Momento Esportes

CBF define coordenação de futebol feminino com Aline e Duda Luizelli

Publicados

em


.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou nesta quarta-feira (2) a criação de uma coordenação de competições nacionais femininas, e escolheu para o cargo Aline Pellegrino, ex-capitã da seleção e responsável pela modalidade na Federação Paulista de Futebol (FPF). A CBF oficializou, também, a diretora de futebol feminino do Internacional, Duda Luizelli, como coordenadora de seleções, ocupando o posto que foi deixado, há dois meses, por Marco Aurélio Cunha.

“Meu começo aqui [CBF] foi em 2004, como atleta de uma seleção adulta, sem ter tido a condição de passar por uma categoria de base. Acredito que o novo cargo, criado para dar essa atenção ao futebol feminino, é para que a gente aumente a qualidade das competições. É um pedido da nossa técnica Pia [Sundhage, da seleção principal] que elas estejam mais competitivas”, declarou Aline durante entrevista coletiva transmitida pela CBFTV.

“São 36 anos no futebol feminino, sem nunca ter desistido do esporte que sempre amei. Tenho muito a agradecer ao Inter, onde passei minha vida inteira e que me deu oportunidade de estar aqui. Sabemos da importância das equipes menores para o Brasil ser a melhor seleção do mundo no futebol feminino. É uma honra sermos as primeiras mulheres a comandar o futebol feminino brasileiro”, afirmou Duda, também na entrevista coletiva.

Leia Também:  Série B: CRB e América empatam em noite sem gols

Caras novas

Medalhista de prata na Olimpíada de Atenas (Grécia), em 2004, como jogadora, Aline foi capitã na conquista do vice-campeonato mundial, em 2007, na China. Uma das vozes mais ativas em defesa da modalidade, a ex-atleta de 38 anos destacou-se na coordenação do futebol feminino na FPF, idealizando o Estadual sub-17, festivais de base e uma peneira que reuniu mais de 400 meninas, entre 14 e 17 anos, de 15 estados. Na CBF, ela será responsável pelas quatro competições organizadas pela entidade: as duas divisões adultas (Séries A1 e A2) e os Brasileiros sub-18 e sub-16.

Duda também foi jogadora, sendo revelada pelo próprio Inter na década de 1980. Em 1996, ainda como atleta, encabeçou a volta da modalidade no Colorado, após quase uma década, permanecendo no clube até 2004, quando encerrou a carreira e fundou a própria escola de futebol. Ela retornou ao Beira-Rio em 2017 para gerenciar a retomada do futebol feminino na agremiação. No novo cargo, Duda trabalhará diretamente com Pia Sundhage e com as comissões técnicas das seleções sub-17 e sub-20, que têm os Campeonatos Sul-Americanos das respectivas categorias pela frente, ainda em 2020.

Leia Também:  Coluna - O erro de estratégia e a falta de memória dos dirigentes

Igualdade

Ao anunciar as dirigentes, o presidente da CBF, Rogério Caboclo, revelou que a entidade definiu a igualdade de valores de prêmios e diárias entre as seleções masculinas e femininas. Segundo ele, a medida foi definida em março. Conforme a confederação, a equidade foi adotada, pela primeira vez, já na convocação da equipe feminina para o Torneio Internacional da França, há seis meses.

“O que eles recebem por convocação, elas também receberão. O que elas ganharem de premiação por conquistas ou por etapas da Olimpíada no ano que vem, será o mesmo para os homens. Aquilo que os homens receberão na próxima Copa do Mundo será proporcionalmente igual, no que é oferecido pela Fifa. Não há mais diferença de gênero em relação à remuneração [na CBF]”, declarou.

Edição: Fábio Lisboa

Propaganda

Momento Esportes

Botafogo-SP vence Oeste e fica fora do Z4 da Série B

Publicados

em


O Botafogo-SP venceu o Oeste por 1 a 0, na Arena Barueri, quebrando uma sequência de quatro derrotas consecutivas. O Pantera chegou a 11 pontos, saiu provisoriamente da zona do rebaixamento e ainda deixou o rival da noite desta terça-feira (29) na lanterna da Série B do Campeonato Brasileiro, com apenas 6 pontos conquistados. A partida foi marcada pela dificuldade das equipes em criar chances de gol e pela queda de luz da Arena Barueri no primeiro tempo.

Antes do apagão, o Botafogo-SP teve uma boa chance, aos 5 minutos de jogo. Ronald avançou pela direita, entrou na área do Oeste e chutou no canto esquerdo de Caíque França, que espalmou para escanteio. Aos 24 minutos, o goleiro do time da casa fez outra grande defesa. Rafinha recebeu lançamento, cortou pra dentro e chutou cruzado de esquerda, mas Caíque França salvou.

Aos 38 minutos, alguns refletores da Arena Barueri apagaram. Depois de 13 minutos de espera, o jogo recomeçou. O Oeste voltou melhor da parada e passou a ameaçar. Aos 61 minutos, Betinho, de cabeça, completou cruzamento que veio da esquerda e a bola passou perto do gol de Darley. A última chance do primeiro tempo foi do Botafogo. Wellington Tanque dominou na entrada da grande área e chutou no canto esquerdo para Caíque França espalmar.

Leia Também:  Após goleada em casa, Carlos Barbosa alcança vice-liderança da LNF

O segundo tempo da partida foi ruim tecnicamente. As equipes não conseguiam criar oportunidades e tinham dificuldades de finalizar para o gol. Até que, aos 22 minutos, Ronald avançou pela direita e cruzou na área. A bola sobrou para Rafinha, que dominou e bateu rasteiro, colocado, no canto esquerdo de Caíque França para abrir o placar.

O Oeste tentou responder, mas não oferecia grande perigo ao gol de Darley. O Pantera quase ampliou com Wellington Tanque. Aos 35 minutos, o camisa 9 aproveitou chutão de Robson e finalizou. Caíque França fez a defesa.

Sem forças para empatar, time da casa ainda terminou o duelo com um jogador a menos. Aos 43 minutos, Cauã deu um carrinho por trás em Luketa e recebeu cartão vermelho.

Na próxima rodada, o Oeste enfrenta o Figueirense, sexta-feira (2), às 16h30, no Orlando Scarpelli. O Botafogo-SP recebe o Paraná no mesmo dia, às 21h30, no Estádio Santa Cruz.

Edição: Fábio Massalli

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA