Momento Saúde

Covid-19: Rússia envia vacina para etapa final de testes em hospitais

Publicados

em


source
Putin
Reprodução/Twitter

Informação foi confirmada pelo governo de Vladimir Putin

A primeira  vacina desenvolvida pela Rússia contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2) começou a ser enviada para os hospitais do país como parte da etapa final de testes para verificar a eficiência da imunização, informou o ministro da Saúde, Mikhail Murashko, na noite desta quinta-feira (28).

Segundo entrevista à agência local de notícias Interfax, o estudo da Sputnik V será feito com “quase 40 mil pessoas”, entre equipes de saúde e voluntários.

“Hoje, uma arma digna de nota apareceu no nosso país. Essa vacina está começando a entrar em circulação. Também no site da prefeitura de Moscou é possível se registrar para participar dos estudos clínicos da fase 3″, afirmou Murashko.

A vacina russa vem gerando polêmica no mundo político e científico por diversos fatores, entre os principais, a falta de registro na Organização Mundial da Saúde ( OMS ) e a ausência da publicação de informações científicas sobre as fases iniciais da imunização.

Leia Também:  OIT: covid-19 tira emprego de 34 milhões na América Latina e Caribe

Além disso, o governo da Rússia já autorizou a vacina mesmo sem ter a finalização dos exames clínicos, o que mostra muito mais uma postura política do que científica. No entanto, o presidente Vladimir Putin informou que a vacina é segura e que até mesmo uma das suas filhas é voluntária nos testes.

A Sputnik V é desenvolvida pelo Instituto Gamaleya de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia com o apoio dos ministérios da Saúde e da Defesa. O governo russo espera que, a partir de outubro, já ocorra a vacinação em massa da população de maneira gratuita.

Nesta quinta-feira, horas antes da fala de Murashko, Putin comunicou que uma segunda vacina desenvolvida no país , dessa vez pelo Instituto Vektor de Novossibirsk, na Sibéria, deve entrar na fase de testes já em setembro.

Fonte: IG SAÚDE

Propaganda

Momento Saúde

Covid-19: Brasil registra 1.031 mortes nas últimas 24 horas

Publicados

em


O boletim diário do Ministério da Saúde, divulgado nesta quarta-feira (30), revela que o Brasil tem 4.810.935 casos confirmados acumulados do novo coronavírus.

Nas últimas horas, foram 33.413 novos casos confirmados de covid-19.

O país voltou a registrar mais de mil óbitos por dia, decorrentes da covid-19. Nas últimas 24 horas, foram 1.031 mortes por covid-19. O total chega a 143.952. 

O último registro acima de mil mortes ocorreu em 15 de setembro. 

Registro diário de mortes provocadas por covid-19 no Brasil
DATA 15/9 16/9 17/9 18/9 19/9 20/9 21/9 22/9 23/9 24/9 25/9 26/9 27/9 28/9 29/9 30/9
ÓBITOS 1.113 987 829 858 739 363 377 836 869 831 729 869 335 317 863 1.031

Segundo o Ministério da Saúde, atualmente, 10,1% dos pacientes estão em acompanhamento (486.607) e 86,9% dos brasileiros que contraíram covid-19 estão recuperados (4.180.376).

As autoridades de saúde ainda investigam se outras 2.466 mortes foram provocadas por coronavírus.  

Onde há mais casos de covid-19 no Brasil

*Casos acumulados desde o início da pandemia

São Paulo = 985.628

Leia Também:  Fiocruz recomenda reavaliação da flexibilização no Amazonas

Bahia = 310.526

Minas Gerais = 295.169

Rio de Janeiro = 264.783

Ceará = 241.159

Onde há mais mortes por covid-19 no Brasil 

São Paulo = 35.622

Rio de Janeiro = 18.487

Ceará = 8.994

Pernambuco = 8.251

Minas Gerais = 7.360

Boletim epidemiológico covid-19Boletim epidemiológico covid-19

Boletim epidemiológico covid-19 – Ministério da Saúde

 

 

Edição: Liliane Farias

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA