Momento Educação

Entidades recomendam ações para fortalecer educação na pandemia

Publicados

em


O Movimento Todos pela Educação e a Human Rights Watch Brasil divulgaram hoje (11) um conjunto de recomendações ao governo federal para fortalecer as políticas públicas voltadas a apoiar o setor educacional durante a pandemia.

De acordo com as entidades, é preciso alocar recursos de forma estratégica para assegurar o acesso e evitar a evasão escolar, especialmente por segmentos mais atingidos pela pandemia, como negros, indígenas e crianças e adolescentes das áreas rurais.

Segundo o Todos pela Educação, em 2020 o governo federal reservou orçamento de R$ 48,2 bilhões para a educação básica, mas o valor executado ficou em R$ 35,2 bilhões, o menor em uma década.

As duas organizações destacam a necessidade de disponibilizar vacinas para trabalhadores da educação em todo o país, inclusive aqueles com atuação em unidades de ensino em comunidades marginalizadas.

Os profissionais da área foram incluídos no plano de operacionalização da vacinação contra a covid-19 e passaram a receber doses neste mês para a sua imunização, começando pelos trabalhadores em creche e do ensino fundamental.

As organizações defendem o uso de indicadores claros para o fechamento das escolas que considerem os riscos de transmissão do novo coronavírus e parâmetros baseados em evidências para decidir o retorno às atividades presenciais.

Leia Também:  Governo publica decreto que regulamenta a Lei Rouanet

O documento acrescenta que deve ser realizada uma campanha de “volta às aulas” visando a um retorno gradual e seguro, ofertando apoio às famílias cujas crianças e adolescentes tiverem dificuldades para isso.

A manifestação acrescenta que o Executivo federal deve apoiar estados e municípios com menores condições no fornecimento de equipamentos de proteção individual para os profissionais da educação.

Outra ação elencada é o apoio ao acesso à internet de alunos. As entidades citam pesquisa do Instituto Datafolha segundo a qual antes da pandemia 4 milhões de crianças e adolescentes não possuíam acesso à internet.

Segundo as organizações, o governo federal deveria adotar “medidas para garantir internet acessível, confiável e estável, incluindo medidas direcionadas para fornecer acesso gratuito e equitativo – e dispositivos capazes de apoiar o conteúdo educacional básico – para crianças e adolescentes que ainda não podem assistir às aulas presencialmente”.

No posicionamento, o Movimento Todos pela Educação e a Human Rights Watch Brasil lembram que, de acordo com ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2020, 16,6% das crianças em casas com renda per capita de até meio salário mínimo não tiveram acesso à educação, índice que foi de 3,9% nos lares com renda per capita de mais de quatro salários mínimos.

Leia Também:  CNPq identifica problema e vai retomar funcionamento de plataformas

A Agência Brasil entrou em contato com o Ministério da Educação e aguarda retorno.

Edição: Bruna Saniele

Propaganda

Momento Educação

USP oferece cursos gratuitos e online na área de humanidades

Publicados

em


A Universidade de São Paulo (USP) abriu hoje (27) inscrições para os cursos de inverno online na área de humanidades. Serão 66 cursos, com 4.985 vagas, organizados pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da universidade. A oportunidade é gratuita e aberta ao público maior de 18 anos, não precisando ser aluno da USP.

As vagas são limitadas e as inscrições serão realizadas por sorteio, independentemente da ordem de inscrição. Os 66 cursos foram divididos em cinco grupos e as datas para inscrição variam de acordo com esses grupos, de hoje até 5 de agosto.

Os cursos estão divididos em quatro grupos temáticos, sendo “Estudos filosóficos, históricos e geográficos”, “Estudos linguísticos e de tradução”, “Estudos literários” e “Estudos de antropologia, política e sociedade”. Os temas são relacionados às linhas de pesquisas estudadas nos 23 programas de pós-graduação da faculdade. 

Entre os assuntos abordados nos cursos, estão crise política, direitos humanos, economia, LGBTQIA+, moda, movimentos sociais, música, racismo, sexualidade. Além disso, os interessados poderão estudar sobre obras e autores da literatura africana, alemã, brasileira, indígena, infantil e juvenil, japonesa, latino-americana, russa, entre outras.

Leia Também:  Inscrições para o Fies do segundo semestre têm início amanhã

As inscrições para participar do sorteio devem ser feitas pelo site do Sistema Apolo, onde o interessado deverá selecionar a unidade “Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (São Paulo)”. Com isso, aparecerão os cursos disponíveis para inscrição naquela data específica. 

A universidade recomenda que o processo de inscrição seja feito pelo computador, porque alguns dispositivos de celulares ou navegadores de internet não conseguem completar a inscrição no sistema. Os sorteados estarão diretamente matriculados, não sendo preciso entrar em contato para confirmação, apenas esperar o contato dos ministrantes dos cursos por e-mail. 

As aulas começam a partir de 10 de agosto, de acordo com o curso escolhido, e os alunos que tiverem 75% de frequência mínima receberão certificados de conclusão.

Edição: Aline Leal

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA