial de levar a uma redução de preços”.

Durante a entrevista, foram abordados também temas como as matrizes renováveis de energia – o Brasil é o segundo maior produtor de biodiesel do mundo – preço da gasolina e a nova Lei do Gás.

Edição: Aécio Amado

Propaganda

Momento Economia

Caixa libera regaste de cotas do Fundo de Desenvolvimento Social (FDS)

Publicados

em


source
Caixa autoriza regaste de cotas do Fundo de Desenvolvimento Social, usado para financiar projetos de habitação popular, saneamento e infraestrutura para populações de baixa renda
Redação 1Bilhão Educação Financeira

Caixa autoriza regaste de cotas do Fundo de Desenvolvimento Social, usado para financiar projetos de habitação popular, saneamento e infraestrutura para populações de baixa renda

A Caixa autorizou nesta terça-feira (28) o resgate de cotas do Fundo de Desenvolvimento Social (FDS). O programa reúne recursos para garantir o investimento em políticas públicas para populações de baixa renda e é usado para financiar projetos de investimento nas áreas de habitação popular, saneamento e infraestrutura, como o Minha Casa Minha Vida e o Crédito Solidário.

As instituições financeiras têm até o dia 12 de dezembro para resgatar as cotas. O valor pago a cada cotista será calculado com base no valor de cada cota na Bolsa Valores, B3, na data do resgate. A Caixa afirma ainda que esse valor terá 60,4% de desconto, além da dedução de taxas e impostos da transação financeira. Depois do resgate, o pagamento será realizado em até 30 dias.

Segundo o banco, a porcentagem descontada será redirecionada para o FDS. Esse saldo deve ser investido na área de moradia, na promoção da regularização fundiária e na aplicação dos recursos para pessoas beneficiárias do fundo.

Os documentos necessários, assim como endereços e procedimentos para o resgate foram publicados no Diário Oficial da União

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA