Momento Economia

SP autoriza a reabertura de parques temáticos ao ar livre a partir do dia 23

Publicados

em


source

Brasil Econômico

Hopi Hari
Reprodução/Facebook/Hopi Hari

Parques temáticos ao ar livre estão autorizados a funcionar com restrições

Parques e atrações temáticas ao ar livre poderão reabrir a partir do dia 23 de setembro em São Paulo, conforme afirma o governador do estado, João Doria (PSDB). Os parques poderão funcionar por até oito horas por dia, desde que obedeçam protocolos de segurança estabelecidos pelo Plano São Paulo .

Será obrigatório o uso de máscara por funcionários e por todo o público, além da medição de temperatura na entrada dos estabelecimentos e controle do limite de até 40% do público. Para garantir a lotação reduzida, também será obrigatória a venda antecipada de ingresssos. O governo ainda não informou sobre a possível abertura de atrações em ambientes fechados. 

De acordo com o governador João Doria, “a fiscalização e acompanhamento serão feitos por cada prefeitura de cada cidade onde está localizado o parque”. São Paulo representa o maior conjunto de parques temáticos da América Latina, o que representa – de forma direta e indireta – cerca de 26 mil empregos no estado.

Leia Também:  INSS diz que 57 agências já realizam perícia médica; veja como agendar

Propaganda

Momento Economia

Custos industriais caem 1,5% no segundo trimestre

Publicados

em


.

O Indicador de Custos Industriais caiu 1,5% no segundo trimestre de 2020, comparado ao período anterior, segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI). A entidade considera a redução “um alívio” para o setor, mas espera para os próximos meses aumento do preço dos insumos, por impacto da alta do dólar.

“Percebemos que a maioria dos fatores que puxaram esse índice para baixo é transitória. Os impostos foram adiados, mas serão pagos. O custo de energia, com a retomada da economia, tende a aumentar. O mesmo vale para os custos com pessoal e com capital de giro. Os preços dos insumos subiram bastante, em parte devido à queda temporária da oferta em razão da crise e também à desvalorização do real. Temos um problema que começa a aparecer e que vai ficar patente assim que as medidas emergenciais tiverem seu fim”, avalia o gerente executivo de Economia da CNI, Renato da Fonseca.

O índice de custo com bens intermediários subiu 6,2%, reflexo do impacto do câmbio no aumento do preço dos insumos, nacionais e importados. O custo com bens intermediários importados cresceu 17,1% e o custo com bens intermediários nacionais aumentou 4,1%. Segundo a CNI, esse resultado também é influenciado pela taxa de câmbio, à medida que o dólar mais caro incentiva a exportação dos insumos produzidos no país, com aumento de preços para a demanda interna.

Leia Também:  INSS diz que 57 agências já realizam perícia médica; veja como agendar

Custos tributários 

Nos componentes do índice, há quedas acentuadas, como a de 21,2% no custo tributário, devido à postergação do prazo de pagamento de impostos, ao recuo de 19,2% no custo do capital de giro, que ocorreu pelas medidas de aumento da liquidez do Banco Central, e de 6,6% no custo com pessoal, pelos acordos de redução de jornada e salário.

Houve queda de 9% no custo com energia, o que se deve à menor demanda por combustíveis devido à menor circulação de pessoas e menor atividade econômica.

Segundo a CNI, os custos caíram mais que os preços das mercadorias produzidas, indicando ganho de lucratividade da indústria brasileira no segundo trimestre. Enquanto os custos caíram 1,5%, os preços das mercadorias produzidas recuaram 0,1%.

Edição: Graça Adjuto

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA