Momento Educação

CNH Digital poderá ser usada para identificar candidatos do Enem

Publicados

em

A edição 2022 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) conta com uma série de serviços digitais que facilitam a vida do estudante. Entre elas, a possibilidade de, pela primeira vez, os candidatos poderem usar a versão digital da carteira nacional de habilitação (CNH Digital) para se identificarem nos locais de prova e para fazerem suas inscrições.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), os documentos digitais serão aceitos pelos fiscais de sala no Enem, “desde que os candidatos os apresentem nos aplicativos oficiais do governo”.

No caso da CNH Digital, o documento poderá ser exibido tanto no aplicativo do Gov.br quanto no da Carteira Digital de Trânsito. “Capturas de tela, fotos ou impressões dos documentos não serão válidos”, alerta o Inep.

Um outro novo recurso disponibilizado aos candidatos é a de poder pagar as inscrições por meio de Pix ou de cartão de crédito. As inscrições para o Enem 2022 vão até o dia 21 de maio.

Leia Também:  Lei que amplia Prouni para estudantes de escolas privadas é sancionada

Informações centralizadas

A fim de centralizar informações e serviços implementados via plataforma gov.br ao público estudantil, foi criado também o site Perfil do Cidadão Brasileiro Estudante, espaço que é uma espécie de atalho que possibilita acessar uma série serviços voltados a estudantes da educação básica à superior.

Para acessar o Perfil do Cidadão Brasileiro Estudante, clique aqui.

Os serviços vão, desde obtenção e protocolação de documentos para acesso a programas do Ministério da Educação, até pesquisa sobre universidades, institutos e entidades educacionais, passando por serviços voltados a estudantes com deficiência e estrangeiros.

Há também serviços para estudantes com deficiência e estrangeiros, biblioteca digital e informações sobre infraestrutura, trânsito e transportes de estudantes.

Empregos

O perfil permite ainda o cadastro de currículos e disponibiliza serviço de busca de vagas no Sistema Nacional de Emprego (Sine). Pode-se agendar entrevista com possíveis empregadores.

Edição: Maria Claudia

Propaganda

Momento Educação

Ministério da Educação comunica à Universidade Federal de Mato Grosso um bloqueio de mais de R$ 3 bi em seu orçamento para cumprir teto

Publicados

em

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) foi atingida, nesta sexta-feira (27) por um comunicado do Ministério da Educação (MEC) que anunciou um bloqueio de R$ 3,2 bilhões em seu orçamento.

A medida visa cumprir o teto de gastos estabelecido durante o governo Michel Temer (MDB) que impede que os gastos públicos cresçam mais do que a inflação.

Apesar da medida ainda não ter sido publicada NO Diário Oficial e, portanto, ainda ser passível de alterações, a expectativa da comunidade acadêmica é que o contingenciamento se torne real.

Com isso, as Universidades e Institutos Federais passarão a operar com um orçamento 14,5% menor do que o previsto para 2022.

No caso da UFMT, o comunicado do MEC foi recebido pelo pró-reitor de planejamento, Roberto Perillo Barbosa da Silva. A tendência é de que a publicação que oficializa o bloqueio deva ser publicada na próxima segunda-feira (30).

Como a Universidade trabalha com gastos obrigatórios, como a folha de pagamento e contratos, a perspectiva é de que os setores mais atingidos sejam os de pesquisa e extensão e os auxílios estudantis.

Leia Também:  Alunos da rede pública participam de mostra de cinema na França

“O que o governo federal está tentando fazer agora é cumprir essa emenda constitucional de uma forma abrupta, sem diálogo com as entidades e isso está sendo muito ruim porque o orçamento das Universidades foi aprovado pelos Conselhos superiores, por Comissões e agora tem menos de 10 dias para refazer o orçamento”, explica o conselheiro discente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da UFMT, Wesley da Mata. 

“A gente sabe que tem alguns itens que a Universidade não pode se dar ao luxo de não gastar e aí no final, as bolsas e auxílios dos estudantes é onde realmente acontecem os cortes”, completa.

 

Otavio Ventureli(da redação com assessoria)

 

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA