Momento Esportes

Atacante Paolo Guerrero do Inter esbraveja contra o árbitro Wilton Pereira Sampaio

Publicados

em

 

      Os jogadores do Inter encontraram duas razões  para a derrota para o Palmeiras, por 1 a 0, nesta quarta(10),  no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil.
 
     O primeiro foi  a desatenção na bola parada, a maneira como também perdeu para o Verdão  no Brasileirão. O outro foi a arbitragem.
 
      O centroavante Paolo Guerrero deixou o campo esbravejando contra o árbitro Wilton Pereira Sampaio. O peruano não citou algum lance específico, mas reclamou de favorecimento ao time paulista, principalmente na distribuição de cartões e no excesso de faltas de ataque.
 
     — Está bem complicado jogar com o juiz dando tudo para eles. É difícil cobrar, porque a gente joga com um jogador a menos, que é o juiz. Apita tudo para eles. Sacanagem! — reclamou.
 
      Os companheiros foram por outro caminho para explicar a derrota. O lateral Uendel citou um "replay" da partida do Campeonato Brasileiro, em que o Palmeiras venceu pelo mesmo placar e da mesma forma: um cabeceio na sequência de uma jogada de bola parada.
 
— Nenhuma das equipes conseguiu se impor, chegar com chances claras. Não foi um jogo que abafaram. Pena tomar o gol em algo que treinamos bastante. Mas estamos vivos. Em casa somos fortes e confiamos com o apoio do nosso torcedor — disse o lateral-esquerdo.
 
      Já Rafael Sobis, que entrou no segundo tempo, destacou que o time de Luiz Felipe Scolari não joga bonito. Prefere o lançamento direto e o acionamento dos atacantes nos contra-ataques.
 
     — Um time malandro, que sabe jogar assim. Não jogam bonito, jogam para vencer — definiu Sobis. — Se estivéssemos um pouquinho melhor, sairíamos com um resultado melhor. Mas está aberto. O (segundo) jogo é na nossa casa e temos todas as condições de buscar o resultado.
 
     O Inter retorna  nesta quinta(11)  para Porto Alegre, mas precisará viajar novamente no fim de semana. No domingo(14(, enfrenta o Athletico-PR, na Arena da Baixada, pela 10ª rodada do Brasileirão. Ainda que Odair não confirme, boa parte dos titulares deve ser poupada. O jogo de volta da Copa do Brasil, no Beira-Rio, será na próxima quarta às 21h30.
Leia Também:  Campinense segura pressão do Sousa e conquista título do Paraibano
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Momento Esportes

Tóquio 2020 proíbe álcool, comemorações e pedidos de autógrafos

Publicados

em


Consumo de álcool, comemorações do tipo ‘bate aqui’ e conversas em voz alta serão proibidos para o número reduzido de portadores de ingresso da Olimpíada que terão acesso aos locais de competição, e os organizadores reconheceram que o “clima de comemoração” será limitado nos Jogos já adiados em um ano devido ao novo coronavírus (covid-19).Decisão de Seiko Hashimoto, presidente do Comitê de Tóquio, levou em conta alerta de autoridades de saúde, segundo as quais a bebida incentivaria contatos e interação em bares.Os organizadores levam adiante os preparativos da Olimpíada, ainda chamada de Tóquio 2020, apesar do grande temor do público japonês de que receber atletas de todo o mundo poderia resultar em mais surtos de covid-19.

Reportagens segundo as quais os organizadores estão cogitando permitir o consumo de álcool nos locais de competição de Olimpíada provocaram revolta nesta semana, e a hashtag “cancelem os Jogos Olímpicos” atraiu dezenas de milhares de tuites.

“Já que o Comitê Organizador quer realizar os Jogos de maneira segura e protegida, é nossa responsabilidade fazê-los acontecer”, disse a presidente da Olimpíada de Tóquio, Seiko Hashimoto, a repórteres nesta quarta-feira (23), um mês antes da cerimônia de abertura de 23 de julho. “Então, se nossos cidadãos têm receios [sobre servir álcool de Olimpíada], acho que teremos que desistir. É por isso que decidimos proibir a venda de álcool.”

A venda de álcool foi limitada dentro e ao redor de Tóquio depois que autoridades de saúde alertaram que beber incentivaria contatos próximos e interação em bares, o que poderia ajudar a disseminar o vírus.

Leia Também:  Judô paralímpico do Brasil vai quatro vezes ao pódio na Inglaterra

O patrocinador Asahi Breweries disse que concorda com a decisão de proibir a venda de álcool e que a considera natural.

*Reportagem adicional de Antoni Slodkowski, Ju-min Park, Rocky Swift e Ami Miyazaki

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA