Momento Educação

Em São Paulo, 41% dos jovens pensaram em deixar estudos na pandemia

Publicados

em


Pesquisa da Rede Conhecimento Social, em parceria com Global Opportunity Youth Network São Paulo (Goyn SP) e a Coordenadoria da Juventude da Prefeitura Municipal de São Paulo, mostra que 41% dos jovens da capital paulista pensaram em desistir de estudar durante a pandemia de covid-19.

O levantamento divulgado nesta terça-feira (23) é um recorte focado nos 3.520 jovens da cidade de São Paulo que participaram da 2ª edição da pesquisa nacional Juventudes e a Pandemia do Coronavírus, realizada de 22 de março a 12 de abril de 2021. Idealizada pelo Conselho Nacional da Juventude (Conjuve), a pesquisa ouviu 68.114 jovens no país.

De acordo com o estudo, 4% dos jovens tinham interrompido os estudos principalmente por sentirem dificuldade em se organizar com o ensino remoto e a necessidade de procurar renda durante o período. Apesar de continuarem estudando, 4 a cada 10 jovens (40%) pensaram em parar os estudos durante a pandemia, e 7 a cada 10 pensaram (70%) em desistir do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Leia Também:  Enem: estudante com doença infectocontagiosa pode pedir reaplicação

“A pandemia agravou, em diferentes níveis e perspectivas, a violação dos direitos das pessoas jovens no Brasil e, por isso, desenvolvemos a pesquisa. Criamos uma base sólida de evidências para apoiar a atuação de tomadores de decisão e ampliar a capacidade da sociedade de produzir respostas aos desafios emergenciais”, destacou o presidente da Conjuve, Marcus Barão.

A pesquisa mostrou ainda que 5 a cada 10 jovens (50%) paulistanos se disseram pessimistas quanto ao futuro após a pandemia. A covid-19 também influenciou a forma como eles percebem a política: 5 a cada 10 afirmaram (50%) acreditar que participarão mais e estarão mais atentos sobre a política; e 8 a cada 10 declararam (80%) que a pandemia vai influenciar na forma que vão votar nas próximas eleições.

Dos jovens da capital paulista que responderam à pesquisa, 11% tinham de 15 a 17 anos; 51%, de 18 a 24 anos; e 38%, de 25 a 29. A maioria dos entrevistados foi de mulheres (70%); 64% se declararam brancos; 32%, negros; 4%, amarelos; e nenhum, indígena.

Edição: Nádia Franco

Propaganda

Momento Educação

Hoje é o último dia para pagar taxa de inscrição do Revalida 2021

Publicados

em


Hoje (1º) é o último dia para o pagamento da taxa de inscrição da segunda etapa do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida) 2021. O boleto deve ser gerado pelo sistema do exame e pago respeitando os horários de compensação bancária.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a inscrição será confirmada mediante o pagamento, que pode ser feito em qualquer agência bancária, dos Correios ou em casa lotérica, obedecendo aos critérios estabelecidos por esses correspondentes bancários.

Provas

As provas de habilidades clínicas serão aplicadas nos dias 18 e 19 de dezembro. Para participar da segunda etapa, que é um exame prático, é necessário ter sido aprovado na primeira, que contemplou as provas objetiva e discursiva.

Os resultados definitivos dessa última fase foram divulgados na última sexta-feira (19). Participantes do Revalida 2020 aprovados na prova teórica e reprovados na prática também poderão se inscrever nesta segunda etapa do Revalida 2021 e dar sequência ao exame.

Leia Também:  Resultado do Enem será divulgado em 11 de fevereiro

Ao todo, são 7.280 vagas disponíveis, distribuídas entre as 22 cidades de aplicação. São elas: Aracaju (SE), Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Campina Grande (PB), Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Fortaleza (CE), Florianópolis (SC), Goiânia (GO), João Pessoa (PB), Maceió (AL), Manaus (AM), Niterói (RJ), Pelotas (RS), Porto Alegre (RS), Salvador (BA), São Luís (MA), São Paulo (SP), Santa Maria (RS), Teresina (PI) e Uberlândia (MG).

De acordo com o Inep, na segunda etapa, os participantes realizarão provas de habilidades clínicas. O exame é estruturado por um conjunto de dez estações, que serão percorridas ao longo dos dois dias de provas, nas quais os médicos deverão realizar tarefas específicas das áreas determinadas. Isso pode incluir investigação de história clínica, interpretação de exames, formulação de hipóteses diagnósticas, demonstração de procedimentos médicos, aconselhamento a pacientes ou familiares, entre outras.

O participante aprovado nesta etapa estará apto a prosseguir com o apostilamento da revalidação do diploma de medicina junto a uma das universidades parceiras do exame. Após a divulgação do resultado final, a relação das instituições será disponibilizada no Sistema Revalida. Caso o participante reprove na segunda etapa, ele poderá se reinscrever diretamente nela, pelas duas próximas edições do exame.

Leia Também:  Hoje é o último dia para pagar taxa de inscrição do Revalida 2021

Revalida

Aplicado pelo Inep desde 2011, o Revalida busca subsidiar a revalidação, no Brasil, do diploma de graduação em medicina expedido no exterior. O exame é composto por duas etapas (teórica e prática) que abordam, de forma interdisciplinar, as cinco grandes áreas da medicina: clínica médica, cirurgia, ginecologia e obstetrícia, pediatria e medicina da família e comunidade (saúde coletiva).

Edição: Aécio Amado

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA