Momento Policial

Oito foragidos são capturados pela PM em Rondonópolis e Jaciara

Publicados

em


Num período de menos de 24h, entre a tarde de terça-feira (12) e o final da manhã desta quarta-feira (13.01), a Polícia militar capturou oito foragidos da justiça em diversos bairros de Rondonópolis (212km de Cuiabá) e um em Jaciara (144 km). São suspeitos que respondem por crimes que estavam com mandados em aberto por prisão preventiva ou tem sentença condenatória.

A primeira prisão, de uma mulher de 33 anos, ocorreu na tarde de terça-feira (12), no Jardim Participação. Ela invadiu uma casa durante a ausência da moradora e foi flagrada supostamente tentando praticar um furtar. No momento da abordagem policial a suspeita se identificou com nome falso, porém como havia policiais que a conheciam de outras passagens policiais ela acabou revelando o nome verdadeiro. O mandado em aberto dela é por furtos qualificados.

Horas depois, no mesmo bairro, durante rondas noturnas policiais da 14ª Companhia de PM de Força Tática abordaram dois homens em uma motocicleta e descobriram que contra um deles, de 35 anos, havia um mandado em aberto, também por furto qualificado.

Leia Também:  Homicídio ocorrido no dia de Natal, em Cuiabá, é esclarecido e autora presa

Já nos bairros Jardim Mariana, Jardim das Flores, Jardim Santa Catarina e Residencial Buriti ocorreram quatro prisões. No período da tarde, o suspeito, um homem de 52 anos, que responde por furto qualificado foi pego com mandado de prisão pela 5ª Vara Criminal de Rondonópolis.  

No Jardim das Flores, as 16h, ocorreu a prisão de um homem de 25 anos com mandado de prisão expedido em setembro de 2020 por roubo. Já no Jardim Santa Catarina e no Residencial Buriti foram presas duas mulheres. Uma de 33 anos que teve prisão decretada por tentativa de homicídio. A outra, de 47 anos, teve a prisão decretada em junho de 2020, porém no mandado não consta o crime praticado.

Em Jaciara, policiais da 7º Companhia de PM prenderam no final da tarde de terça-feira (12) um homem de 42 anos. A prisão ocorreu no Jardim Leblon. Ele tem condenação por roubo, entre outros crimes.

No final da manhã desta quarta-feira (13), por volta das 12h, a partir de informações levantadas pela Agência de Inteligência do 4º Batalhão os policiais chegaram a um homem de 42 anos que tinha mandado em aberto por roubos e furtos.

Leia Também:  Dupla é detida logo depois de roubar famílias e caminhonete é recuperada

Ele havia recebido benefício para responder em liberdade condicional, monitora por tornozeleira, porém descumpria exigências legais como manter o equipamento ligado e prestar conta mensal à justiça e por isso teve a prisão novamente decretada.  

 

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga

Fonte: PM MT

Propaganda

Momento Policial

Operação Loki, do Distrito Federal, cumpre mandados no interior de MT

Publicados

em


Assessoria/ Polícia Civil-MT

A Polícia Civil de Mato Grosso colaborou nesta quarta-feira (20.01) com a Operação Loki, deflagrada pela Polícia Civil do Distrito Federal para desarticular um grupo criminoso envolvido em crimes de falsidade ideológica, falsificação de documentos, apropriação indébita, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

 
Cumprimento de mandados em Mirassol d’Oeste

Em Mirassol d’Oeste (300 km a oeste de Cuiabá) foram cumpridos dois mandados judiciais de busca e apreensão, com apoio da Delegacia da Polícia Civil do município. Conforme a delegada Carla Nogueira, foram cumpridos mandados em uma empresa e residência da região.

De acordo com a Coordenação de Repressão a Crimes contra o Consumidor, Propriedade Imaterial e Fraudes (CORF) da Polícia Civil do Distrito Federal, os crimes investigados foram, inicialmente, detectados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar, órgão responsável pela fiscalização dos planos de saúde, que verificou indícios de operações fraudulentas entre a operadora e as empresas.

Os atos criminosos foram confirmados após investigação policial realizada pela Corf, constatando-se que, entre 2013 e 2018, diretores, contadores e alguns funcionários teriam desviado ilegalmente valores milionários de contas bancárias do plano de saúde, repassando altas quantias a empresas privadas vinculadas a amigos e familiares dos próprios dirigentes.

Leia Também:  Polícia Civil cumpre prisão de envolvido em roubo de gado, sequestro e cárcere privado

Foram analisadas 380 mil movimentações bancárias e fiscais da operadora de plano de saúde, empresas e pessoas envolvidas. Uma das transações financeiras, no valor de quase R$ 3 milhões, foi efetivada com uma microempresa de prestação de serviços de chaveiro, e transações com empresa cuja atividade declarada consiste em produção e venda de cana-de-açúcar e produtos agropecuários.

A área de atuação da operadora de plano de saúde é no Centro-Oeste e Tocantins, tendo cerca de 55 mil associados. O prejuízo é estimado em R$ 70 milhões.

Os 15 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em residências e empresas no Distrito Federal, de Goiás, de Mato Grosso (Mirassol d’Oeste e Cáceres) e em Porto Velho. Duas armas de fogo foram apreendidas durante cumprimento a mandado em Cárceres.

Na mitologia nórdica, Loki é conhecido como o pai da mentira. 

Com informações da Polícia Civil-DF

Fonte: PJC MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA