Momento Educação

SP vai distribuir chips com internet para alunos e professores

Publicados

em


Para tentar reduzir a evasão escolar neste momento de pandemia do novo coronavírus, o governo de São Paulo vai distribuir 750 mil chips com pacote de internet para os alunos mais carentes da rede pública estadual de ensino e também para professores. O objetivo é tentar garantir conexão à internet para o ensino remoto e híbrido, que deve continuar mesmo com o retorno gradual das aulas presenciais. O investimento do governo paulista é de R$ 75 milhões, para 12 meses.

Do total de chips a serem distribuídos, 250 mil unidades serão destinadas para professores e servidores. Estes chips terão 5 gigabytes de internet por mês, com acesso a ligações e mensagens de SMS. Para alunos mais vulneráveis, serão distribuídos 500 mil chips mensais com 3 gigabytes de internet. Neste caso, vão receber chips os alunos do 8º e 9º anos do ensino fundamental e de todas as séries do ensino médio, em situação de pobreza e extrema pobreza e que estejam cadastrados no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal. A distribuição terá início em novembro.

Leia Também:  MEC divulga resultado prévio da avaliação de livros didáticos

“Os chips possibilitarão o acesso aos demais aplicativos e sistemas que não utilizam dados patrocinados pelo Centro de Mídias, além de ligações e mensagens de SMS para professores. Será uma importante ferramenta para buscarmos os estudantes que estão fora da escola, neste ano tão atípico da covid-19″, disse Rossieli Soares, secretário de estadual da Educação.

Dia do Professor

O governo de São Paulo transferiu o ponto facultativo de 15 de outubro, Dia do Professor, para sexta-feira (16). A medida vale para todos os servidores da área da educação, exceto para os que trabalham nos órgãos centrais (sede da secretaria, Fundação para o Desenvolvimento da Educação e Escola de Formação de Professores).

 

Edição: Aline Leal

Propaganda

Momento Educação

Correios e MEC preparam a entrega de 197 milhões de livros didáticos

Publicados

em


Os Correios e o Ministério da Educação iniciaram hoje (22) operações logísticas para a distribuição de livros e materiais paradidáticos do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). Ao todo, serão entregues 197 milhões de livros em todos os 5.570 municípios do país, o que corresponde a cerca de 80 mil toneladas de carga.

Em solenidade fechada ocorrida no Centro de Distribuição Oeste dos Correios, em Brasília, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, destacou o papel dos livros “com conteúdo sério” para mudar a educação no país. “Esses livros certamente nos ajudarão a compor esse objetivo”, disse ele por meio de nota divulgada pelos Correios após o evento.

Os Correios participam do Programa Nacional do Livro Didático desde 1994. No ciclo 2019/2020, a empresa entregou mais de 90 mil toneladas de carga para 140 mil escolas.

Edição: Maria Claudia

Leia Também:  MEC divulga resultado prévio da avaliação de livros didáticos
Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA