Momento Saúde

Cientistas encontram marcadores para microcefalia causada por zika vírus

Publicados

em


source
Cientistas encontram marcadores para microcefalia causada por zika vírus
undefined

Cientistas encontram marcadores para microcefalia causada por zika vírus


Cientistas do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP) e da Fundação Oswlado Cruz (Fiocruz), do Rio de Janeiro e da Bahia, identificaram um possível biomarcador da microcefalia no plasma de recém-nascidos, expostos ao  vírus Zika, quando ainda estavam na barriga da mãe. Biomarcadores são substâncias ou componentes usados como indicador de alguma doença.

A partir da identificação de alterações lipídicas no plasma dos bebês, o estudo traz novas informações sobre a origem e formação da doença e a possibilidade do uso marcadores laboratoriais para acompanhamento e análise da gravidade dos casos. Os lipídios, também conhecidos como gorduras, são uma classe de moléculas biológicas formadas por ácidos graxos e álcool.

Você viu?

De acordo com o estudo, durante o desenvolvimento inicial do cérebro, os lipídios desempenham um papel central no metabolismo, e alterações nessas estruturas podem afetar o desenvolvimento embrionário, especialmente do cérebro e dos olhos. Os resultados podem contribuir para o diagnóstico precoce e monitoramento da zika congênita, tanto em bebês com microcefalia quanto nos assintomáticos.

Leia Também:  Brasil perde 464 vidas para a Covid-19 nas últimas 24 horas

A zika congênita é caracterizada pela transmissão do vírus da mãe para o bebê durante a gestação e se apresenta com uma diversidade de quadros clínicos, que vão de casos assintomáticos à microcefalia e outras anormalidades no desenvolvimento neurológico, manifestadas na primeira infância.

Recém-nascidos expostos ao vírus Zika que não apresentam microcefalia também podem desenvolver anormalidades de 1 a 3 anos e meio após o nascimento, conforme revelado por imagens do cérebro e avaliações de desenvolvimento neurológico.

Antes da Covid 19, o zika foi a última emergência mundial em saúde pública. O Brasil foi o país com maior número de casos da doença, entre 2015 e 2016. A epidemia afetou principalmente o nordeste brasileiro, onde milhares de bebês nascidos de mães infectadas pelo vírus desenvolveram microcefalia associada à doença.

Fonte: IG SAÚDE

Propaganda

Momento Saúde

Marco zero de pandemia, Wuhan volta a registrar casos de Covid-19

Publicados

em


source
Marco zero de pandemia, Wuhan volta a registrar casos de Covid-19
Reprodução

Marco zero de pandemia, Wuhan volta a registrar casos de Covid-19

Marco zero da pandemia do novo coronavírus, a cidade chinesa de Wuhan voltou nesta segunda-feira (2) a registrar casos de contágio depois de vários meses.

Segundo as autoridades sanitárias locais, sete trabalhadores pendulares testaram positivo para a Covid-19 ao chegar em uma estação de trem. Todos eles foram enviados a hospitais para isolamento.

Apenas no último domingo (1º), a China registrou 98 novos casos de Covid, maior número para um único dia desde janeiro, sendo que 55 são de transmissão interna. A variante Delta já foi detectada em cerca de 20 cidades e forçou as autoridades a imporem medidas restritivas.

Na capital Pequim, o governo local adiou a reabertura das escolas, testou milhões de pessoas e colocou em quarentena os cidadãos que tiveram contato próximo com casos positivos. Já na cidade de Zhuzhou, mais de 1,2 milhão de residentes estão em lockdown.

País mais populoso do planeta, com 1,4 bilhão de habitantes, a China diz ter aplicado até o momento quase 1,7 bilhão de doses de vacinas anti-Covid. O gigante asiático reporta 105.151 casos de coronavírus desde o início da pandemia e 4.848 mortes.

Fonte: IG SAÚDE

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA