Momento Saúde

Brasil registra 176 mortes em 24h e tem menor média móvel desde abril de 2020

Publicados

em


source
Homem internado em leito de UTI
Ministério da Saúde

Homem internado em leito de UTI

Com as 176 mortes relacionadas à covid-19 relatadas nas últimas 24h, o Brasil chegou aos 601.574 óbitos confirmados desde o início da pandemia. A média móvel de casos, que considera os últimos sete dias, ficou em 316, e é a menor desde abril do ano passado.

Com relação aos casos, foram 7.852 novos relatos, totalizando 21.597.494. A média móvel destas infecções também atingiu uma marca importante – é a menor desde maio de 2020.

Vale lembrar que após fins de semana e feriados, os números tendem a ser mais baixos que o normal. A situação deve ser normalizada amanhã (14).

Desde junho de 2020, após uma confusão com os dados divulgados pelo Ministério da Saúde, o Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass) informa os dados referentes à pandemia.

Leia Também:  Câmara de Guarulhos suspende servidores que não se vacinaram

O Mato Grosso, que não vinha atualizando os dados desde o último dia 9, incluiu os registros de 9 a 13 de outubro, e por isso, apresentou registros mais altos que o normal.

De acordo com a Universidade Johns Hopkins, 239.047.058 pessoas já se contaminaram com o novo coronavírus, e 4.891.279 foram a óbito.

Fonte: IG SAÚDE

Propaganda

Momento Saúde

Sem comprovação para covid, ivermectina causou confusão mental e outros sintomas

Publicados

em


source
Ivermectina causou efeitos colaterais
Isabela Silveira

Ivermectina causou efeitos colaterais

Um estudo publicado pelo New England Journal of Medicine revelou que a administração da ivermectina no tratamento de com covid-19 nos Estados Unidos intoxicou pacientes, levando-os a efeitos colaterais graves, como confusão mental, falta de coordenação dos movimentos do corpo e até convulsões.

A ivermectina faz parte do kit covid – grupo de medicamentos que não têm eficácia comprovada contra a doença, mas que foram amplamente divulgados, prescritos e apoiados até pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Os pesquisadores acompanharam 21 pessoas que entraram em contato com o Centro de Envenenamento de Oregon, em Portland, nos Estados Unidos, relatando os efeitos colaterais. Onze delas usaram o medicamento para prevenir a covid, outras para tratar os sintomas.

Seis foram hospitalizados, quatro internados em UTI e quatro apresentaram problemas gastrointestinais. Três relataram confusão mental, dois, falta de coordenação dos movimentos e fraqueza, outros dois tiveram hipotensão e um, convulsões. Os sintomas não demoraram a aparecer: bastaram duas horas após a ingestão de uma dose grande do remédio.

“Não há boas evidências de que [a ivermectina] possa prevenir ou tratar a covid-19”, afirmou Robert Hendrickson, um dos autores da pesquisa, da Universidade de Saúde e Ciência de Oregon. “Mas pode causar toxidade, e causou toxidade quando usado por esse motivo específico”, completou.

Em seis pessoas, os sintomas surgiram de forma gradual, ao passo que as doses iam sendo ingeridas. Nos Estados Unidos, as prescrições da substância, aprovada originalmente para tratar infecções parasitárias, aumentaram de 3,6 mil por semana para 88 mil.

Fonte: IG SAÚDE

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA