Momento Policial

Segunda incineração do ano destrói três toneladas de entorpecentes

Publicados

em


Camila Molina/Polícia Civil-MT

A Polícia Civil, através da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), realizou nesta sexta-feira (07.05), a segunda incineração do ano que resultou na queima de cerca de três toneladas de drogas referentes a apreensões realizadas pelas forças de Segurança nos anos de 2020 e 2021 e que geraram dezenas de inquéritos policiais na especializada.

O montante de entorpecente incinerado conta com porções de maconha, pasta base, cocaína, além de apetrechos como balança de precisão, utensílios característicos da atividade do tráfico, além de outros produtos como ácido bórico, éter, utilizados para o preparo da droga e que também foram incinerados.

A grande quantidade de drogas é fruto de apreensões realizadas pelas Forças de Segurança Pública (Polícia Civil, Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal) em todo estado e principalmente na região metropolitana.

A delegada titular da DRE, Juliana Chiquito Palhares, explica que as apreensões de drogas realizadas em 2021 já superam o montante de cinco toneladas, porém a droga destruída refere-se a um remanescente de 2020 e também a algumas apreensões deste ano que já tiveram autorização da Justiça para serem incineradas.

Leia Também:  Veículo suspeito de estar envolvido em tentativa de homicídio é apreendido em Novo São Joaquim

Essa segunda incineração demonstra que a cada ano as Forças de Segurança vêm apreendendo mais entorpecentes, representando também um grande prejuízo para a economia do tráfico de drogas, atividade cruel, que tira vidas, dissemina famílias e que apenas os grandes traficantes saem lucrando com a venda do entorpecente”, disse Juliana.

A delegada também frisou a necessidade do desenvolvimento de cada vez mais políticas públicas de prevenção e também de repressão ao tráfico de drogas. “É muito importante o olhar diferenciado para o enfrentamento do tráfico, inclusive no aparelhamento das equipes que estão diretamente lidando diretamente no combate ao comércio de entorpecentes”, destacou a delegada.

Processo de Incineração

A incineração de entorpecente é o ato final de todo processo do enfrentamento ao tráfico de drogas, que é concluído com a destruição das substâncias ilícitas apreendidas. Esta é a segunda queima realizada pela DRE em 2021, tendo a primeira, ocorrido no mês de março, totalizando mais de cinco toneladas de entorpecentes neste ano.

Os trabalhos iniciaram as seis horas da manhã para atender todas as formalidades exigidas para regular queima da droga. O processo se inicia quando depois de apreendida a droga é encaminhada para a perícia e retorna à DRE somente depois de devidamente periciada e lacrada pelo laboratório forense.

Leia Também:  Suspeito de tentativa de homicídio é detido em São José do Rio Claro

A partir de então a gestão do entorpecente é feita pela especializada, sendo necessária autorização judicial para realização da queima. Com a autorização decretada pela Justiça, o perito da Politec faz a conferência de cada lacre que será incinerado individualmente.

Em seguida é feita uma embalagem maior com diversos lacres dentro, que também é lacrada e novamente conferida antes do carregamento no caminhão e também antes de ser jogado na caldeira.

Fonte: PJC MT

Propaganda

Momento Policial

PM prende suspeitos com meia tonelada de defensivos agrícolas e R$ 13 mil em Sinop

Publicados

em


Neste domingo(20) policiais militares prenderam dois homens com 500 quilos de defensivos agrícolas contrabandeados, em Sinop. Com os suspeitos, a Polícia Militar apreendeu dois veículos, rádios comunicadores,   e R$ 13 mil em cheques. O produto irregular  teria saído de Cuiabá para ser entregue no município neste fim de semana.

Por volta das 11 horas, policiais militares receberam informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de que os veículos S10 e Fiat Strada que estavam  transportando produtos ilícitos vindos de Cuiabá. Diante da denúncia, a equipe da Polícia Militar montou uma barreira policial na rodovia de acesso à cidade de Ipiranga do Norte.

Os dois veículos foram visualizados e abordados pela PM nas proximidades do aeroporto de Sinop.  No momento da checagem, o motorista do carro Fiat Strada e da camionete S10 demostraram nervosismo e repostas desconexas.

Durante  minuciosa dos dois veículos, os policiais militares encontraram na camionete 23 sacos grande de Benzoato; total de  500 quilos do defensivo agrícola, carga avaliada em aproximadamente R$ 500 mil . O motorista do veículo não tinha nota fiscal do produto.

Leia Também:  Policiais do 3º Batalhão apreendem fuzil 5,56 em região de chácaras

O motorista do veículo Fiat Strada relatou à PM que foi contratado pelo condutor da camionete para fazer o serviço de ‘ batedor ’  de Cuiabá até Sinop por R$ 1,5 mil. O batedor no crime vai na frente de um  veículo que transporta algum produto ilícito para avisar o condutor  sobre possíveis  barreiras e fiscalizações policiais no trajeto. Com os suspeitos, a PM apreendeu rádios comunicadores e R$ 13 mil em cheques.

O condutor da camionete S10 relatou aos policiais que receberia R$ 10 mil para realizar o transporte do produto ilegal até Sinop, para evitar abordagem policial, a dupla disse que pegou caminhos alternativos passando pela região de Diamantino, São José do Rio Claro e Ipiranga do Norte.

O motorista da S10 já tem passagem pela polícia por crime de contrabando, ele foi preso no ano de 2017 com roupas contrabandeadas da Bolívia. Os dois homens foram presos e os sacos com os defensivos agrícolas contrabandeados foram apreendidos.

 A ocorrência foi entregue à Delegacia de Polícia Judiciária Civil.

Leia Também:  Suspeito de tentativa de homicídio é detido em São José do Rio Claro
Fonte: PM MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA