Momento Esportes

Nadal e Thiem terão de disputar Aberto da Austrália sem treinadores

Publicados

em


O número dois do mundo, Rafael Nadal, e o finalista do Aberto da Austrália do ano passado Dominic Thiem sofreram reveses com seus treinadores, que não viajaram para o primeiro Grand Slam de tênis do ano.

Jogadores e autoridades têm que passar por uma quarentena obrigatória de 14 dias na chegada à Austrália antes de participarem dos eventos preparatórios a partir de 31 de janeiro no Melbourne Park, onde o torneio será realizado de 8 a 21 de fevereiro.

O técnico de Nadal, Carlos Moyá, disse que não viajaria para a Austrália devido às rígidas restrições de saúde.

“Depois de falar com Rafa, decidimos que não vou viajar para a Austrália com a equipe”, disse Moyá, ex-número um do mundo, nas redes sociais.”Vou acompanhar o torneio de casa e ficar com a minha família, pais e filhos, devido à delicada situação que a Espanha vive com o vírus. Boa sorte para a equipe.”

Nadal, o campeão do Aberto dos Estados Unidos, Thiem e o atual vencedor do Aberto da Austrália, Novak Djokovic, estarão entre os principais tenistas que farão quarentena em Adelaide e, em seguida, irão para Melbourne para a ATP Cup e o Grand Slam.

Leia Também:  Caso contra Beckenbauer prescreveu, diz comitê de ética da Fifa

O técnico chileno de Thiem, Nicolás Massú, não estava no voo para a Austrália, depois de ter testado positivo para o novo coronavírus.

“Antes de decolarmos, recebemos a mensagem surpreendente de Nicolás Massú de que ele teve um teste positivo”, disse o pai de Thiem, Wolfgang, ao jornal austríaco Kurier.

Com as restrições na chegada à Austrália, é improvável que Massu possa fazer parte da equipe de Thiem no Melbourne Park.

Propaganda

Momento Esportes

Nova geração do tênis precisa acreditar em sim mesma, diz Nalbandian

Publicados

em


Ex-finalista em Wimbledon, David Nalbandian disse que os tenistas mais jovens do circuito masculino da ATP precisam começar a acreditar em si mesmos se quiserem diminuir a distância que os separa de Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic.

O russo Daniil Medvedev parecia estar mais perto de acabar com a hegemonia dos “Três Grandes” nos Grand Slams ao chegar à final do Aberto da Austrália com uma sequência de 20 vitórias, que incluiu 12 triunfos sobre os dez melhores do ranking sem perder nenhum set.

Mas isso não serviu para nada, já que Djokovic o derrotou em três sets e ampliou um recorde com seu nono troféu em Melbourne Park, o 18º do sérvio em um Grand Slam.

Nalbandian disse ao site da ATP que a jornada de Medvedev rumo à vitória no ATP Finals de novembro, durante a qual derrotou Djokovic e Nadal, provou ao restante do circuito que tudo é possível.

“Isto mostrou que qualquer um consegue derrotá-los”, disse o antigo número três do mundo. “Eles são jogadores incríveis, mas não são super-heróis. A nova geração tem que começar a acreditar em si mesma.”

Com o triunfo do Djokovic, 15 dos últimos 16 grandes torneios foram vencidos pelos “Três Grandes”.

Leia Também:  Magnus e Minas Tênis Clube se enfrentam pela Supercopa de Futsal

O austríaco Dominic Thiem venceu seu primeiro Grand Slam no Aberto dos Estados Unidos do ano passado, mas na ausência de Nadal e Federer, enquanto Djokovic foi eliminado na quarta rodada por atingir uma juíza de linha com uma bolada acidental.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA