Momento Saúde

Campanha Outubro Rosa incentiva detecção precoce do câncer de mama

Publicados

em


O número de mamografias realizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) caiu entre janeiro e julho deste ano, em comparação com os anos anteriores. O número de mamografias realizadas até julho de 2020 foi de 1,1 milhão, contra 2,1 milhões nos mesmos períodos de 2018 e 2019.

De acordo com o Ministério da Saúde, a pandemia de covid-19 foi o fator principal para a diminuição da procura por esse serviço, ainda que as unidades de saúde tenham mantido o atendimento e a oferta de tratamento às pacientes.

Durante o lançamento da campanha Outubro Rosa, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que ficou claro a diminuição dos atendimentos, não só de câncer, mas de todas as doenças. “Esse represamento de atendimentos e a nova ação que temos que fazer para dar vazão às demandas futuras chama-se segunda onda. Não é o repique da pandemia, é exatamente as doenças e tratamentos que foram interrompidos ou não foram começados. Esse é o desafio do SUS”, destacou.

Apesar dos problemas trazidos pela pandemia, o Ministério da Saúde destaca que em 75,54% dos atendimentos realizados neste ano, o tempo de até 60 dias entre o diagnóstico e o tratamento em todos os estágios do câncer de mama no SUS foi respeitado, conforme preconiza a Lei nº 12.732, de 2012. Em 2019, esse índice ficou em 57,32%.

Com o slogan Cuidado com as Mamas, Carinho com seu Corpo”, a campanha do Outubro Rosa de 2020 busca conscientizar as mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença. No âmbito do SUS, o controle passa pelo diagnóstico precoce na Atenção Primária à Saúde e pelo rastreio mamográfico.

Leia Também:  Macapá proíbe aglomerações após aumento de casos da covid-19

A recomendação é que mulheres sem sintomas ou sinais de doença com idade entre 50 a 69 anos façam a mamografia a cada dois anos. Ao ser atendida na Unidade Básica de Saúde, independentemente do motivo da procura, toda mulher nessa faixa etária deve ser abordada para a realização do exame.

De acordo com estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca), órgão vinculado ao Ministério da Saúde, o Brasil terá em 2020 mais de 66,2 mil novos casos de câncer de mama, que podem evoluir de diferentes formas. Por isso, a campanha alerta que para que as mulheres fiquem atentas ao próprio corpo.

“As usuárias devem ser empoderadas para que elas possam perceber as alterações no próprio corpo, uma vez que a autonomia do cidadão também passa pelo autocuidado. Nossas mulheres devem ser orientadas a examinar as mamas por ocasião da sua avaliação mensal, após o término da menstruação e uma vez ao ano na consulta com o ginecologista”, explicou o diretor do Departamento de Ações Estratégicas, Antônio Braga.

Veja a íntegra da transmissão:

Prevenção

O ministro destacou ainda que, além de pensar o câncer de mama, o Outubro Rosa está centrado no cuidado integral das pessoas para a promoção de hábitos de vida saudáveis, já que fatores como obesidade e consumo de álcool podem piorar os resultados e riscos para o câncer de mama. A estimativa é que cerca de 30% dos casos podem ser evitados com a adoção de hábitos simples como praticar atividades físicas, alimentação saudável e controle de peso, evitar bebidas alcoólicas e cigarros, amamentar e evitar hormônios sintéticos.

Leia Também:  Covid-19: Líder do Conselho da UE prevê '3 ou 4 vacinas' até o início de 2021

No caso da amamentação, estima-se que o risco de desenvolver câncer de mama diminui de 4,3% a 6% a cada 12 meses de duração da amamentação.

Nesse sentido, o Ministério da Saúde lançou hoje (7) a Portaria nº 2.713/2020 que dispões sobre o pagamento por desempenho, no âmbito do Programa Previne Brasil.

O secretário de Atenção Primária à Saúde, Raphael Parente, explicou que os municípios e o Distrito Federal deverão realizar atividade em relação ao cuidado de saúde da população. Essas ações gerarão indicadores e, a partir deles, as localidades receberão um incentivo financeiro do governo federal, “com o objetivo de qualificar as ações realizadas pela equipe de saúde”.

No caso da saúde da mulher, há dois indicadores importantes, segundo ele: a proporção de gestantes com pelo menos seis consultas de pré-natal realizadas e a cobertura de exame citopatológico, para detecção de câncer de colo de útero.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Saúde

Propaganda

Momento Saúde

80% do álcool gel vendido no Brasil é ineficaz contra vírus, diz UFPR

Publicados

em


source
Álcool Gel
Pixabay

UFPR alerta para qualidade do álcool no Brasil

Um estudo realizado na Universidade Federal do Paraná (UFPR) fez um alerta importante para a prevenção contra a Covid-19 : de acordo com os resultados, 80% das amostras eram irregulares.

Em entrevista à CBN, o professor Anderson Barison, do Departamento de Química da UFPR, explicou que a maioria das amostras tinha teor alcoólico inferior ao recomendado pela OMS , o que as torna ineficazes contra o vírus. A OMS recomenda entre 68 e 72% de álcool.

“Se você colocar uma quantidade mínima de álcool etílico , ele vai ter o cheiro de álcool, então não tem como o consumidor saber se o álcool é de boa qualidade. Por isso é muito importante que as pessoas solicitem a análise pra gente, que mandem essa amostra”, alertou o professor.

Ainda de acordo com o pesquisador, a pesquisa busca informar os consumidores sobre a qualidade do álcool no mercado, mas não possui valor judicial. As amostras são enviadas por consumidores de todo o País.

Leia Também:  Covid-19: Anvisa autoriza importação de matéria-prima para vacina
Fonte: IG SAÚDE

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA