Momento Saúde

Coronavac já foi aplicada em 100 voluntários do interior de SP

Publicados

em


source
Coronavac é a opção brasileira de vacina contra Covid-19
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação

Coronavac é a opção brasileira de vacina contra Covid-19

No feriado de 7 de setembro os testes clínicos da Coronavac , vacina brasileira contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2) , completarão um mês em São José do Rio Preto (SP). As vacinas são aplicadas pela Faculdade de Medicina de Rio Preto (Famerp) e tem previsão de ser aplicada em 400 voluntários do interior de São Paulo.

Os testes são coordenados pelo chefe do laboratório de virologia da Famerp, o professor Maurício Lacerda Nogueira, e ocorrem no Centro de Pesquisas Clínicas da Vila Toninho. O estudo da vacina é responsabilidade da bióloga Eliane Fávaro.

“Até o momento, cerca de 100 pessoas já foram envolvidas no estudo. Uma parte já tomou as duas doses, e a outra a primeira. Nos próximos dias vamos acelerar o recrutamento para chegar as 500 pessoas até o fim do mês “, afirma Maurício Nogueira.

Leia Também:  Município do Rio de Janeiro supera 100 mil casos de covid-19

Os voluntários já vacinados tiveram que se inscrever e passaram por uma triagem para serem convocados, eles recebem duas doses da Coronavac , com um intervalo de 14 dias entre cada uma. A seleção continua acontecendo entre profissionais da área da saúde envolvidos no atendimento de pacientes com Covid-19, que não testaram positivo para a doença e não participaram de outros estudos clínicos com o mesmo produto sob investigação.

Todos os participantes serão acompanhados durante um ano, por médicos, enfermeiros e farmacêuticos responsáveis pelo estudo.

No Brasil quem conduz os trabalhos da Coronavac é o Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac Biotech. 

Fonte: IG SAÚDE

Propaganda

Momento Saúde

Especialista alerta sobre tempo seco durante pandemia de Covid-19

Publicados

em


source
Covid-19
Pixabay/Reprodução

Segundo especialista, pais devem evitar levar a criança ao hospital, pelo risco de contaminação

Especialistas alertam sobre o tempo seco e as doenças típicas da primavera, como rinite e conjuntivite alérgica, nas crianças em meio à pandemia causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). Para a pediatra Patrícia Rezende, do Grupo Prontobaby, os pais devem ficar atentos e evitar ir à emergência, por conta do risco de contaminação.

“Devido às mudanças repentinas do tempo, algumas crianças costumam ter tosse e nariz escorrendo. Além disso, o desabrochar das flores  libera substâncias alergênicas no ar, como o pólen. Isso pode provocar rinite sazonal ou conjuntivite alérgica”, explica a Dra.Rezende. 

Segundo a especialista, se a criança apresentar tosse, irritação ou sangramento nasal, os pais devem aplicar soro fisiológico nas narinas, para hidratar a região. “Umidificador de ar no quanto das crianças também é importante”, diz a pediatra. “Isso vai ajudar a não ressecar tanto o ambiente”.

Aspiradores de pó liberam partículas de poeira enquanto estão em funcionamento. Por este motivo, a especialista afirma que utilizar panos úmidos na hora da limpeza é melhor para a saúde das crianças.

Leia Também:  Doações de órgãos caíram 40% com pandemia
Fonte: IG SAÚDE

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA