Momento MT

Avaliação diagnóstica feita pela FGV irá subsidiar ações da Secretaria de Educação

Publicados

em

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) apresentou, nesta quarta-feira, em Cuiabá, o resultado da Avaliação Diagnóstica da Educação Básica realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Os dados irão subsidiar as decisões pedagógicas a serem adotadas em ações que trabalham o reforço escolar e a recomposição da aprendizagem.

Segundo a FGV, os resultados das avaliações educacionais diagnósticas de 2022 indicam a manutenção das proficiências e percentuais por nível de desempenho obtidos nas avaliações nacionais de 2019 para os anos iniciais do ensino fundamental, mas com queda do rendimento escolar nos anos finais do ensino fundamental e, mais acentuadamente, no ensino médio, onde observou-se que 75% dos alunos avaliados em Matemática encontram-se no nível de desempenho abaixo do básico.

A análise do resultado objetiva esclarecer o desempenho do rendimento escolar dos alunos nas respectivas competências e habilidades avaliadas segundo as Matrizes de Referência da Avaliação. Também, visa fornecer instrumentos para o desenvolvimento de atividades didáticas que promovam a melhoria da aprendizagem, uma vez que os resultados fornecidos serão utilizados na elaboração de um plano de estudo personalizado para cada escola, cada turma e cada grupo de aluno.

“Para cada situação é preciso uma estratégia e uma intervenção diferente no fortalecimento da aprendizagem. A Avaliação Diagnóstica mostra a realidade e indica as tomadas de decisões nesse sentido”, analisa o ex-ministro da Educação e diretor do Centro de Desenvolvimento da Gestão Pública e Políticas Educacionais da Fundação Getúlio Vargas, José Henrique Paim Fernandes.

Leia Também:  Execução provisória na condenação do tribunal do júri é tema controvertido em encontro jurídico

A análise faz parte do programa Avalia MT, política de educação implementada pela Seduc-MT com foco em melhorar a aprendizagem dos estudantes. Desde o início da gestão, em 2019, já foram implementadas 120 ações e 30 políticas públicas de impacto voltadas à Educação.

Em busca de inovação e evolução na educação pública, em 2022 a Seduc-MT contratou o consórcio formado pela FGV e Dian & Silva e está implementando o Sistema Estruturado de Ensino. A proposta abarca a gestão para a aprendizagem, formação, avaliação e plataforma digital que atende mais de 350 mil estudantes em 700 escolas da rede estadual.

O processo teve início com a avaliação educacional diagnóstica e formativa, realizada no período de 28 de abril a 12 de maio, para todos os alunos do 2º ano do ensino fundamental a 3ª série do ensino médio das escolas públicas estaduais, nos eixos de conhecimento de Linguagens (em 2022 avaliando leitura e escrita em Língua Portuguesa) e Matemática. Nessa fase, o plano amostral envolveu 47.263 alunos de 80 escolas localizadas nas 15 Diretorias Regionais de Educação (DREs).

Segundo o secretário de Estado de Educação, Alan Porto, o processo da FGV é inovador e utiliza testes padronizados na escala da Prova Brasil, fornecendo dados e análise de resultados com metodologia técnica-científica por aluno, turma, escola, diretoria de ensino e rede. “Dessa forma, a ação avaliativa propõe mensurar as dimensões de eficiência e eficácia da educação pública estadual. Sabemos qual o nível de deficiência de cada aluno, escola e DRE, além de formatar específicamente cada plano de intervenção”, completou o secretário.

Leia Também:  Humanização: Centro de Atendimento às Vítimas inicia acolhimento de famílias no Fórum de Cuiabá

Ele observa que a Seduc adotou uma política com início, meio e fim. “Por intermédio de um circuito de aprendizagem, cada escola terá a sua meta e o seu plano de ação, além de um plano de intervenção da Seduc para cada caso. “Adotamos em Mato Grosso o que há de melhor e dando resultados práticos à Educação. Nos tornamos ponta de lança e logo seremos modelo para outros estados, figurando entre as 10 melhores educações do Brasil até 2032”.

As ações desenvolvidas estão em andamento em todo o estado, que hoje é dividido em 15 Diretorias Regionais de Ensino (DREs): Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Primavera do Leste, Barra do Garças, Querência, Cáceres, Juína, Diamantino, Sinop, Matupá, Alta Floresta, Confresa, Tangará da Serra e Pontes e Lacerda.

A equipe técnica já percorreu todas as DREs para fazer o diagnóstico inicial da rede pública de ensino mato-grossense, e agora realiza a etapa de reuniões de esclarecimento e monitoramento dos resultados obtidos para que o Sistema Estruturado de Ensino possa ser implementado em sua totalidade ao longo de 2022, indo até 2026, quando já estará avaliando todos os eixos de conhecimento, envolvendo Ciências Humanas e Ciências da Natureza.

Fonte: GOV MT

Propaganda

Momento MT

Processos e novas tecnologias é tema de novo curso ofertado pela Esmagis-MT

Publicados

em

A Escola Superior da Magistratura (Esmagis-MT) abre nesta sexta-feira (5 de agosto) as inscrições para o curso de formação continuada “Processos e Novas Tecnologia”. Realizado de maneira semipresencial, a iniciativa tem como objetivo capacitar os magistrados com conhecimentos práticos sobre a gestão de trabalho nas unidades judiciárias, objetivando uma visão técnica e moderna na sua atuação como juiz-gestor.
 
As inscrições seguem até o dia 12 de agosto. Conforme informações da Esmagis, o módulo de ambientação será realizado no dia 24 de agosto (aula assíncrona pela Plataforma Moodle). Já as aulas presenciais serão realizadas nos dias 25 e 26 de agosto, das 8h às 12h e das 14h às 18h, na sede da Esmagis.
 
São objetivos específicos dessa capacitação: compreender o modelo de juízo 100% Digital; reconhecer a importância da inteligência artificial; ilustrar as audiências virtuais e oralidade; refletir sobre a proteção de dados e processos; compreender sobre provas digitais; e aplicar a tecnologia digital nas unidades judiciárias.
 
De acordo com o coordenador do curso, juiz Eduardo Calmon de Almeida Cezar, a atuação digital do juiz e dos auxiliares da justiça se faz presente nas mais diversas etapas do processo judicial. “Nesse contexto, destacam-se a prática de atos processuais de forma eletrônica, mas também a Plataforma Digital do Poder Judiciário Brasileiro, com as figuras do Juízo 100% digital, dos Núcleos de Justiça 4.0 e do Balcão Virtual. Ademais, não se pode esquecer dos sistemas de inteligência artificial, utilizados em apoio à atividade decisória e outros atos processuais”, salientou.
 
Nessa perspectiva, a capacitação visa promover aos cursistas uma adaptação à atuação na esfera digital, aprendendo as funcionalidades que a tecnologia pode trazer em seu favor, bem como a compreender os institutos tradicionais do Direito Processual à luz da evolução tecnológica.
 
O curso ofertado está devidamente credenciado na Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados Ministro Sálvio de Figueiredo Teixeira – ENFAM. A formação continuada será ofertada pelo procurador do Estado Marco Antonio Rodrigues (Rio de Janeiro) e pelo juiz Jeverson Luiz Quintieri. Confira abaixo o currículo resumido:
 
Marco Antonio Rodrigues – Procurador do Estado do Rio de Janeiro. Professor Associado de Direito Processual Civil da Faculdade de Direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Pós- Doutor pela Universidade de Coimbra/Portugal. Mestre em Direito Público e Doutor em Direito Processual pela UERJ. Advogado. Master of Laws pela King’s College London. Professor de cursos de pós-graduação em Direito da FGV. Membro da International Association of Procedural Law, do Instituto Ibero-Americano de Direito Processual e do Instituto Brasileiro de Direito Processual. Autor de livros e artigos jurídicos.
 
Jeverson Luiz Quintieri – Especialista em Direito Penal e Processual Penal pela Universidade Estácio de Sá. Bacharel em Direito pela Universidade Estadual de Maringá – PR. Juiz de Direito – Titular da 2ª Vara Esp. de Violência Contra a Mulher na Comarca de Cuiabá – MT. Pós-graduado em gestão judiciária e em Direito Penal; graduado em Direito com mais de 27 anos de experiência; alto grau de conhecimento em gestão de operações; gestão de processos; Mapeamento de processos; planejamento estratégico, tático e operacional e gestão de pessoas. Autor de dois métodos de gestão judiciária, a saber: método ORDEM e MEECP. Palestrante e professor em cursos de gestão pela FGV – Direito Rio e pela ENFAM (Escola Nacional de Formação de Magistrados). Tutor em EAD de Gestão de Pessoas pela ENFAM. Conteudista do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) e finalista do Décimo Prêmio Innovare.
 
 
 
Mais informações: (065) 3617-3844/3617-3467 ou pelo e-mail [email protected]
 
Lígia Saito
Coordenadoria de Comunicação do TJMT
 
 

Fonte: Tribunal de Justiça de MT

Leia Também:  Humanização: Centro de Atendimento às Vítimas inicia acolhimento de famílias no Fórum de Cuiabá
Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI