Momento Esportes

Chico Barretto domina o cavalo com alças e conquista o ouro na ginástica artística do Pan

Publicados

em

 

     Francisco Barretto vibrou muito ao fim de sua série de cavalo com alças. Justamente o aparelho que mais derruba os brasileiros foi dominado pelo paulista de 29 anos.
 
    Nesta terça-feira(30), ele se manteve firme em meio a giros e mais giros para arrancar o ouro do cavalo com alças dos Jogos Pan-Americanos de Lima. Com 13,533 pontos, Chico deixou para trás o americano Robert Neff (13,466) e o colombiano Carlos Calvo (13,233).
 
   Bicampeão do Pan por equipes (2011 e 2019), Chico agora tem também um título individual, justamente no aparelho mais fraco do Brasil. Mas o ginasta conseguiu domar o cavalo. No Mundial do ano passado quase pegou final no aparelho, ficou na reserva. Agora no Pan a decisão veio, e com medalha de ouro.
 
    Quinto colocado da barra fixa na Olimpíada do Rio, Chico mostrou que é bom de decisão. Conseguiu manter a cabeça no lugar para encarar o cavalo com alças enquanto seus rivais sofriam para se manter no aparelho.
 
     E olha que na classificatória quatro deles conseguiram notas acima dos 14 pontos. Na final, porém, até mesmo o mexicano Daniel Corral, vice-campeão mundial do cavalo em 2013, sofreu a queda.
 
     Chico ainda vai voltar ao Ginásio Villa El Salvador na quarta-feira, a partir das 15h, para buscar mais dois pódios, nas barras paralelas e na barra fixa, seu principal aparelho. Ele foi o segundo colocado na classificatória, atrás apenas do companheiro de equipe Arthur Nory.
Leia Também:  Chile e Uruguai empatam em 1 a 1 pela Copa América
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Momento Esportes

Tóquio 2020 proíbe álcool, comemorações e pedidos de autógrafos

Publicados

em


Consumo de álcool, comemorações do tipo ‘bate aqui’ e conversas em voz alta serão proibidos para o número reduzido de portadores de ingresso da Olimpíada que terão acesso aos locais de competição, e os organizadores reconheceram que o “clima de comemoração” será limitado nos Jogos já adiados em um ano devido ao novo coronavírus (covid-19).Decisão de Seiko Hashimoto, presidente do Comitê de Tóquio, levou em conta alerta de autoridades de saúde, segundo as quais a bebida incentivaria contatos e interação em bares.Os organizadores levam adiante os preparativos da Olimpíada, ainda chamada de Tóquio 2020, apesar do grande temor do público japonês de que receber atletas de todo o mundo poderia resultar em mais surtos de covid-19.

Reportagens segundo as quais os organizadores estão cogitando permitir o consumo de álcool nos locais de competição de Olimpíada provocaram revolta nesta semana, e a hashtag “cancelem os Jogos Olímpicos” atraiu dezenas de milhares de tuites.

“Já que o Comitê Organizador quer realizar os Jogos de maneira segura e protegida, é nossa responsabilidade fazê-los acontecer”, disse a presidente da Olimpíada de Tóquio, Seiko Hashimoto, a repórteres nesta quarta-feira (23), um mês antes da cerimônia de abertura de 23 de julho. “Então, se nossos cidadãos têm receios [sobre servir álcool de Olimpíada], acho que teremos que desistir. É por isso que decidimos proibir a venda de álcool.”

A venda de álcool foi limitada dentro e ao redor de Tóquio depois que autoridades de saúde alertaram que beber incentivaria contatos próximos e interação em bares, o que poderia ajudar a disseminar o vírus.

Leia Também:  Série B: Náutico vence 5ª seguida e tira invencibilidade do Botafogo

O patrocinador Asahi Breweries disse que concorda com a decisão de proibir a venda de álcool e que a considera natural.

*Reportagem adicional de Antoni Slodkowski, Ju-min Park, Rocky Swift e Ami Miyazaki

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA