Momento Esportes

Olimpíada: COB prevê uma melhor campanha em Paris do que em Tóquio

Publicados

em


De passagem pela 68ª edição dos Jogos Universitários Brasileiros (JUBS), neste sábado (16) em Brasília, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Paulo Wanderley, afirmou que a meta dos atletas do Brasil na Olimpíada de 2024 (Paris) é superar o desempenho dos Jogos de Tóquio. Na capital japonesa, o país alcançou 21 medalhas (7 ouros, 6 pratas e oito bronzes).

“O resultado foi ótimo, mas queremos fazer melhor. Temos sempre que avançar. Recuar nem para dar impulso”, brincou o dirigente, lembrando que colaboradores da entidade já fizeram duas visitas à França para checar locais de treinamento, possíveis cidades para aclimatação e montagem da base principal.

“É uma preparação que envolve muita antecedência, mas nada foi mais desafiador do que enfrentar a pandemia. Tivemos que refazer tudo”, afirmou.

Sobre os JUBs, Paulo lembrou que participou da competição como judoca e que, em 1974, quando presidente da federação universitária capixaba de esportes, organizou o jubileu de prata (25ª edição) dos jogos em Vitória.

Leia Também:  Portugal detecta 13 casos da variante ômicron em elenco do Belenenses

“Sinto-me em casa, mas os JUBs são uma competição consistente e com décadas de realização, e importante na implementação e na divulgação do esporte, consolidada como uma referência”, concluiu.

Edição: Fábio Lisboa

Propaganda

Momento Esportes

Justiça determina realização de novas eleições para a CBF

Publicados

em


A Justiça do Rio restabeleceu, nessa terça-feira (30), os efeitos da decisão judicial que determinou a realização de novas eleições para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Por dois votos a um, a 19ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça foi favorável ao recurso de agravo interno interposto pelo Ministério Público do Rio Janeiro (MPRJ). A ação civil pública, ajuizada pelo MPRJ em 2017, demonstrou que a entidade desrespeitou a Lei 9.615 (Lei Pelé), ao realizar assembleia para reforma estatutária, no dia 23 de março de 2017, sem respeitar a convocação obrigatória dos representantes dos clubes das séries A e B do Campeonato Brasileiro de Futebol.

Efetivamente, tornam-se nulas as alterações que modificaram as regras eleitorais da entidade. Com isso, de acordo com a Justiça, uma nova assembleia deverá ser realizada, em um prazo de 30 dias, para a discussão desses assuntos. Além das 27 federações, terão de ser convocados os clubes integrantes do Colégio Eleitoral: os da primeira divisão, na forma do Artigo 22, Parágrafo 4º, I e II, do Estatuto de 2015, que estava em vigor à época – a inclusão dos de segunda divisão se deu justamente por causa da modificação eleitoral ocorrida em março de 2017.

Leia Também:  Justiça determina realização de novas eleições para a CBF

Manobra

Para o MPRJ, a CBF realizou uma manobra para aprovar o novo estatuto, prevendo critério diferenciado de valoração de votos que impede os clubes de constituírem maioria nas eleições.  De acordo com a ação, na assembleia deliberativa os clubes da segunda divisão ganharam poder de voto (peso 1). Porém, uma cláusula passou a definir que nas assembleias gerais de natureza eleitoral, cada voto das federações filiadas tem peso três. Já os votos dos clubes da primeira divisão passaram a ter peso dois. Antes, todos tinham peso um.

De acordo com a ação, com a inclusão dos times da Série B, adequando-se, enfim, o Estatuto da CBF aos preceitos da Lei Pelé, pela primeira vez, os clubes de futebol, poderiam alcançar maioria de votos, frente às federações e, assim, incrementar a participação na gestão do esporte. Se as alterações no valor dos votos não tivessem sido adotadas, os 20 clubes da primeira divisão, somados aos 20 da segunda divisão, atingiriam o total de 40 votos. Enquanto isso, as federações permaneceriam com 27.

Leia Também:  Flamengo vence Ceará e impede título do Atlético-MG

Edição: Graça Adjuto

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA