Momento Esportes

São Paulo atropela e Santos mantém ponta no Brasileiro Feminino

Publicados

em


.

A oitava rodada da Série A1 do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino foi inaugurada nesta quarta-feira (9) com média de quatro gols por partida. Foram 20 bolas na rede em cinco jogos, sendo 12 delas concentradas nas vitórias de São Paulo e Santos. Em Cotia (SP), as tricolores receberam a lanterna Ponte Preta e aplicaram 7 a 0, enquanto as Sereias da Vila, líderes do torneio, derrotaram o São José, fora de casa, por 3 a 2.

As são-paulinas abriram 3 a 0 ainda no primeiro tempo. Aos 17 minutos, a lateral Dani bateu escanteio na direita e a atacante Mylla, de cabeça, marcou o primeiro. No lance seguinte, a defesa da Macaca errou na saída de bola e a atacante Carol aproveitou para ampliar. Aos 39, a meia Jaqueline invadiu a área, em grande jogada individual pela esquerda, e mandou por cobertura. Um golaço.

Na etapa final, aos nove minutos, a zaga da Ponte afastou mal e a bola sobrou com Carol, na grande área. Ela rolou na esquerda e encontrou Mylla, que marcou o segundo dela no jogo. O Tricolor manteve o domínio e chegou ao quinto aos 35. Depois do chute cruzado de Dani parar no travessão, a meia Giovanninha só teve o trabalho de empurrar para as redes.

Teve mais nos acréscimos. Aos 46 minutos, a lateral Roberta cruzou pela direita e Giovanninha se antecipou à zaga para assinalar o sexto. Três minutos depois, após bate e rebate na área, a zagueira Thais Regina desviou de cabeça e fechou o placar, que promoveu o Tricolor ao sétimo lugar, com os mesmos 13 pontos e 10 gols de saldo do Avaí/Kindermann, ficando à frente pelos gols marcados (18 a 15). A Ponte segue zerada.

Ketlen (quase) centenária

Em São José dos Campos (SP), o Santos abriu 3 a 0, mas levou um susto nos 10 minutos finais. No primeiro tempo, aos cinco minutos, a atacante Ketlen, de pênalti, colocou as Sereias em vantagem. Aos 39, a atacante Thaisinha construiu a jogada pela esquerda e cruzou. A bola sobrou para a centroavante Cristiane, que bateu de primeira e ampliou.

Na etapa final, aos 15 minutos, a meia Gaby Soares chutou da entrada da área, a goleira Zany deu rebote e Ketlen aproveitou para marcar o terceiro do Santos. Foi o gol de número 99 da jogadora pelo Alvinegro. Ela é a maior artilheira do time feminino do clube. “Estou ansiosa, é lógico [pelo centésimo gol]. Já estava antes da quarentena. Porém, tenho de manter os pés no chão, que ele sairá na hora certa”, disse Ketlen após a partida.

Só que o São José encostou. Aos 34 minutos, a zaga santista saiu jogando errado e Ariel aproveitou. A atacante se antecipou à marcação e chutou na saída da goleira Nicole. Já aos 45, a lateral Juju cobrou escanteio direto e fez um golaço olímpico. A reação, porém, parou aí. A derrota manteve as joseenses com 12 pontos, mas fora do G-8, em nono lugar. As Sereias foram a 21 pontos e continuam firmes na liderança.

Leia Também:  Coluna - Mundial de League of Legends começa nesta sexta na China

Flamengo evita tropeço

Na Gávea, o Flamengo escapou da derrota para a Ferroviária com um gol da zagueira Cida nos acréscimos. As Guerreiras Grenás marcaram primeiro, aos sete minutos da etapa final. A meia Aline Milene foi lançada em velocidade e tocou para a atacante Patrícia Sochor, que bateu na saída da goleira Kaká. Aos 47, porém, após cobrança de falta, a goleira Luciana escorregou e Cida, livre na segunda trave, desviou para as redes, de cabeça.

O empate não foi bom para ninguém. As rubro-negras, com 11 pontos, estão em 10º e perderam a chance de encostar nas oito primeiras colocações, que dão vaga à próxima fase. As paulistas, atuais campeãs, seguem sem vencer desde que o Brasileirão retornou da paralisação de cinco meses devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19) O jejum, agora, é de quatro jogos. O time de Araraquara (SP) é o sexto, com 13 pontos.

Nove gols, e contando

No Gama (DF), Minas Icesp e Palmeiras também ficaram no 1 a 1. Artilheira da Série A1, Carla Nunes, chegou ao seu nono gol na competição. Aos oito minutos, a atacante do Verdão ficou com a sobra de uma cobrança de falta na área e marcou por cobertura. O empate saiu aos 15. A meia Katrine, com liberdade, arriscou da intermediária e marcou um golaço.

A igualdade manteve o Minas na zona de rebaixamento. A equipe de Brasília é a 13ª, com oito pontos, a um do Cruzeiro, primeiro time fora do Z-4. O Palmeiras, com 16 pontos, tinha a chance de assumir o segundo lugar, ainda que de forma temporária, mas caiu para quarto. O time paulista foi ultrapassado pelo Grêmio na classificação.

Leia Também:  Sampaio Corrêa e Moto Club duelam no 1º jogo da final do Maranhense

Sob o olhar de Pia

As Gurias Gremistas receberam o Iranduba e venceram por 3 a 1, em partida acompanhada de perto pela técnica da seleção feminina, Pia Sundhage, em Eldorado do Sul (RS). Aos dois minutos, no momento que Pia entrava no Centro de Treinamento Hélio Dourado, a atacante Karina cobrou escanteio e a zagueira Andressa Pereira, de cabeça, abriu o marcador para as gaúchas.

O Grêmio ampliou aos 19 minutos do segundo tempo, em cobrança de pênalti convertida por Karina. O time amazonense descontou aos 38, com a atacante Luana, que encobriu a goleira Raíssa. Só que aos 41, em contra-ataque puxado por Karina, a atacante Eudimilla ficou com o rebote e deu números finais à partida, definindo a quarta vitória seguida do Tricolor. Com 18 pontos, o time gaúcho está em terceiro. O Iranduba, com nove, está em 11º.

Jogos de quinta-feira (10)

15h (de Brasília) – Avaí/Kindermann x Audax

17h (de Brasília) – Cruzeiro x Vitória

19h30 (de Brasília) – Internacional x Corinthians

Confira a classificação da Série A1 do Brasileiro Feminino.

Edição: Fábio Lisboa

Propaganda

Momento Esportes

Organizadores de Tóquio propõem redução de funcionários nos Jogos

Publicados

em


.

Os organizadores da Olimpíada de Tóquio propuseram nesta sexta-feira (25) reduzir o número de funcionários nos Jogos do próximo ano e encurtar o período de abertura dos locais de treinamento, como parte de um plano para realizar um evento simplificado em meio à pandemia.

Os Jogos, originalmente programados para começar em julho deste ano, foram adiados por um ano pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) e pelo governo japonês devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19). Desde então, os organizadores e autoridades do governo vêm buscando maneiras de cortar custos, simplificar os Jogos e proteger atletas e torcedores. Ainda assim, há dúvidas persistentes sobre a viabilidade de realizar um evento global em grande escala enquanto a pandemia continua.

O novo primeiro-ministro Yoshihide Suga vê o turismo como chave para retomar uma economia gravemente prejudicada e disse que deseja realizar a Olimpíada no próximo ano.

“Já estamos decididos a fazer isso no próximo ano, não importa o que aconteça”, declarou o presidente de Tóquio 2020, Yoshiro Mori, a repórteres em uma coletiva de imprensa, após reunião online de dois dias com representantes do COI.

Leia Também:  Fla e São Paulo encaram adversários equatorianos pela Libertadores

Mori afirmou que o número de autoridades, funcionários e outras pessoas associadas aos Jogos pode ser reduzido em 10-15%. A operação do centro de imprensa principal pode ser reduzida em oito dias e as cerimônias de boas-vindas para os atletas, canceladas, segundo ele.

Os organizadores de Tóquio também sugeriram um período de abertura mais curto para os locais de treinamento e redução da equipe para o revezamento da tocha.

No entanto, não havia planos para reduzir o número de atletas participantes, disse o CEO da Tóquio 2020, Toshiro Muto.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA