Momento Saúde

Covid-19: EUA registram quase 1,6 mil mortes em apenas 24 horas

Publicados

em


source
Covid
Reprodução

País voltou a registrar alta no número de mortes nesta terça-feira

Os  EUA  registraram 1.592 mortes pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) nas últimas 24 horas, informou o Centro Universitário Johns Hopkins na noite desta terça-feira (28). O número de vítimas é o mais alto desde o dia 15 de maio e mostra que a pandemia continua avançando pelo país.

Ainda conforme os dados da universidade norte-americana, foram 60 mil infectados no mesmo período.

Nessa nova onda da Covid-19 , os estados da Flórida (186 mortos em 24h), Califórnia e Texas são os que mais registraram mortes e casos, mas Arkansas, Oregon e Montana também bateram seus recordes anteriores na terça.

Epicentro no início da crise sanitária, Nova York vem ficando para trás na lista de estados com mais contaminações. Com seus 412.878 infectados , já está atrás de Califórnia (470.762) e Flórida (441.977) – e deve ser superado pelo Texas (408.493) ainda hoje.

Leia Também:  Anvisa aprova respirador produzido em MG para tratar Covid-19

No entanto, ainda pertence aos nova yorkinos a maior quantidade de vítimas da doença, com 32.653. Nova Jersey registra 15.825, seguido pelo estado da Califórnia, com 8.679.

Aparentemente controlada no mês de junho, a crise sanitária voltou a avançar com força nos estados que anteciparam a reabertura econômica por conta da pressão feita pelo presidente Donald Trump .

Esse é um dos motivos, por exemplo, pelo fato dos casos em Nova York terem estabilizados: enquanto os estados governados pelos republicanos foram abrindo o governador democrata Andrew Cuomo e o prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio, mantiveram as medidas mais restritivas e foram fazendo as reaberturas de maneira mais lenta.

Por conta da expansão da Covid-19, a avaliação de Trump despencou, com a maior parte dos norte-americanos criticando a sua gestão da pandemia e derrubando as intenções de voto para as eleições presidenciais de novembro.

Por conta disso, apesar de continuar pressionando para a retomada econômica, Trump aconselhou seus cidadãos a usarem máscaras em locais públicos e a respeitarem regras de distanciamento social.

Leia Também:  O que é a peste bubônica e por que a doença não é mais tão mortal
Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Momento Saúde

Rússia inicia produção do 1º lote da vacina contra novo coronavírus

Publicados

em


source
frascos de vacina
Ministério da Saúde da Rússia

Produção do primeiro lote foi anunciada neste sábado

O ministro da Saúde da Rússia informou neste sábado (15) que o país já iniciou a produção do primeiro lote da  vacina contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2).

A imunização causou polêmica ao ser a primeira registrada no mundo , mesmo sem ter concluído todas as fases de teste. “A produção da vacina contra o novo coronavírus – Covid-19, desenvolvida pelo Centro Nacional Gamaleya de Epidemiologia e Microbiologia, começou”, disse o ministro da Saúde, Mikhail Murashko, em nota oficial divulgada para as agências Tass e Interfax.

O registro da vacina batizada de Sputnik V ocorreu no dia 11 de agosto, mas foi recebido com cautela por cientistas em todo o mundo e pela Organização Mundial da Saúde (OMS) por conta da falta de transparência dos dados.

Leia Também:  O que é a peste bubônica e por que a doença não é mais tão mortal

Até agora, pouco se sabe dos resultados de maneira científica, apenas o que o governo russo divulgou através de sua comunicação oficial. Segundo as autoridades, a imunização não apresentou efeitos colaterais graves e gerou anticorpos.

Além do Centro Gamaleya, a vacina foi desenvolvida em parceria com o Ministério da Saúde e Ministério da Defesa e será produzida e distribuída pelas empresas Generium, R-Pharm e Binnopharm a partir de outubro – sempre conforme as informações oficiais.

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA