Momento Saúde

Covid-19: novo lote de vacinas começa a ser distribuído nesta quinta

Publicados

em


O Ministério da Saúde envia aos estados a partir desta quinta-feira (13) um novo lote com 5,7 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Nesse estoque, estão doses da Oxford/AstraZeneca e da CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

A nova remessa é destinada à segunda dose para trabalhadores da área de saúde e para as faixas etárias de 65 a 69 anos e de 85 a 89 anos, além de povos indígenas, ribeirinhos e comunidades quilombolas e pessoas com deficiência permanente.

A orientação do Ministério da Saúde é que as pessoas tomem a segunda dose, mesmo que tenha sido ultrapassado o tempo indicado para ela. A recomendação foi dada em razão da falta de doses para a segunda aplicação pela falta de matérias-primas, especialmente no caso da CoronaVac, cuja produção foi retardada pelo atraso no envio do ingredientes farmacêuticos ativos (IFA) da China para a fabricação do imunizante.

As doses dessa remessa também são para gestantes e puérperas. Ontem (11), porém, o Ministério da Saúde emitiu novas recomendações para este público após a morte de uma gestante no Rio de Janeiro  depois da aplicação de dose da Oxford/AstraZeneca. Devem ser vacinadas apenas as mulheres deste segmento com comorbidades e com as vacinas CoronaVac e Pfizer.

Leia Também:  Janssen: 60 milhões de doses são perdidas por contmaminação nos EUA, diz jornal

De acordo com o comitê de especialistas do Programa Nacional de Imunizações (PNI), ainda não foi constatada a relação de causalidade entre a vacina e a morte da mulher. O caso está sendo investigado. A suspensão da aplicação da dose do imunizante Oxford/AstraZeneca foi adotada por cautela.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Saúde

Propaganda

Momento Saúde

Telemedicina: o que é e em quais casos devo procurá-la

Publicados

em


source
Resolução de telemedicina permitirá que médicos brasileiros realizem consultas e cirurgias à distância
Reprodução/ Polycom

Resolução de telemedicina permitirá que médicos brasileiros realizem consultas e cirurgias à distância

Com a pandemia da Covid-19 a telemedicina se tornou um recurso cada vez mais utilizado, contribuindo para os avanços do atendimento de forma remota . Seja para avaliações de rotina ou em situações de urgência, a telemedicina facilitou a prevenção, diagnóstico, monitoramento e tratamento de doenças , lesões e outras condições médicas além de garantir a transmissão de informações médicas seguras aos pacientes.

O que é telemedicina e o que ela engloba

Trata-se de um recurso remoto de atendimento médico, seja através do telefone, chat, video ou qualquer outro meio de comunicação. A telemedicina permite atender pacientes através da teleconsulta, interpretar exames médicos (telediagnóstico), telemonitoramento.  O conceito é usado quando tudo é feito remotamente.

iG promove a 1ª Semana da Saúde entre os dias 14 e 18 de junho
pixabay/iG

iG promove a 1ª Semana da Saúde entre os dias 14 e 18 de junho

Os casos mais utilizados para a telemedicina são aqueles onde o paciente não tem tanta necessidade do contato médico, como por exemplo em consultas de rotina ou para prescrição de medicamentos. Na teleconsulta o médico não pode tocar no paciente, o que fará, em alguns casos, o encaminhamento ao presencial. Porém, quando é necessário, a telemedicina pode ser o recurso mais prático, não precisando esperar, às vezes, horas para ser atendido .

Tal recurso também é muitas vezes mais acessível financeiramente , se comparado a planos de saúde ou consultas presenciais particulares, fazendo com que a telemedicina esteja sendo cada vez mais procurada.

Fonte: IG SAÚDE

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA