Momento Economia

Sem convite para mulheres e Hang excluído: a lista do jantar de Bolsonaro

Publicados

em


source
luciano hang e jair bolsonaro
Reprodução/Facebook

Empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan, foi excluído de jantar entre Bolsonaro e empresários

O presidente Jair Bolsonaro se reuniu com empresários em jantar nesta quarta-feira (7), no bairro dos Jardins, área nobre de São Paulo, e foi ovacionado, embora tenha ouvido cobranças para acelerar a vacinação contra a Covid-19 e para defender a agenda de reformas econômicas . Donos de grandes empresas estiveram presentes, mas, além deles, as ausências também chamaram a atenção: nenhuma mulher foi sequer convidada, e o notório bolsonarista Luciano Hang , dono da Havan, acabou excluído.

Bolsonaro disse estar fazendo o máximo que pode para garantir a imunização da população brasileira contra a Covid-19, segundo disse um dos  empresários presentes à Folha de S.Paulo . Após citar o fato de o Brasil ser um dos únicos países a fabricar vacinas contra a doença causada pelo novo coronavírus, o presidente teria sido muito exaltado pelos ‘representantes do PIB’.

O jantar desta quarta aconteceu na casa de  Washington Cinel , dono da empresa Gocil, do setor de segurança, e contou com apenas 9 dos 65 bilionários brasileiros elencados pela revista Forbes . De todos os que foram convidados, apenas dois recusaram, alegando que viajavam e não poderiam comparecer. Empresários cujas fortunas não chegam a R$ 1 bilhão, segundo a lista da Forbes, também foram convidados. A lista final reuniu cerca de 20 empresários, além dos convidados do presidente.

Leia Também:  Campos Neto tem mandato ampliado e é confirmado na presidência do BC até 2024

Nenhuma das 9 mulheres bilionárias que integram a lista dos mais ricos da Forbes foi convidada para o encontro, que teve a presença exclusiva de homens. Luciano Hang, um dos empresários com apoio mais fervoroso e público a Bolsonaro, chegou a ser incluído em uma pré-lista de convidados, mas ficou de fora. Segundo a Folha de S.Paulo , a ideia era evitar o convite para os chamados ” radicais “.

Você viu?

A lista do jantar

Além de Bolsonaro, a ‘comitiva oficial’ contou com os ministros Paulo Guedes , da Economia; Tarcísio de Freitas, da Infraestrutura; Marcelo Queiroga , da Saúde; e Fábio Faria, da Comunicação. O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e o general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional, também marcaram presença.

Entre os empresários, estiveram presentes, além do dono da casa:

  • Claudio Lottenberg, do Hospital Albert Einstein;
  • André Esteves, do BTG;
  • Alberto Saraiva, do Habib’s;
  • Luis Carlos Trabuco, do Bradesco;
  • Rubens Menin, do Banco Inter, da MRV e da CNN Brasil;
  • David Safra, do Banco Safra;
  • Rubens Ometto, da Cosan;
  • Carlos Sanchez, da EMS Farmacêutica;
  • Paulo Skaf, da FIESP;
  • Ricardo Faria, da Granja Faria;
  • João Camargo, do Grupo Alpha;
  • Candido Pinheiro, da Hapvida Saúde;
  • Tutinha Carvalho, da Jovem Pan;
  • José Roberto Maciel, do SBT;
  • Flávio Rocha, da Riachuelo; e
  • José Isaac Peres, da Multiplan.
Leia Também:  CSN informa que operações portuárias seguem normalmente na região de Itaguaí

Nesta quarta, onde o encontro de dezenas de pessoas foi promovido, 3.829 brasileiros foram vitimados pela Covid-19, e o país ultrapassou a marca de 340 mil óbitos pela doença .

No encontro, que durou cerca de 2 horas e meia, os convidados foram distribuídos em duas grandes mesas. O cerimonial pediu que os celulares fossem deixados na entrada da casa, e, durante todo o encontro, eles não foram usados.

Propaganda

Momento Economia

BC aprova obrigatoriedade dos bancos ofertarem Pix por agendamento

Publicados

em


A partir de 1º de setembro, as instituições financeiras serão obrigadas a oferecer o serviço do Pix Agendado, que é a possibilidade de o usuário pagador marcar o procedimento para uma data futura com o uso da chave Pix ou dados bancários de quem vai receber o dinheiro. A Diretoria Colegiada do Banco Central aprovou a nova alteração no Regulamento do Pix, anexo à Resolução nº 1, de 2020.

Desde o lançamento do Pix, o serviço de transferência instantânea do Banco Central (BC), em 16 de novembro de 2020, essa é uma funcionalidade facultativa. De acordo com o BC, o prazo de 1º de setembro é razoável para que todas as instituições façam os ajustes necessários no sistema e interfaces (aplicativos e internet banking). Tal medida visa ampliar ainda mais a comodidade dos pagadores, garantindo que todos os usuários, independentemente da instituição em que tenham conta, possam agendar um Pix, explicou o banco, em comunicado.

As instituições bancárias também ganharam mais prazo para se adequar ao Pix Cobrança, que será lançado em 14 de maio. A ferramenta permitirá cobranças com vencimento em datas futuras por meio da geração de um QR Code (versão avançada do código de barras).

Leia Também:  Governo de SP vai leiloar linhas 8 e 9  da CPTM nesta terça-feira (20)

A regra estabelece que as instituições participantes do Pix que não conseguirem proporcionar a experiência completa de pagamento (leitura do QR Code e pagamento em data futura) no período de 14 de maio a 30 de junho, terão que, no mínimo, possibilitar a leitura e o pagamento na data da leitura do código, com todos os encargos e abatimentos calculados corretamente. De acordo com o BC, será um período transitório, que dará às instituições tempo adicional para finalizar as alterações nos sistemas.

A partir de 1º de julho, então, todos os participantes precisarão ser capazes de fazer a leitura do QR Code e também possibilitar o pagamento deste para data futura.

O BC destacou que, desde o lançamento do Pix é possível fazer a leitura de QR Code para pagamentos imediatos. “Já a oferta do Pix Cobrança (geração das cobranças com Pix e demais funcionalidades associadas a gestão das cobranças) é facultativa aos participantes, sendo obrigatória apenas a oferta de serviço de geração de QR Code estático aos usuários recebedores pessoa natural”, explicou o BC.

A implementação do Pix Cobrança já foi adiada em outras ocasiões [https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2021-03/bc-altera-para-14-de-maio-implementacao-do-pix-cobranca].

Auxílio emergencial

Por fim, o BC aprovou a medida que garante que, a partir de 30 de abril, recursos recebidos do auxílio emergencial 2021 poderão ser movimentados por Pix. A única exceção será para os casos de transferência para conta de mesma titularidade. Segundo a instituição, tal excepcionalidade é necessária para a proteção dos usuários, uma vez que esses recursos não podem ser objeto de descontos ou de compensações que impliquem a redução do valor do auxílio.

Leia Também:  CSN informa que operações portuárias seguem normalmente na região de Itaguaí

Sistema de pagamentos instantâneos do BC, o Pix permite a transferência de recursos entre contas bancárias 24 horas por dia. As transações são executadas em até 10 segundos, sem custo para pessoas físicas. Para usar o Pix, o correntista deve ir ao aplicativo da instituição financeira e cadastrar as chaves eletrônicas, que podem seguir o número do celular, o e-mail, o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), para pessoas físicas ou o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), para empresas.

O usuário também pode gerar uma chave aleatória, com um código de até 32 dígitos ou mesmo usar os dados da conta. Cada chave eletrônica está associada a uma conta bancária. Pessoas físicas podem ter até cinco chaves por conta. Para pessoas jurídicas, o limite sobe para 20.

Edição: Nádia Franco

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA