Momento Saúde

Brasil registra 4,33 milhões de casos de covid-19 e 131,6 mil mortes

Publicados

em


.

O Ministério da Saúde informou, neste domingo (13), que foram registrados 14.768 novas infecções de covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 4.330.455 casos desde o início da pandemia. Deste total, 3.573.958 são de recuperados. O número atualizado de óbitos por causa da doença agora é de 131.625, sendo que 415 mortes foram notificadas entre ontem (12) e hoje

Segundo o ministério, há 624.872 casos em acompanhamento. A taxa de letalidade está em 3% e a mortalidade/100 mil habitantes está em 62,6. A incidência de casos do novo coronavírus por 100 mil habitantes é de 2.060,7.

Boletim epidemiológico covid-19Boletim epidemiológico covid-19

Boletim epidemiológico covid-19 – Ministério da Saúde

São Paulo é o estado brasileiro com o maior número de mortes (32.606), seguido por Rio de Janeiro (16.990), Ceará (8.686), Pernambuco (7.874) e Pará (6.344). Já Roraima é tem o menor número de óbitos em decorrência do novo coronavírus (610). Em seguida estão Acre (640), Amapá (678), Tocantins (806) e Mato Grosso do Sul (1.065).

Leia Também:  São Paulo vai receber 5 milhões de doses da CoronaVac em outubro

São Paulo também lidera o número de casos, com 892.257, seguido por Bahia (282.517), Minas Gerais (252.263), Rio de Janeiro (242.491) e Ceará (227.449). Os estados com menos casos são Acre (26.166), Amapá (45.853), Roraima (46.478) e Mato Grosso do Sul (59.077).

Rio de Janeiro e São Paulo

No Rio de Janeiro, foram registrados até este domingo (13), 242.491 casos confirmados e 16.990 óbitos por coronavírus em todo o estado, de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro. Os números representam um aumento de 1.715 casos e cinco mortes em relação ao boletim divulgado ontem (12). Há ainda, até o momento, 378 óbitos em investigação. Entre os casos confirmados, 220.090 pacientes se recuperaram da doença.

Já em São Paulo, nas últimas 24 horas, foram registradas mais 39 mortes e 1.567 novos casos confirmados de covid-19. Os dados divulgados hoje (13) pelo Governo de São Paulo revelam que, desde o início da pandemia, o estado contabilizou 32.606 óbitos e 892. 257 casos acumulados do novo coronavírus.

Leia Também:  Número de mortes por Covid-19 nos EUA chega a 200 mil

**Com a colaboração das repórteres Mariana Tokarnia e Elaine Patrícia Cruz

Edição: Nélio de Andrade

Fonte: EBC Saúde

Propaganda

Momento Saúde

Número de mortes por Covid-19 nos EUA chega a 200 mil

Publicados

em


source
O presidente Donald Trump
Foto: Reprodução/ONU

Trump ataca China na Assembleia Geral da ONU

Os Estados Unidos chegaram a 200 mil mortes pela Covid-19, nesta terça-feira (22). De acordo com o monitoramento da Universidade Johns Hopkins, os EUA são o primeiro país a alcançar esse número de vítimas do novo coronavírus (Sars-CoV-2) no mundo desde o início da pandemia. O país também está perto de chegar a 7 milhões de casos confirmados da doença.

As primeiras 100 mil mortes confirmadas nos EUA ocorreram entre janeiro e maio. A doença se espalhou rapidamente por todos os 50 estados americanos, mas foi Nova York, entre março e abril, que registrou os piores dias da pandemia.

Atualmente, a maior parte dos estados americanos tem apenas restrições pontuais para a abertura de estabelecimentos, e há disputas políticas e judiciais sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras.

Considerando todo o planeta, o total de mortes pelo novo coronavírus se aproxima de 1 milhão: são mais de 960 mil vítimas acumuladas no mundo. O Brasil, em dados absolutos, tem o segundo maior número de vítimas da Covid-19: o país registrou mais de 137 mil mortes até segunda-feira (21).

Leia Também:  Doria anuncia que São Paulo receberá 5 milhões de doses de CoronaVac

Trump ataca a China

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, atacou a China pela forma como o país asiático gerenciou a crise da Covid-19. Em seu discurso na Assembleia Geral da ONU, nesta terça-feira (22), o americano voltou a chamar o Sars-CoV-2 de “vírus chinês”, que ele disse ser um inimigo invisível.

“Nos primeiros dias do vírus, a China fechou-se para viagens domésticas, mas permitiu que as pessoas saíssem da China e infectassem o mundo”, disse Trump. Em seguida, ele pediu para que a ONU responsabilize os chineses.

Fonte: IG SAÚDE

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA