Momento Entretenimento

CCXP Worlds entrevista ator de O Poderoso Chefão sobre reedição de último filme

Publicados

em


source
poster do filme O Poderoso Chefão: A Morte de Michael Corleone
Divulgação

Ator de O Poderoso Chefão: A Morte de Michael Corleone fala sobre nova versão do clássico


No próximo dia 8 de dezembro, o  filme que encerra a franquia ‘O Poderoso Chefão’ ganhará para seu aniversário de 30 anos uma versão remasterizada, com novo nome e montagem. Trata-se de ‘ O Poderoso Chefão – Desfecho: A Morte de Michael Corleone’, que promete dar um novo tom ao encerramento da jornada vivida no cinema pelo personagem de Al Pacino.


“Você verá um novo filme, com um novo começo e com um fim diferente. Muitas cenas foram reposicionadas. O filme ganhou uma nova vida”, afirma o próprio diretor, Francis Ford Coppola, no painel da CCXP Worlds sobre o relançamento.

Para falar sobre a releitura feita pelo diretor, o evento recebeu nesta sexta-feira (04) o ator Andy Garcia, que vive Vincent Mancini-Corleone, para falar sobre a experiência de reviver o longa e participar de uma das séries cinematográficas mais famosas e importantes da sétima arte.

Leia Também:  Luísa Sonza viaja, deixa amigos cuidando de mansão e eles acabam quebrando porta

Garcia afirmou que não sabia o que Coppola planejava com o terceiro filme da franquia, mas era sabido que o diretor não estava satisfeito com a edição. “O filme estrearia no dia de Natal e Francis sentiu que nunca tinha tido tempo para organizar o filme da maneira como queria. Algumas decisões foram tomadas e, com o tempo, ele queria revisitar e entregar o filme que ele realmente queria ter feito”, contou o ator na CCXP Worlds.

A mudança do título também foi um diferencial, já que era um desejo do autor que sempre se chamasse “The Godfather Coda”, mas a ideia foi proibida pela Paramount, que esperava pela continuação da franquia.

Perguntado sobre o que deve mudar para seu personagem no filme, Garcia afirma que Francis conseguiu traçar uma narrativa mais clara e coesa sobre a história. Na versão original, algumas cenas foram cortadas e tiraram certos eventos de contexto, o que agora foi reparado.


Sobre a direção de Coppola, Garcia afirma que a experiência como um diretor de teatro o ajudou a causar o impacto que gostaria com seus filmes. “Ele é muito bom em se aproximar aos atores, seja para criar cenários ou improvisações, e ajustar o tom da cena. Não são muitos filmes ou diretores que têm o privilégio de ensaiar seus próprios filmes”, reflete o ator.

Leia Também:  "BBB 21": Nego Di é acusado de machismo por jornalista

Por fim, perguntado sobre como foi trabalhar com Al Pacino , Andy afirma que o ator foi uma inspiração para uma geração de atores, incluindo ele mesmo. “O trabalho dele mudou minha vida. Tive a grande sorte de conhecê-lo socialmente. Al é um homem muito generoso, é um privilégio ter trabalhado com ele”, afirma.

Fonte: IG GENTE

Propaganda

Momento Entretenimento

Faa Morena mistura poesia e erotismo em livro de receitas da quarentena

Publicados

em


source
Faa Morena
Divulgação/Andréa Dallevo

Faa Morena

Se, por um lado, o distanciamento social adia vida e planos, por outro, dá margem a novos sonhos e possibilidades. Que o diga Faa Morena, ex-apresentadora do programa “Ritmo Brasil”, da RedeTV!, que está dedicando parte de seu tempo para registrar suas incursões na cozinha. O intuito? Lançar um projeto literário, contendo poesia e erotismo. “Porém, bem leve e elegante”, como fez questão de frisar durante rápido bate-papo com o iG Gente. 

Ainda de acordo com a psicóloga, que deu lugar à paixão e à arte de apresentar, cantar e escrever, o pontapé inicial para esse trabalho se deu enquanto fazia a atualização do seu caderno de culinária, “já que algumas receitas não deram certo por serem muito complicadas ou por estarem com ingredientes ultrapassados”. A partir daí, nasceram os primeiros versos associados a um prato e a um momento que a faz se lembrar de sua família. 

Desde então, não parou mais. “Depois, pensei em outra experiência gastronômica e, instantaneamente, fiz outra poesia, mas aí já não tinha mais a ver com uma situação familiar. Era mais erótica. E assim foram surgindo as ideias. Resolvi  mesclar todas elas”, confidenciou a artista, que, embora confinada, mantém seu ritmo de escrita: “Estou gostando do que vejo e até me divertindo, porém ainda está no início, mas tenho certeza de que vai dar caldo, e de feijão”. Alguém duvida?

Fonte: IG GENTE

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA