Momento Jurídico

Gaeco de Sorriso participa de Operação Conexão Alvorada

Publicados

em


A Unidade Regional do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) de Sorriso cumpriu na manhã desta quinta-feira (6/5), em Sinop, mandado de prisão temporária contra o proprietário e motorista de uma carreta, em apoio ao Gaeco de São Miguel do Oeste, do Ministério Público de Santa Catarina. A ordem judicial é resultado da operação “Conexão Alvorada”, que tem por objetivo o combate de uma organização criminosa responsável pelo tráfico interestadual de entorpecentes na região sul do país. 

Além do cumprimento do mandado de prisão em Sinop, a Força Tarefa cumpriu, de forma simultânea, mandados nos estados de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. 

A OPERAÇÃO – As investigações tiveram início em meados do ano de 2019, por ocasião do recebimento de denúncia de que motoristas de transporte de cargas rodoviárias, residentes em São Miguel do Oeste e cidades próximas, estariam carregando grandes quantidades de entorpecentes na região de Ponta Porã (MS). 

As investigações indicam a existência do esquema criminoso, apontando que as drogas eram transportadas para a região do litoral de Santa Catarina e, principalmente, para a região metropolitana de Porto Alegre (RS), tendo seu núcleo operativo principal de distribuição situado na cidade de Alvorada (RS). 

Leia Também:  Projetos importantes para a democracia e para o cidadão marcarão os próximos meses na Corte Eleitoral

O trabalho investigativo culminou com a identificação de embarcadores, motoristas de caminhão e vendedores de entorpecentes, resultando na expedição de 48 mandados de prisão temporária e 96 mandados de busca e apreensão, além de ordem judicial de indisponibilidade de bens dos motoristas indiciados na cifra de aproximadamente R$ 1,6 milhão. 

Fonte: MP MT

Propaganda

Momento Jurídico

Na abertura do 2º semestre forense de 2021, Barroso reforça segurança do sistema eleitoral e a importância de fortalecimento da democracia

Publicados

em


O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, abriu nesta segunda-feira (2) o segundo semestre forense de 2021 na Justiça Eleitoral fazendo uma defesa enfática do sistema eletrônico de votação e da democracia.

Veja o vídeo com o discurso do presidente do TSE.

Ele chamou a atenção para o fato de que, em todas as partes do mundo, as democracias se encontram sob pressão. “As democracias contemporâneas são feitas de votos, do respeito aos direitos fundamentais e de debate público de qualidade”, declarou Luís Roberto Barroso, ao apontar que a ameaça à realização de eleições é uma atitude antidemocrática, da mesma forma que o são a supressão de direitos fundamentais, inclusive os de natureza ambiental, e a contaminação do debate público com desinformação, mentiras, ódio e teorias conspiratórias.

“Há coisas erradas acontecendo no país e nós todos precisamos estar atentos. Precisamos das instituições e da sociedade civil, ambas bem alertas”, disse o ministro, complementando que, embora os ciclos de atraso institucional que marcaram a história do país já tenham sido superados.

Leia Também:  Ex-presidentes do TSE divulgam nota em defesa do processo eleitoral

O ataque às instituições, em especial às eleitorais, segundo o ministro Barroso, faz parte da estratégia dos que desejam minar a democracia para promover regimes autocráticos. “Essas narrativas, fundadas na mentira e em teorias conspiratórias, destinam-se precisamente a pavimentar o caminho da quebra da legalidade constitucional”, denunciou o presidente do TSE.

Citando a nota pública conjunta em defesa do TSE, do sistema eletrônico de votação e contra a implementação do voto impresso, que foi assinada por todos os ex-presidentes do Tribunal de 1988 até hoje e divulgada nesta segunda (2), Barroso destacou que não é o único a adotar esse posicionamento. “A obsessão por mim não faz o menor sentido e, sobretudo, não é correspondida”, concluiu.

O ministro ainda voltou a apontar todas as desvantagens do voto impresso, que, segundo ele, violará o sigilo do voto e possibilitará o retorno ao histórico de eleições fraudadas que marcaram o Brasil antes de 1996. “Vamos incentivar o coronelismo, vamos incentivar a milícia, vamos incentivar a compra de votos”, advertiu Barroso.

Barroso também prestou condolências às famílias das mais de 550 mil vítimas brasileiras da Covid-19, afirmando que a pandemia é uma tragédia humanitária mundial, completando que ela foi agravada entre os brasileiros por, em suas palavras, “circunstâncias locais”.

Leia Também:  Reuniões do colegiado e eventos passam a ter tradução em Libras 

RG/LC

Fonte: TSE

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA